O prometido é devido

ng2584853

Prometi que daria os parabéns aos jogadores e técnicos do Benfica se fossem campeões europeus em hóquei em patins.

Normalmente, cumpro o que prometo. Não sou político. Faço-o como desportista, que me prezo de ser; faço-o em nome da honra, que os atletas do SLB conquistaram; faço-o em nome daqueles que não aceitaram a decisão zarolha de uns tantos que queriam conspurcar, mais uma vez, o desporto.

Luís Sénica é um treinador que admiro, avesso a protagonismos baratos. Ele construiu a única equipa capaz de se bater com o FC Porto, o que tem feito, não com o sucesso todo, mas com alguns momentos de sofrimento que tem causado aos portistas. E conseguiu, sobretudo, que os seus atletas respeitassem o grande rival, porque o morder os calcanhares, paulatinamente, ao grande rival é uma forma de o ir desgastando. Luís Sénica soube conquistar o respeito de quase todos, para além das querelas clubísticas.

O Benfica venceu, ontem, o FC Porto, no prolongamento, com um golo de oiro e é rei na Europa. Para os lisboetas, foi a primeira; para o FC Porto, seria a terceira vitória europeia numa final. Por tudo o que o Benfica tem dado ao hóquei português, que está bem ao nível desportivo, como disse Sénica, mereceu, finalmente, a coroa. Até porque o jogo, durinho quanto baste, foi jogado com extremo respeito por uma e outra equipa. E os jogadores até souberam resistir à tentação de provocar o adversário. E o FC Porto foi igualmente digno na forma como aceitou a vitória do eterno rival, aguardando em rinque para dar os parabéns ao vencedor.

Ainda bem que a futebolização não atingiu os intérpretes do jogo desta final.

É tempo de se ressuscitar um velho espírito do hóquei em patins, modalidade em que passei alguns dos momentos altos de socialização com o adversário, quer na Luz quer em Alvalade, mau grado os excessos de sempre por parte dalguns grupos organizados para confundir desporto com outra coisa menor, que nada tem a ver com o respeito exigido por aqueles que suam as camisolas em campo.

Parabéns, por isso, aos vencedores, ainda que equipando de vermelho e com a águia ao peito (ontem, equiparam de negro), pelos atletas que tem, pela equipa técnica que tem.

Parabéns aos atletas do FC Porto por terem honrado a vitória do adversário.

Foi bonito!

Foto: “roubada a “O Jogo”

Comments

  1. António Fernando Nabais says:

    Subscrevo completamente: o desportivismo é possível. Mais uma lição do professor Armindo.

  2. Konigvs says:

    Acho que o importante é salientar a vitória de uma equipa portuguesa numa modalidade que está cada vez vez mais moribunda. Já fomos os melhores do mundo durante décadas, agora já nem com o stick na mão somos grande coisa!

    Não acompanhei nada sobre o jogo, espero que vencidos, vencedores e espetadores se tenham comportado à altura, e não como aconteceu no jogo dos putos no Olival em que andaram todos à batatada.

  3. Um espectáculo com 3 campeões: os vencedores, os vencidos (pela atitude de respeito no final) e o hóquei em patins.

    A modalidade está viva e a final 4 só o comprovou. Venham as vitórias da selecção também sff.

    Este artigo é o 4º campeão, pelo desportivismo!

  4. No dia em que o desportivismo for impossível, deixarei de escrever sobre ele. Porque não consigo escrever sobre a morte.
    Ao Fernando Nabais, exactamente por essas lições de desportivismo que continua a dar-nos.
    À Catarina, pela distinção, mas só será vencedor o meu artigo se souber ressaltar as mentalidades que ainda acreditam.
    E, sim, Catarina, venham as vitórias das selecções!

  5. SALETE REGO says:

    subcrevo tudo que foi escrito,parabens ao BENFICA e todo o seu grupo como ao PORTO, porque são duas equipas portuguesas ,viva o nosso HOQUEI

  6. Maioral das Cabras says:

    Ó Armindo, este post até que lhe fica bem, mas não limpa a merda que você escreveu anteriormente.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.