Se Me Apoiares, Perduro!

Há um antes e um depois contando a partir do momento em que o peso-morto Relvas, autêntico São Sebastião da política, se arrastou para fora do Governo. Miguel Poiares Maduro tem moral interior e intelectual para defender ideias com substância mobilizadora na infecta e conspirativa arena doméstica e no areópago europeu, o qual, como se sabe, é uma casa em cacos, entregue às hienas do egoísmo dos mais fortes e respectivo cinismo político. A União Europeia, fenómeno que no Brasil testemunhei ser admirado como milagre de força coesiva político-económico, necessita de mais democracia e não de menos, mais participação cívica ascendente e menos directório verticalista. Nada mais deprimente que o desprestígio da UE, os seus impasses, o ritual ineficaz das suas cimeiras, a lentidão e impotência para apagar fogos e para o que realmente importa. A União, gigantesca e disforme, é um Ciclope Cego na iminência de tropeçar e tombar com estrondo. Daí que a ideia da eleição directa do presidente da Comissão Europeia pelos cidadãos dos 27 seria, como advoga Maduro, um bom passo para a União Europeia ter um capital político mais forte e para se ver livre de fantoches e canas agitadas pelo vento como Barroso e mesmo o simpático nulo Herman Van Rompuy, os quais falam, falam, mas não revestem a aventura europeia nem de carisma nem de rumo.

A imagem das instituições europeias degradou-se terrivelmente e o estalinismo funcional dos seus métodos exaspera os povos mais pressionados na austeridade e desequilibrados nos seus orçamentos, povos pouco tidos e pouco achados no processo edificador da União Económico-Burocrática dos últimos vinte anos. O ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional defendeu a ideia atrás exposta ontem, na Conferência sobre o Estado da União, em Florença, acrescentando o óbvio:  no actual cenário de crise, a Europa está perante um desafio democrático, decorrente da interdependência e da consequente limitação da capacidade de autogoverno dos seus membros, ao qual deve responder através de algumas mudanças políticas. Pode ser que Poiares insufle no Governo a materialização retórica, coesiva e convincente, de uma verdadeira estratégica nacional e, já agora, europeia, coisa que não se vislumbra nem de longe em qualquer dos líderes medianos que nela pontificam, de Merkel a Hollande.

E que se espalhe a palavra de D. Manuel, mais naus, mais velas, mais cartógrafos e marinheiros de barba rija, corajosos como ninguém. Bem sei que Maduro estava já fadado para desiludir algumas moças socialistas: cedo desiludiu naturalmente Estrela Serrano cujo monóculo analítico é, sempre foi, mais PS e mais Sócrates, ó, sim, ó, sim. Em todo o caso, leitores, podem cantar e dançar, em homenagem à revolução intelectual que Poiares promete e para esquecer a pobreza que nos entala, mas não impede o Estádio do Dragão de se encher, Sábado:

Ohh!
Yo pretty ladies around the world
Got a weird thing to show you
So tell all the boys and girls
Tell your brother, your sister
And your mama too
Cause we’re about to throw down
And you’ll know just what to do

Wave your hands in the air
Like you don’t care
Glide by the people as they start to look and stare
Do your dance
Do your dance
Do your dance quick mama, come on baby tell me what’s the word
Word up
Everybody say when you hear they call
You’ve got to get it underway
Word up, it’s the code word
No matter where you say it
You’ll know that you’ll be heard

Now all you sucker DJs
Who think you’re fly
There’s got to be a reason
And we know the reason why

You try to put on those airs and act real cool
But you’ve got to realize
That you’re acting like fools
Give us music we can use it
We need to dance
We don’t have the time
For psychological romance
No romance, no romance
No romance for me, mama
Come on baby tell me what’s the word
Word up
Everybody say when you hear the call
You’ve got to get it underway

Dial “L” for low…
Come on, all you people say…
W-O-R-D up – W-O-R-D up

Comments

  1. vmsda says:

    Deixar um comebtário?! … nem vale a pena …


  2. Aproveita! “Instrói te”. Como na canção:
    Muda de rumo, muda de rumo, já lá vem outro carreiro…


  3. A União Europeia , melhor , Desunião Europeia , não passa
    duma manta de retalhos governada por cínicos , que cada
    vez tem menos remendo , criada pelos gajos da Banca e
    seus sequazes .
    Na moralista Europa , está-se a caminhar cada vez mais
    para escravidão e miséria .
    Humanismo passou sou a ser uma mera palvra de compên-
    dio , que cada vez está mais em extinção .

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.