Antologia do disparate contemporâneo

ritacoelho

a professora da Universidade Católica Rita Coelho do Vale acredita que da turbulência saiu um consumidor melhor. “Mais racional, menos sensível ao aumento do ego e à compra em função da marca, com quase orgulho em ser racional.
Quem não perdeu rendimentos tem, hoje, vergonha no acto do consumo desmesurado”, defende. Os portugueses, diz, “chegaram ao limite do espartanismo” – in Público.

Espartanismo? ah! sim, sodomização.

 

Comments


  1. É mais uma a querer dourar a pílula, não me admiraria que qualquer dia ascenda a um lugar de topo da governança.
    Quem chama ao impobrecimento e miséria, “turbulência” tem futuro num país que é governado por aldrabões que colocaram milhares na indigência e milhões na pobreza. E o que virá depois da “salga” não augura nada de bom.

  2. Nightwish says:

    Mais uma idiota que nada percebe de economia. O dinheiro para as empresas vem de onde, ó inteligência? Nem todas ganham tusto à custa de abridores de portas.

  3. JgMenos says:

    Espantam-me os ideólogos do consumismo, os apóstolos do crescimento pela alienação consumista!
    Tudo serve para uma justa luta…


  4. Não percebi a origem do rancor quer do autor quer dos comentadores:
    Será porque a senhora tem razão (La Palisse não diria melhor)?
    Será porque é professora da universidade católica?
    Será porque criticou o consumismo, essa pecha do capitalismo, e por isso entrou em território da esquerda o que é inadmíssivel a quem dá aulas numa universidade de betinhos?
    Será porque não usou o termo “impobrecimento” (sic)?
    Será porque os espartanos também eram sodomitas e pensava-se que isso era coisa dos atenienses?
    Porque terá sido tanta turbulência?
    Valha-nos são Judas Tadeu, patrono das causas perdidas!


  5. Obrigado pelo elogio. Aquela velha lei da física que assegura voltarem sempre os idiotas ao local onde foram infelizes, nunca falha.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.