Parada com resposta…

Augusto Santos Silva, na sua página do facebook, sobre o já famoso caso “Parada” escreveu isto:

O caso da protocandidatura do PS à Câmara Municipal de Matosinhos é muito triste:
1. Desde logo, a Federação Distrital do Porto e a Direção Nacional do PS deixaram criar um problema onde ele não existia: o Presidente da Câmara em funções, Guilherme Pinto, é um socialista distinto, fez um bom trabalho, está apenas no segundo mandato e pode e quer recandidatar-se. Não se percebe que, nestas condições, o partido aceite mudar de candidato, apenas porque mudou a direção e a vontade da concelhia.
2. Depois, declarações como as que aqui em baixo se reproduzem, do atual presidente da concelhia e protocandidato à Câmara, não são infelizmente a exceção, mas sim a regra do que o dito pensa e diz.
3. Os partidos não são agregados de estruturas locais. São instituições com princípios, ideias e programas próprios. Os partidos não são siglas emprestadas a grupos de interesses ou a comunidades de afetos, por mais legítimos que sejam esses interesses ou por mais compreensíveis que sejam as emoções.
4. Nos termos que se anunciam, a candidatura do PS à Câmara de Matosinhos envergonhará o PS.
5. E, depois, é muito triste ver como os partidos tratam as localidades como se fossem seus feudos. Não é verdade. E, mais cedo ou mais tarde, os eleitores encarregam-se de mostrar aos partidos que são mais do que carneirinhos obedientes e acéfalos.

 

Clap, clap, clap!

Comments


  1. O Santos Silva não conheceu o Parada agora. Conhece-o há mais tempo. O Parada não é “só” candidato do PS à CM Matosinhos. É também presidente da Junta de Matosinhos, pelo PS. Ou os princípios – ou falta deles – só se aplicam às câmaras e às juntas não?


  2. Um vigilante de uma escola da Cruz de Pau (Matosinhos) morreu quando tentava acalmar um estudante, de 15 anos, que iniciara uma zaragata na aula de ginástica. O funcionário sofreu um ataque cardíaco.

    http://www.jn.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Porto&Concelho=Matosinhos&Option=Interior&content_id=3025880&page=1

Trackbacks


  1. […] Parada. Parece-me alguém mentalmente vulnerável, quem o não é, e politicamente elevado ao estado de velório mas se António Parada acha que os disparates por si proferidos num encontro com militantes do […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.