Retrato de Um Filho da Puta

Colin-Brewer-1Colin Brewer é um parvo com aspirações a ser cabrão!

Comments

  1. Mr. Brewer ilustra uma tendência recente – ou de intensificação recente – em Inglaterra. E não é só o Mr. Brewer: infelizmente, barbaridades do género vão saindo das boquinhas até de membros do governo… E nem sequer quero falar da política social e de saúde e o resultado (planeado…?) dos cortes deliberados que vão sendo feitos – sendo que, feitas as contas, até será talvez mais humano esmagar deficientes, doentes crónicos, reformados, etc. de encontro a uma parede, do que votá-los ao abandono completo como está a ser feito. Ainda a semana passada se suicidou mais uma idosa, por não ter com que ter uma vida minimamente digna. Desde a entrada em vigor do novo regime, há menos de dois anos, suicidaram-se já, pelas contas de quem toma nota (por exemplo o DNS), mais de 300 deficientes e doentes crónicos.

    E a propósito: esmagar borregos contra uma parede é, neste país, um acto de crueldade contra os animais, e como tal, por lei, criminalizável. O lavrador que o Mr. Brewer refere pode ser levado a tribunal, multado e impedido de criar ovelhas para o resto da vida. Não é irónico?

    • Claramente, a criatura não está só na sua “missão”:
      http://expresso.sapo.pt/hotel-espanhol-recusa-hospedes-com-sindrome-de-down=f807852

      • Faz uns meses largos, vi um empregado de uma cafetaria multinacional mandar uma mãe sair com o filho numa cadeira de rodas especial (suponho que com paralisia cerebral), porque estava ‘a fazer uma imundice no café’ (tinha entornado o batido com a excitação), e a ‘agredir’ (eu e outro levámos com uns salpicos) e a ‘incomodar’ os outros clientes – que se levantaram indignados e sossegaram a pobre mãe, e chamaram a polícia e o equivalente da DECO (The Trading Standards). Infelizmente, depois de uma atitude destas, é muito difícil continuar-se, e a senhora acabou por se ir embora mesmo.
        A notícia de Espanha não é nada que eu não saiba, a que não tenha assistido, ou a que não tenha sido sujeita, eu própria incapacitada motora. Por exemplo: na maioria das lojas, eu faço perguntas e peço coisas, e @s assistent@s respondem e/ou entregam ao meu cara metade, sem nem sequer me olharem na cara, quanto mais nos olhos. Estou a espera do dia em que me proíbam de entrar nalgum lado ou se recusem a me servir. E não é só nos estabelecimentos comerciais: é uma cultura que se estende ao estado. Quando pararam o meu subsídio de mobilidade, perguntei a criatura do Departamento de Trabalho e Pensões, em desespero de causa e depois de horas ao telefone e dezenas de cartas: o que quer que faça, que deixe de trabalhar e me deite a morrer? É claro que ela não era suficientemente culta para ter lido Faulkner, mas era suficientemente desumana para responder “Isso não é problema nosso, deite-se e morra se quiser.”

        Se quer mais barbaridades do género, mas insidiosamente disfarçadas como política social de crise, olhe para o que o Iain Duncan-Smith tem vindo a debitar.

        O cerco está feito. Por aí, por aqui, por Espanha, por todo o lado um pouco (lembra-me por exemplo que em vésperas de presidenciais EUA, um senador defendeu a pena de morte para jovens com problemas comportamentais – que de qualquer modo já são criminalizados por lei na maioria dos estados, por coisas ridículas como usar a roupa errada). Está-se a perder por completo a humanidade e a solidariedade – e o sentido das proporções. Ou as coisas mudam, ou caminhamos a passos largos para uma espécie de fascismo/nazismo, seja o que for que lhe queiram chamar, como a história nunca viu.

  2. Ausente Irreverente says:

    At glance este “ser humano” demonstra uma grande instabilidade psiquico/facial. I’m not going to waste my time with such rubbish.

  3. Maquiavel says:

    Palavras para quê, é o artista neoliberal…

    (ou “neofeudal”, vai dar ao mesmo)

  4. Infelizmente cada vez há mais sacanas completamente de-
    sumanos neste mundo e estou convencido que estanos a
    camainhar a passos largos para um novo e terrível gran-
    de Nazismo/Facismo . Coitados daqueles que fisicamente
    ou financeiramente estejam nesse estado .
    Veja-se o que se está a passar em Portugal .

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.