O que se passa com Cavaco?

cavaco silvaCavaco é a expressão humana, na vida política, da maldade nacional – claro que existem outros, de outras bandas.

No activo desde há 25 anos, PM antes e depois PR, o cidadão algarvio, putativo, altivo, perverso e acossado, destaca-se também entre os mais pardos políticos nacionais da democracia.

Também é evidente que as prestações públicas, ao longo do tempo, se degradaram na qualidade do  exercício do alto cargo de que está investido. Contrariando o que tinha garantido poucos antes – o PR confessava-se muito mitigado nos poderes de intervenção na actividade governamental pela CRP –  enveredou pela contradição e comunicou ao país a deliberação própria do político prepotente, baseada claramente em difusa visão, irrigada de miopia:

  • Exigência de ‘Compromisso de Salvação Nacional’, a subscrever pelo PSD, PS e CDS – o BE e o PCP foram proscritos, sinalizando uma vez mais o PR não é, de facto, o “presidente de todos os Portugueses”, como propala;
  • Marcação de eleições antecipadas para depois de Junho de 2014, mais concretamente após o termo do PAEF firmado com a ‘troika’.

Só por tolice e apego ao poder, conforme esta manhã demonstraram na AR, Passos Coelho e Paulo Portas, especialmente este último, poderiam aceitar com bonomia a deliberação de Cavaco. E de Seguro, nem sei o que dizer, tratando-se, como é evidente, de figura demasiado lassa, instável e impreparada para resistir a influências de subir ao grande palco, de velas enfunadas, como é caso, por ventos de Belém. Aguardemos.

Mas, a adicionar aos impactes na vida política e socioeconómica nacional, sublinhe-se que a Cavaco ainda lhe restou talento para, como a famigerada comunicação, atemorizar os mercados e investidores, essas entidades divinas que neoliberais, Cavaco e outros que tais respeitam e adulam com solenidade.

Com efeito, fruto da comunicação de Cavaco, os juros da dívida portuguesa agravaram-se, destacando-se no quadro seguinte as taxas cobradas a Portugal para 2, 5 e 10 anos:

0001

De Paulo Portas, que faz da política um jogo de batoteiros, de golpes de ilusionismo da defesa da coisa pública  e, por exemplo, se aloja em hotéis de 6,5 estrelas em Nova Iorque à nossa custa, não nos surpreende a falta de decoro. De Passos Coelho e Seguro, dois ‘ex-jotas’ inabilitados, também conhecemos as incapacidades. Agora, do Professor Doutor de Finanças Públicas, lesar o país tão severamente, já nos levanta suspeitas dignas de reflexão e interrogação – o que se passa com Cavaco? Isto, para além da perversidade natural que lhe é própria.

(Adenda: Já depois de publicado este ‘post’, o Jornal de Negócios anuncia agravamento dos juros a 10 anos para próximo dos 8%).

Comments

  1. edgar says:

    Este compromisso se “salvação a médio prazo” não é o mesmo (não escrito) que tem governado o país nos últimos 38 anos?
    Os chamados partidos do “arco da governação” não são os mesmos que nos desgovernaram até aqui e que assinaram o tal “memorando-programa-de-recuperação-das-contas-pública” que executor-mor e defensor-mor deu como falhado?
    Estão é todos com medo que o povo lhes dê o que merecem.
    Meteram-nos da CEE, depois, na UE, depois no euro e depois no buraco sem nunca perguntarem o que quer que fosse aos que pagam a factura. preocupam-se mais com os credores do que com os pagantes. E, agora, querem institucionalizar a prazo a política que nos está a arrastar para a miséria e para a perda da soberania?
    Ainda há dias ouvi um dos “papagaios” habituais exaltadíssimo com a hipótese de se pedir a análise da legitimidade dívida.
    Será que alguém se exalta com a possibilidade de haver, pelo menos, erros se até o FMI e outros reconhecem erros no programas e no Excel?

    • Carlos Fonseca says:

      Caro Edgar,
      Há várias décadas que o poder em Portugal é detido por nefastas figuras do bloco central, conduzindo-nos à perda de soberania que o povo sofre, em milhões de casos, de forma dramática.
      Querem continuar isolados e protegidos no arco do poder a encaminhar-nos para um abismo ou hospício, demasiado desumano e duro.
      Cabe ao povo renunciar escolhas idênticas àquelas que o levaram à desgraça instalada na sociedade portuguesa..

  2. nightwishpt says:

    É o mesmo Cavaco dos últimos 30 anos, que ganhou o poder como ganhou e nunca mudou.


    • Há a sensação, e não apenas minha, de que o homem, além daquilo a que estávamos habituados, foi assolado problemas de ordem comportamental que intrigam.

      • nightwishpt says:

        Sofre claramente de demência grave. Se tivesse respeito por alguma coisa, à muito que se tinha ido embora.

  3. Alexandre Rodrigues says:


  4. “Eleito” como foi, com 2 milhões e pouco de votos “reais”, nunca foi o PR de “todos os Portugueses”… E enquanto não se “reformar \ re-estructurar” o sistema politico em si nunca teremos verdadeira democracia neste País.
    Os chamados “partidos do arco governativo” andam à anos a “lavar” as mentes deste povo com uma mentira altamente anti-democrática, mas da qual ninguém fala: “sem maioria não podemos governar…
    Em termos de representatividade este governo e até a própria Presidência da Republica já deram o que tinham a dar, vão “tapando a cabeça”, com uma mantinha curta, e destapando os pés. Desde o tempo “da outra senhora” não se viu ninguém tão agarrado “à mama” como esta corja de vampiros…
    Apesar disto tudo, é com verdadeira preocupação que reconheço que, na altura pròpria, este Povinho vai andar outra vez de “bandeirinhas no ar”, a cantar vivas, e serviçalmente a cumprir com o “beija mão” em feiras e mercados…
    Este compromisso de “salvação da classe abastada” Portuguesa tem que ser parado já, ou corremos o risco de passar para a dita “classe” todo o resto do já precário espólio da Nação…

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.