Nem as estradas nos valem

Carta da Estradas de Portugal insere-se num quadro de normal funcionamento entre empresas e tutela - Min. Obras Públicas“Nem as estradas salvaram Portugal da queda no índice de competitividade.

País desceu quatro lugares, para a 49.ª posição, no Índice Global de Competitividade e está “perigosamente

na cauda do pelotão” face à Irlanda, Chile e República Checa, consideradas economias similares.

Entre 144 países analisados pelo Fórum Económico Mundial, Portugal é o quarto com as melhores estradas.” (hoje no Público).

Portugal perde competitividade mas é o País das Estradas (e do Futebol)!

Comments


  1. Ver pela positiva: mas ao menos temos das melhores estradas.


    • Durante quanto tempo? – Temos dinheiro para a respectiva manutenção?

    • Maquiavel says:

      Temos das melhores estradas…
      mas näo há dinheiro
      nem para combustível
      nem para portagens…
      nem para as manter, como bem frisou o HG.

      • Maria do Céu Mota says:

        temos das melhores estradas do mundo, imagine-se!
        mas, como escreveu Maquiavel,
        não há dinheiro
        evitamos viagens até para estar com a família
        pagamos portagens para ir trabalhar!
        grande parte do salário vai para o combustível que não pára de subir e para portagens
        temos estradas às moscas!!!!
        para quê esse 4º lugar no ranking?
        É o País das Estradas
        é a Cidade do Futebol
        o que eu queria ver era a Cidade do Emprego
        o país que cria emprego

  2. Vasco Monteiro says:

    Estradas, estradas estradas!!! Foi essa a política de desenvolvimento “inteligente” dos governos que nos conduziu a esta situação desastrosa.

  3. Konigvs says:

    Não andava aí uma professora a falar em dar um bicicleta a cada aluno? Muito melhor que essa ideia é, fechar as auto estradas a automóveis – afinal ninguém anda nelas agora – e destinar as mesmas para ciclovias. Isso é que é promover uma medida ao mesmo tempo de defesa do ambiente e que promove as boas práticas de saúde.

    Cheira-me que não será só em estradas que somos os maiores. Em centros comerciais por certo que estaremos lá no topo. Na baixa do Porto conseguiram construir dois centros comerciais, um em frente ao outro, separados pela rua Fernandes Tomás. O sonho de um país, construir um centro comercial para cada habitante!!

    • Rantanplan says:

      Sim mas isso dos Centros Comerciais tem a ver com iniciativa privada e cada um faz com o seu dinheiro o que bem lhe apetecer. Também já vi muitos Centros Comerciais fecharem por falta de publico. Agora estradas e mais estradas é gastar o dinheiro dos cidadãos de forma leviana para favorecer os grandes consórcios de Empresas de Construção e Obras Públicas quando existem outras necessidades mais prioritárias ás quais é preciso acudir primeiro. E depois o dinheiro dos impostos não chega e toca a pedir emprestado a juros altíssimos e a sobrecarregar e empobrecer a classe média com impostos desmesurados. Auto-estradas como a A15 ou a A21 que são verdadeiros elefantes brancos sem trafego quase nenhum. O que é que esta gente tem na cabeça? merda?
      Submarinos e Pandurs num país que deveria ser não alinhado e transferir essas verbas para a segurança social. Etc

  4. Maria do Céu Mota says:

    Konigvs, esqueci-me dessa: somos também o País dos Centros comerciais.Agora evitamo-los : escolhemos as feiras e os mercados … O sonho de Portugal é ter um centro comercial por habitante!! Quando mudará a mentalidade dos políticos?

  5. Rantanplan says:

    Tanta estrada e rotunda, tanto pavilhão gimnodesportivo campos de futebol e centros culturais por todo. E escolas? a educação é o pilar central da sociedade. E segurança? a polícia não tem meios para patrulhar as localidades e a justiça não tem onde prender todos os criminosos . E saúde? as pessoas das localidades mais isoladas morrem a caminho do hospital ou por falta de tratamento devido a listas de espera! Haja bom-senso senhores políticos ou este país à beira-mar plantado vai pelo cano de esgoto abaixo.


  6. Dou razão à cara Céu e ao caro Rantanplan, mas acho que estamos a esquecer o mais importante: a lei da oferta e da procura!

