Sobre as pensões

Prefiro contratar um seguro de vida, que pode ser capitalizado ao longo dos anos, mas sempre de forma voluntária, com regras claras e montantes definidos, ao poder discricionário do Estado, que obriga os clientes cidadãos a contribuir para um sistema de segurança social, construído em pirâmide, onde as receitas podem ser manipuladas ao sabor do governo de turno. O problema mais uma vez é o excessivo poder do Estado, que dá e tira quando lhe convém.

Comments

  1. nightwishpt says:

    Pois claro, e quem não o fizer que morra na rua.
    Ah, não, resolve-se à maneira americana e obriga-se a pagar umas rendas aos privados para tratarem do assunto. Pena que o dinheiro é desviado com muito maior frequência, mas que interessa isso?

  2. António Duarte says:

    E quando as “regras claras e montantes definidos” dos fundos geridos por privados não impedem que o dinheiro se esfume em buracos financeiros e paraísos fiscais?
    Tapamos o buraco das poupanças privadas com o dinheiro do contribuinte?

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.