P.A.D.R.A.O

padrão

 

 

Palhaço Abjecto Defende Riquinho Ameaçando Outrém.

 

Há gente com muito, muito mau carácter, para quem o dinheiro conta tudo. Tenho pena.  Tenho pena dos progenitores que pariram abortos destes. Tenho pena das crianças que sejam filhas disto. Estão condenadas a ser abortos ainda mais abjectos do que o esgoto que os produziu. Tenho pena dos funcionários que diariamente necessitam de trabalhar com um esterco destes. Tenho pena de todas as pessoas que são obrigadas a ouvir desaforos de bestas deste calibre, a quem alguém um dia disse que tudo podiam , só por defenderem os Rs do país. E admiro, muito, todos os que ouvem as ameaças e não se calam. Pobres meninos ricos, carteira cheia e nada no coração ou na cabeça!

Comments

  1. palavrossavrvs says:

    P.A.D.R.A.O.
    Petrificado Anedótico Diminuto Raquítico Anormal Otário!


  2. Infelizmente, existem muitos P.A.D.R.A.O:

    Putos Autoconvencidos Despotazinhas Ridículos Absurdos e Obsoletos!

    P.S. – Desculpe-me Palavrossavrvs, mas gostei da sua criatividade e resolvi experimentar!

  3. Olavo says:

    Eu também tenho pena, daqueles que se preocupam tanto com aquilo que os outros tem e que se irritam por acharem que ninguém deveria ter mais que eles próprios. Mas tal não precisa que se inventem termos novos. Estes já existem: inveja e mesquinhez.


    • Não há uma alma caridosa que explique a este comentador que, para tanta tinta que já se escreveu sobre ele, o Padrão fez algumas que nos atingem a todos na nossa legitimidade para fazer dele não ódio de estimação, mas mostrar até que ponto estas vozes do dono chegam na sua ambição?
      Por falar em vozes do dono, haverá algum Olavo funcionário do tal Banco, ou é só amizade? Ou está com medo que venha alguma traulitada?!

  4. Ze Maria says:

    Armindo, “por falar em vozes do dono”, permite me que te faça COM BONOMIA uma sugestão: compra um espelho que possas colocar entre os joelhos e senta te.Olha te nele com boas dioptrias, olhos d’alma e concentração…. E mais não te digo porque se calhar não ias entender.
    Mas, perdoa se insisto, pá!


    • Passos bem estudados, bem explicados… vê-se que tem experiência da coisa. Infelizmente, consigo, não deu resultado… que pena! De teóricos, andei a fugir a vida toda, há mais de sessenta anos! E daqueles que falam ex-cathedra!
      Quanto a entender, eu entendo muito bem onde V. Ex.ª quer chegar. Quanto a vozes do dono, já tenho idade para não os ter, eles que, por serem o Estado, me foram roubando até me concederem uma reforma tão escamoteada que até dói. E porquê? Porque o meu dinheiro – e o seu (ou não) – andou a pastar em bolhas de especulação.
      Quanto ao tratamento por tu, só com quem conheço e com quem me dou. Fora isso, não sou tu-cá-tu-lá! Sou mais V. Ex.ª-cá-V.Ex.ª-lá. Noblesse oblige.
      Quanto ao ilustre “padrão”, quando souber a missa a metade, talvez se sente com o tal espelho… e eu, também com bonomia, sorrirei complacente.

  5. B.P. says:

    Chato que Padrão tem acento. E outrem não tem…


    • Reconheço-lhe alguma razão, B.P.. É certo que o sr. Paulo Padrão foi um chato, e isto sou eu a ser muito simpática. Quanto aos pormenores de acentuação, concordo. Veja, por favor, se lhe agrada mais assim:
      Paulo Adora o Dono e Riposta com Ão-Ão a Opositor.
      Caso ainda assim, não esteja satisfeito, aceitamos nova reclamação. Grata pela atenção, estamos sempre ao dispor dos nossos leitores.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.