Salgueiro Maia e os outros

SALGUEIRO MAIA
Aquele que na hora da vitória
respeitou o vencido

Aquele que deu tudo e não pediu a paga

Aquele que na hora da ganância
Perdeu o apetite

Aquele que amou os outros e por isso
Não colaborou com a sua ignorância ou vício

Aquele que foi «Fiel à palavra dada à ideia tida»
como antes dele mas também por ele
Pessoa disse

Sophia de Mello Breyner Andresen

São todos, mas todos, tão pequeninos à beira dele.

Comments

  1. הוסף קישוריםכבר יש לך פרופיל באינטרנט? השתמש בו כחלופה says:

    não pediu a paga?
    bolas chegou a major em 1981
    e a tenente coronel quando estava quase a bater as botas
    logo a viúva ainda tem direito à meia pensão

    sempre pensei no que teria acontecido à filha……….
    à mai nova do melo antunes estava na 1ª do pateta alegre

    os dois do eanes devem estar mais ó menos

    agora a filha do salgueirinho o que será dela?


  2. Também acho que somos todos demasiado pequenos perante o
    Capitão Salgueiro Maia , que fez muito sem nada receber em troca
    a não ser críticas injustas , porque o português nunca reconhece
    o valor dos outros e só tem força na língua para dizer e fazer mal ,
    por isso é que País está como está , porque o povo só tem força
    na língua . É um povo linguareiro para não dizer outra coisa .
    Todos foram gananciosos e só queriam poder ao contrário de Salgueiro Maia .
    O português é ingrato e estou convencido que é o pior povo do mundo . Eu tenho vergonha de ser português . Só não o salto
    porque a minha idade , saúde e situação financeira não per-
    mitem .


  3. Sr.Ricardo S.Pinto: não sou apreciadora daquilo que normalmente transmite, o que provàvelmente lhe será indiferente, mas desta vez dou-lhe os meus parabens! Adorei!


  4. O Salgueiro Maio protagonizou a actuação operacional e deu depois inúmeras provas de carácter. Merece respeito e admiração. Mais importante do que o papel que teve ele é símbolo de decência e espinha dorsal. Coisa que não abunda actualmente…
    Não obstante, é preciso não cair na tentação de mitificar heróis mortos, apesar disso ser mais consensual (e confortável) do que entender o contexto completo e a participação dos outros heróis da mesma cepa que ainda estão vivos, muitos no anonimato….

    • Maquiavel says:

      Näo se mitifica coisa nenhuma, no máximo tenta-se que depois de morto tenha o reconhecimento universal que NUNCA teve em vida. Aliás, o “reconhecimento” que levou da hierarquia militar foi ser escorraçado, o da sociedade foi ser ignorado, ele e os outros operacionais do 25 de Abril, “os implicados no 25 de Abril” (sim, a sugerir que foram tratados como se tivessem cometido um crime), na sua famosa expressäo.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.