Os parasitas da democracia

O caso Berardo é apenas mais um exemplo daquilo que acontece quando o capitalismo, na sua versão mais selvagem, anda a solta, sem travão, manobrado por parasitas com os bolsos cheios de políticos corruptos. Não existe regulação (ou não funciona), à partida ninguém é responsável, todos têm excelentes alibis e uma série de saídas de emergência legais (cortesia da proveitosa e duradoura parceria público-privada entre indivíduos que de manhã legislam no parlamento e à tarde ajustam directo num qualquer escritório fancy de Lisboa) e nem dívidas têm, como muito bem explicou Joe Berardo, que, tal como os seus pares que se envolvem neste tipo de artimanha financeira, não têm dívidas nem património. É tudo da fundação. Ou da empresa. Um indivíduo destes tem no máximo uma mota de água e a roupa que traz no corpo. [Read more…]

Esfreguem com força

Cadeiras do Parlamento foram para desparasitação. Não será tarefa fácil.

Nós somos as formigas que trabalham para as cigarras

Quanto aos parasitas que nos governam, aqueles que nunca trabalharam na vida, basta lembrar que num ano em que perderam metade do subsídio de Natal ainda conseguiram ter um aumento médio mensal superior a 80 euros. Sim, há cigarras a mais neste país.