    Enquanto prevalecer a mentalidade do centro comercial, a mentalidade do futebol, isto é, enquanto existir procura, haverá sempre o espertalhão que providenciará a oferta!

    Se queremos mudar os políticos, mudemos a nossa própria mentalidade. Se queremos mudanças gerais e de peso, comecemos nós, individualmente, a mudar!

    Deixo a pergunta no ar: se os centros comerciais não tivessem movimento, se não se enchessem estupidamente aos fins-de-semana, se ficassem às moscas, será que os espertalhões ambiciosos iriam construir mais?

    • Maria do Céu Mota says:

      Isabel, eu acho que, mesmo estando às moscas, haverá sempre um motivo para se continuar a construir.
      Este país não gostoa do velho. Não faz manutenção, restauro, recuperação… Sempre novo. Por coisa nenhuma se constrói NOVO.


      • Sábias palavras, cara Céu! Tanta coisa bela, por esse país fora, a cair aos bocados!

        • Maria do Céu Mota says:

          Isabel,
          lembrei-me agora …
          por não se fazer manutenção, por não se tratar do que já existe, por se ser NEGLIGENTE eis o que acontece:
          da wikipédia: Ficou conhecido como Tragédia de Entre-os-Rios um acidente, ocorrido a 4 de Março de 2001, às 21:15 horas, que consistiu no colapso da Ponte Hintze Ribeiro, inaugurada em 1887, e que fazia a ligação entre Castelo de Paiva e a localidade de Entre-os-Rios. Do acidente resultou a morte de 59 pessoas, incluindo os passageiros de um autocarro e três carros que tentavam alcançar a outra margem do rio Douro.

          O desastre levou a acusações quanto a negligência do governo português, levando à demissão do Ministro do Equipamento Social da altura, Jorge Coelho


          • Lembro-me perfeitamente! O meu Pai tinha passado por essa ponte vinte minutos antes de ela entrar em derrocada. Talvez por isso, na altura segui mais ou menos de perto este processo.

            Mas, se não estou em erro, ainda há bem pouco tempo
            se falou nos noticiários de outras pontas que careciam de manutenção… se já foi feita ou não, suponho que não viremos a saber… a não ser que haja, e oxalá não, um outro acidente!


          • Desculpem, queria dizer “pontes” e não pontas!

  7. maria celeste ramos says:

