Que horror

Os professores ganham acima do salário médio nacional. É extorquir os privados, diz um ignorante.

Comments

  1. André Melo says:

    O roubo dos dois subsídios e o aumento brutal dos impostos é de facto extorsão aos contribuintes, e se essa campanha de extorsão é justificada com a impossibilidade de cortar com a despesa do estado, onde se inclui a manutenção do pagamento de mordomias e privilégios a grupos corporativos como os professores, então não se pode negar que uma coisa implica a outra.

  2. Ifdl says:

    Que impostos querem vocês aumentar desta vez para sustentar isso tudo ?

  3. A propósito da questão de “O Insurgente”: Que Impostos se deveriam aumentar para poder manter o nível actual de financiamento das escolas públicas em Portugal?

    Pergunta desnecessária para quem não entende a correlação dos recursos do Estado com a “máquina” que ele sustenta. Ou, com um pouco mais de “vinagre”, pergunta desnecessária para quem confunde a “qualidade do ensino” com a (justa) luta por melhorias salariais. Os professores-reivindicativos perderam o meu respeito quando “baralharam” estas questões e apenas “reclamam” pela “qualidade do sistema educativo” quando lhes exigem competência (através do método lógico: avaliação), ou lhes vão ao bolso. Dá ideia que para “eles” tudo estaria bem desde que o Estado (ou melhor, os contribuintes) lhes garantissem pleno emprego para toda a vida, sem exigências, sem avaliação, e com salários “porreiros” (mesmo que estes se fixem acima dos padrões internacionais equivalentes, e acima do possível…). Esse parece ser o modelo de “qualidade do ensino” pretendido.

  4. nightwishpt says:

    Esse link tá tão cheio de merda ideológica em cada frase que não dá para ler metade.
    Então não é preciso aumento de impostos, mas para andar a pagar ainda mais aos grupos GPS deste país tá tudo bem.
    Vão tomar no cú.

    • Rodrigo says:

      A isto chama-se desconversar. Ou fazer de avestruz. A questão é sobre o grupo corporativo dos professores do PCP exigirem mordomias e privilégios que o país não pode pagar. Quanto a isso nada disse. Se no entanto quiser falar no grupo GPS ou outros do mesmo género então que abra uma discussão sobre eles. Ou será que sempre que ouve coisas inconvenientes vai voltar a desconversar?

      • “a manutenção do pagamento de mordomias e privilégios a grupos corporativos como os professores” é conversa socrática, nem sei se merece resposta, o exilado já a teve.
        Aliás estou a ver que isto anda de cavalo para burro, parece um infantário.
        Factos: quais mordomias? qual é o problema do “nível actual de financiamento das escolas públicas em Portugal?” excepto tender para o minimal regressivo, regressando à ignorância do estado novo e a um sistema de saúde para privilegiados? vamos à dança da mentira de que o estado português é “insustentável”? filha da peta do estarmos a pagar despesismos quando estamos a pagar juros a especuladores, sustento aos ladrões da SLN e mama aos bancos?
        O problema dos impostos existe, mas passa em primeiro lugar por quem não os paga, e não pelos que sempre os pagaram sustentando integralmente o estado social.
        Os professores da escola pública não fogem ao fisco, não exportam para offshores nem metem a sua sede social na Holanda.
        Números, cadê? cadê?

Trackbacks

  1. […] um tal João José Cardoso me chamou de ignorante porque… nem sei bem porquê, simplesmente chamou. Respondi com uma pergunta: Que Impostos se […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.