Comissão Europeia e da Confiscação

A SIC Notícias exibe no seu ‘site’ este vídeo.

Em título, a estação de Carnaxide anuncia:

Bruxelas admite que depósitos de 100 mil euros sejam convertidos em ações nos países em resgate

Por sua vez, o texto da notícia diz:

A Comissão Europeia admite que os depósitos bancários acima dos 100 mil euros sejam reduzidos ou convertidos em ações em países alvo de um resgate financeiro, tal como aconteceu em Chipre. Esta é a resposta de Bruxelas, depois de uma questão colocada pelo eurodeputado português, Nuno Melo.

Sublinhei propositadamente acima, uma vez que o texto altera radicalmente o anunciado em título – serão depósitos de 100 mil euros ou acima de 100 mil euros? A dúvida é mais do que natural. O erro jornalístico parece-me flagrante, sendo indispensável saber qual a informação que prevalece.

Sei também que este anúncio, divulgado pelo eurodeputado Nuno Melo do CDS, numa ou noutra versão, é claramente um ataque à classe média e, sobretudo, à propriedade privada de que a direita tanto se ufana de ser ideológica e intransigente defensora. Ainda existe razoável número de depositantes que, ao longo de décadas de trabalho, teve a oportunidade de aglutinar poupanças até 100.000 euros ou de verbas acima desta.

O que é verdadeiramente abstruso, mas ainda bem que o é porque serve de pré-aviso, é a Comissão Europeia pré-anunciar esta medida. Naturalmente, os sábios comissários e o chefe Barroso podem estar a lançar um alarme que danificará definitivamente o ‘sistema financeiro europeu’ e causar uma corrida aos bancos que, lembro, atingirá, em particular, o colectivo das populações dos países sob resgate.

É útil lembrar que os detentores de grandes fortunas, resguardadas em ‘paraísos fiscais’, permanecerão imunes à desastrada medida. Condena-se a gente do povo, da classe média à pobreza e dos indigentes à morbidez,  através de um pagamento compulsório e injusto para resgatar o crime de  grandes senhores do capital e responsáveis únicos da crise económico-financeira. Pelos vistos, está pré-determinado multiplicar os indigentes, em acelerado processo de reprodução.

Que passe a designar-se ‘Comissão Europeia e da Confiscação’ (confiscação = apreensão dos bens dos cidadãos, em proveito do tesouro público, do fisco, como medida de punição de crime ou contravenção).  Que crime? E os verdadeiros criminosos? São inimputáveis, nesta Europa cada vez mais submetida ao domínio germanófilo.

Comments


  1. Li no JN de hoje! Depois de Chipre, quem?!


  2. Portugal, claro. É o alvo natural da maldade.

  3. edgar says:

    Como eu, calculo que a grande maioria dos que vão sendo sistematicamente empobrecidos já tem saldos bancários quase sempre negativos, mas esta notícia do confisco das contas acima de determinados montantes parece estar relacionada com o destaque dado aos prejuízos de determinados bancos no 1º trimestre deste ano.
    Coincidência?
    Desta gente já espero tudo, e a garantia de que os depósitos abaixo do cem mil euros não serão tocados vale tanto como a promessa de não tocar nos subsídios.
    Não terá dito Vítor Gaspar que o “Ajustamento em Portugal é muito bonito”?
    Alegadamente, enlouqueceram ou, não alegadamente, enlouquecemos nós por não corrermos rapidamente com eles do governo.
    Não vão às manifestações para correr com o governo e depois queixem-se…

    • Carlos Fonseca says:

      A meu ver, trata-se de facto de uma análise superficial fazer juízos apenas acerca de quem tenha 100 mil ou 100 mil e tal euros em depósitos a prazo, ou coisa do género. Porque, como diz, o sistema bancário, quase em bloco, tem tido resultados negativos e é o beneficiário preferencial do confisco e das ajudas – cerca de 47 mil milhões de euros da ‘troika’ foram para bancos ou para reforço do Fundo de Garantia Bancária que estava depauperado – entretanto os os autores dos golpes de milhares de milhões do BPN, da Madeira, dos ‘Swaps’ e de outros desvarios continuarão impunes. Paga, ao ser extorquido, quem nada deve.
      O efeito dominó de corrida aos bancos, considerado a nível nacional, pode acelerar o desmantelamento do sistema financeiro e a proliferação da pobreza no País. Como se poderá fazer funcionar a já muito frágil economia portuguesa?
      Estes são, de facto, os problemas sérios que a CE levanta ao país e ao seu povo.
      Tem razão no que diz sobre manifestações. Eu tenho participado. Porém, o problema é que estas medidas são tomadas por órgãos supranacionais, de imenso poder, que nem sequer sufragámos. E com “gaspares” a alinhar neste jogo sujo e anti-social, ainda pior. A revolta tem de usar outros ingredientes.
      Teremos de lutar a sério e sempre!


  4. Assim se constrói na UE o o “lebensraum” do século 21.
    http://www.jstor.org/discover/10.2307/1429483?uid=3738880&uid=2&uid=4&sid=21101999326603


  5. Estamos a chegar a um ponto que não podemos ter nada .
    Algum dia nem os dentes nos deixam ter para não gas-
    tarmos na comida , mas que a teremos sempre de pa-
    gar na mesma , mesmo que não comamos.
    Só os pequemos ou remediados é que levam a ripada ,
    aos outros dos biliões , como de costume , nunca lhes
    acontece nada .
    Só os incautos dos pequenos que deixam ficar o dinhei.
    ro das suas parcas economias nos bancos , para estes
    viverem à nossa custa , é que são chulados .
    Aconselho a tirarem o dinheiro os bancos antes que eles
    dêem cabo de nós .
    Está tudo feito para o parasitismo dito sistema financei-
    ros nos dinamizar a nossa miséria e desgraça total , por i
    sso é que as leis e normas são sempre dúbias , para eles
    jogarem à.vontade .
    Custa-me a crer que ainda não tenham vistos estas joga-
    das sujas da Bancos , que eu há tantos anos ando a de-
    nuciar , sem ninguém ligar nehuma , nem as autoridades.
    Eles funcionam como uma autêntica Ditadura .
    Sobre as sujeiras da Banca e dos políticos que os apoi-
    am estaria anos a contar tristes histórias ou estórias ,
    sobre esta cambada , que me fazem lembrar o mafioso
    amercano John Gotti , que por fora andava todo aperal-
    tado para parecer pessoa de bem , como certas pessoas
    do dito sistenma financeiro , mas que elas , por dentro
    era negritude , crimes em cima de crimes .
    Hoje não há garantia de nada ,.não adiante fazer um pé
    de meia , porque estamos sujeitos a ficar sem nada .
    Creio que nem a Máfia conseguira fazer-nos tanto mal .
    São só jogadas .


  6. Este governo do PSDCDSPS não é de direita, é de extrema-direita.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.