    A imagem deste aventar é fantástica – como este nó vviário nunca vi nem nos USA nem Inglaterra nem um nenhum país com miliões de vezes mair do que o meu que só tem 89090 km2-Esta aberração muitoi interessante ao pé desta pequena localidade de meia dúzia de habitantes – esta brutalidade só feita pelo senhor Amaral eng civil e ministro de merda – e dono da construtora – visitei inglaterra e de autoestradas nem 1/10 de portugal – um dia trabalgava no Gabinete da área de Sines e achei que o sistema viário programado para SINES – oara 40 mil habitantes – escrevi informações para desenharem e construirem metade alé de estar programado um I Estabelecimento para 10 mil habitantes e a 3km programaram um II Estabelecimento para completar 40 mil habitantes – claro que me trataram mal esses engº de merda que achavam que eu paisagista andava a meter-me em assuntos de engº e nada sabia – como sou teimosa e convencida fui à CIDADE nova de Milton Keynes – a última e mais moderna Cidade Nova Industrial – e peqguei no meu dinheiro e fui visitar o Gabinete de Milton Keynes que servou de “modelo” para SINES – fui recebide pelos técnicos do gabinete e visitei milton keynes que tinha MANOR sistema viário e era cidade industrialpara 500 mil habitantes e fiz Relatório com fotos e ideias e razões – roubaram o relatório – os cabrões do PC que era lindo e bem ilustrado – roubaram e desapareceu como os documentos dos submarinos – claro que Sines foi extinto por corrupção em 1986 e esperei que os 1200 idiotas do GAS arranjassem emprego para eu não ir para nenhum lugar onde encontrasse um deles apenas – e fui para a DGTurismo, pior que o GAS com o ignorante de Licínio Cunha secretário de Estado turismo (economista que escreveu libro com compilação de artigos de outros – comprei o livro e tenho-o) que eu sabia (porque vi) que permitia que os anormais dos arquitectos fizessem os projectos do serviço (que não podiam) mas faziam assinado por amigos a quem pagavam a assinatura – 50 contos e recebiam o cheque na Casa O Saraiva – perto do P Eduardo VII onde era o encontro das putas finas e me convidavam e eu fingia que não percebia – e onde conheci o actor de teatro Solnado que gostava muio de mim – este sistema viário basta olhar e omparar com outros é uma aberração de anormais e ladrões que destruiram terra agrícola e os pobres das hordas voltaram a fazê-las nos buracos entre os pelares desta anornalidade de nó viário – além disso até anos 70 o sistema das EN era óptimo já com curvas rectificadas que agora é usado para não pagar portagens MAS MAS MAS parte dos leitos das IP ocupavar pparte das EN desfazendo e inutilizando MILHARES de km de EN que ainda hoje se vêm perdias aos bocados – foi caso falado e escritojá nem sei por quem além de mim bem como o combõio que me deu trabalho falar com engs da CP que o queriam fazer na falésia da vila de Sines para a falésia cair como caiu a de Albufeira – dei 3 cenários para essa linha de CP mas fizeram o que quizeram – mulher em 1974 a saber ais que homens era uma merda – eram os marialvas de merda – e não visitaram Milton keynes porque faziam desenho em cima de joelho e eu aprendi a desnhar estradas e nem era preciso saber ver que aquilo era aberração de destroção milhares de km2 de terra agrícola – engº civil só há SAGADÃES que fez aerporto da Madeira o resto são anormais com betão no cerebelo – e as rotundas que inundam a estrada do Estoril e muitas áreas do pais mesmo dentro de Localidades e já nem sei se vizeu tem tantas rotundas e não precisava senão de uma ou duas – assim como há o elogio de que ortugal tem o melhor sistema viário da europa eu acho que quem diz isso é anormal e criminoso e não sabe o que diz excepto algumas que ligam Aveiro e fronteira e trás-os-montes – Isto é pior que a história do TGV para cortar as propriedades e os animais fugirem para a estrada – o elogio das rotundas e nós viários como este é só de anormalidade e de quem é cego – até fico doida com Portyugal o que mais autoestradas tem – falar do que não se aptrendeu e viver só em Lisboa ou Coimbra ou Porto é pouco – todo o dinheiro da CEE foi pra “morceller” o país e agora nem os TIR passam pelas IP – vão pelas EN que restam – um dia o aventar escreveu que eu dizia balelas sobre o Ensino – algumas direi mas comparadas com os comentadores do aventar eu que não fui a BOLONHA senão em turismo bem posso rir – fico triste em saber o que os outros não sabem e elogiam gratuitamente – tanto dinheiro deitado ao bolso de criminosos como os submarimos e IP e da PAc agricultura que desfizeram 36% de terra agricultável e hoje morre-se de fome e tristeza e nem no tempo de salazar dequem me vi livre mas era mais inteligente que cavaco e Passos Coelho e não eram crime territorial que fazia e se o país ARDE metro a metro não é só dos eucaliptos e pirómanos – o ordem«namento e a merdica em que fizeram TUDO é assustador já que a pobreza não vem só da falta de dinheiro mas de não ter casa e horta e outras coisas como os Parque naturais em que os ministros Guedes e do Turismo e a Crista só fazem MERDA – arrancam sobreiros para golfs pois há quem ache que o futebol é o ópio do povo – as IP são o ópio de outras coisas – até me perturba o que desde 1974 se fez aos territórios incluindo o INH/IHRU fez de casinhas para pobrezinhos das barracas em terra grícola abandonada o que vi como juri desde 1999 a 2008 – já falei nisto tantas vezes – o país é um destroço – e o fogo avança por essas IP estradas de ar a alimantá-lo e não só e rios poluídos com o lixo que jorra de espanha – esse putedo


  8. Um comentário muito rapidinho…
    Não nos tinham dito que essa coisa da falta de competitividade era por causa dos salários? Na volta é por causa dos custos da energia, dos entraves fiscais, da burocracia, da justiça que tarda…

  9. Konigvs says:

    Já o Manuel Pinho dizia para empresário capitalista chinês ouvir que éramos muito competitivos porque tínhamos os mais baixos salários da Europa. Afinal este governo que deu uma tremenda ajuda nesse sentido conseguindo ora baixando o custo do trabalho ora roubando mesmo nos salários e não é que perdemos competitividade? A economia e a política só pode mesmo ser um tubérculo.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.