Nós somos as formigas que trabalham para as cigarras

Quanto aos parasitas que nos governam, aqueles que nunca trabalharam na vida, basta lembrar que num ano em que perderam metade do subsídio de Natal ainda conseguiram ter um aumento médio mensal superior a 80 euros. Sim, há cigarras a mais neste país.

Comments


  1. Até podiam ter trabalhado – mas em DEMOLIÇÔES

  2. Cardeal de Richelieu says:

    QUANDO OS QUE MANDAM PERDEM A VERGONHA
    OS QUE OBEDECEM PERDEM O RESPEITO!

  3. MAGRIÇO says:

    O que mais me irrita são as fundamentações estúpidas que nos passam, a nós, atestados de estupidez! Argumenta o Gaspar com “os termos da lei”, como se os subsídios de Natal e férias de todos nós não estivessem também consignados na constituição. Depois admiram-se que se recorra à violência! Até um pacifista militante como eu tem alturas em que lhe dá ganas de estrangular estes elitistas de carreira.

  4. Fernando says:

    O povo e’ formiga porque gosta de ser espezinhado por andar no chão. Já a cigarra vive muito acima do chão.
    Não me coíbo de sumariamente relatar dois email que recebi.
    O primeiro email diz que em Abril de 2002 o juiz Branquinho Lobo mercê de uma junta medica o deu (psicologicamente) incapaz de estar ao serviço do Estado. Foi reformado com euros 5,320.00.
    Em 30/7/2004 o governo de Santana Lopes nomeou Branquinho Lobo para diretor Nacional da PSP, acumulando a pensão com o vencimento do cargo desempenhado.
    O segundo email refere a que Mário Soares tem ao seu serviço 14 agentes (PSP e GNR) que se revezam para “olharem” pelas propriedades do pai da democracia portuguesa, que, por ter uma agenda muuuuito sobrecarregada, abandonou um Conselho de Estado.
    (Correio da Manha 26/4/2012)
    E’ contra este estado de situações que o tal milhão de pessoas (formigas) tem de vir para a rua para obrigar as “cigarras” a virem para o chão.

    Nota: mas isto digo eu porque sou um sonhador que não vive em Portugal.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.