Portugal Surreal – Passos, Tecnoforma e trafulhice


Quem se sente surpreendido com o recente chafurdar na lama de Pedro Passos Coelho só pode estar a dormir há coisa de 3 anos. Quanto à honestidade do indivíduo já há muito que estávamos esclarecidos e sobre esse lodo chamado Tecnoforma só não viu até agora quem não quis. O que se compreende dada a apelativa oferta de lixo televisivo que vai prendendo tantas mentes neste país. Um tuga tem que ter as suas prioridades, se há cus, parolada e vacaria com força na TV, o país e o futuro podem sempre esperar.

Têm sido dias interessantes no desmascarar desse discípulo de uma longa linhagem de Cavacos e Sócrates. Que o Pedro abria muitas portas já todos sabíamos (leiam a entrevista do Fernando Madeira à Sábado, é reveladora). Que se relacionava com malta suspeita também. Que montou um esquema na blogosfera para destruir Sócrates e chegar ao poder o Fernando Moreira de Sá fez o favor do nos contar. Que deu à luz milhares de boys, mais até que a sua alma gémea Sócrates também não é novidade. O que aparentemente ninguém sabia, tirando aqueles que sabiam, é que este profissional do embuste poderá ter andado a receber umas coroas por fora enquanto deputado em regime de exclusividade. E quem lhe terá fornecido esses trocos? A Tecnoforma pois claro!

Voltando ao início, foi notícia que o primeiro-ministro estaria a ser investigado por violação do estatuto de deputado em regime de exclusividade e fuga ao fisco. Entretanto meteu-se o fim-de-semana e na Segunda-feira seguinte a secretaria-geral da AR veio informar que não senhor, que afinal não existia nenhuma declaração de exclusividade correspondente ao período em análise e que não lhe havia sido pago o complemento salarial de 10% correspondente.

No dia seguinte, tudo muda: o Público noticia que afinal a secretaria-geral da AR teria mentido no dia anterior e Passos não só teria exercido funções em regime de exclusividade entre 1991 e 1999 como havia recebido o subsídio de reintegração no valor de 60 mil euros. Ou mentiu ou foi incompetente ao ponto de se esquecer de consultar os arquivos oficiais. Ou, quem sabe, optou por tentar encobrir a questão. Uma das três, todas elas graves, há-de ter sido com toda a certeza. Assim sendo, e a confirmar-se que efectivamente foi remunerado pela Tecnoforma no período 1997-99, Passos recebeu 30 mil euros aos quais não teria direito, correspondentes ao período de 1995-99.

Chegamos então a meio da semana, Quarta-feira 24, e O Público avança com novo artigo sobre o tema, desta feita apresentado documentos assinados por Passos Coelho comprovando o que este artista requereu mesmo o estatuto de exclusividade bem como o subsídio de reintegração. Basta abrir o link e os documentos estão lá, escarrapachados para quem os quiser ver. Contudo, e à revelia do previsto na Lei de Acesso aos Documentos Administrativos, o secretário-geral da AR, um ex-governante social-democrata de seu nome Albino de Azevedo Soares, recusou-se a disponibilizar a restante documentação requerida, fundamental para uma análise objectiva desta questão, nomeadamente o parecer da Comissão de Ética, sem se dar ao trabalho de fundamentar a sua recusa, tal como previsto na mesma lei. O que não deixa de ser irónico quando o senhor Albino é membro da comissão de Acesso aos Documentos Administrativos que supostamente zela pelo cumprimento das disposições legais referentes ao acesso à informação administrativa.

Enquanto decorriam estes episódios da Casa dos Segredos laranja, o Expresso aproveitava para informar que os alegados crimes de Passos já teriam prescrito, só para o caso da coisa correr mal. Ontem, a PGR veio confirmar que não pode investigar a suposta criminalidade de Passos Coelho por esta, a existir, já ter efectivamente prescrito. Tudo isto apesar de Passos ter solicitado à PGR para averiguar se algum ilícito teria sido cometido. Porque o homem, coitado, já não se lembra. Afinal de contas, o que são 150 mil euros eu suaves prestações de 5 mil? O outro também não se esqueceu de declarar 8 milhões de euros ao fisco? Vá lá, quem nunca se esqueceu de ninharias destas que atire a primeira pedra! Ele não fez por mal… Mas, fazendo aqui uma pequena incursão no campo da conspiração, será que Passos, esse ser humano tão puro e honesto, não saberia de antemão que a PGR não poderia investigá-lo e dai o pedido, tão elogiado pela sua legião de fãs de abanadores de bandeiras?

No meio de tudo isto temos os súbditos leais. Marco António Costa, o maçon que em tempos terá supostamente colocado Passos na posição de escolher entre eleições no país ou no PSD, veio a público afirmar que Passos é um “referencial de comportamento ético e de transparência. Trocado em miúdos, ou este gajo pensa que somos todos da JSD ou toma-nos a todos por parvos. Ou então considera que mentir para ser eleito, fazer-se rodear de Relvas e Loureiros e todas as outras façanhas referidas no segundo parágrafo deste escrito são sinónimos de ética e transparência. Outro destacado maçon, Luís Montenegro, o tal que há uns tempos atrás se saiu com aquela pérola “A vida das pessoas não está melhor mas o país está muito melhor“, afirmou ontem, em nome do grupo parlamentar do PSD, que Passos não iria responder a perguntas dos deputados relacionadas com este escândalo. São duas faces de um partido que rosnou que se fartou enquanto Sócrates não caiu. Onde estão esses moralistas agora? Onde estão os representantes do povo que já julgavam Sócrates quando, tal como agora, a esmagadora maioria das acusações não passavam do campo da especulação? Não estão. E não estão porque para esta gente só existe o partido e o poder, a justiça, a legalidade ou ética são-lhes completamente irrelevantes. Até São Marcelo afirmou acreditar na inocência de Passos Coelho: “Eu acredito quando ele diz que não tinha noção que estava a violar a lei” disse o so called independente que chegou a ser um incómodo catavento mas que acabou por capitular no último congresso do PSD. É o que dá andar a encher o Parlamento de jotas, tão incompetentes que nem as regras pelas quais se rege o seu local de trabalho conhecem.

Resumindo e concluindo, o que temos então? Desonestidade, violação do estatuto de deputado em regime de exclusividade, fuga ao fisco, 30 mil euros sacados ao Estado de forma ilícita, responsáveis políticos incompetentes e mentirosos, instituições que não funcionam, prescrições, boys e propaganda. Pelo meio ficaram declarações de IRS, requeridas por lei, referentes ao período 95-99 por entregar na AR, fundamentais para comprovar se Passos teria ou não recebido rendimentos incompatíveis com o regime de exclusividade que requereu. A impunidade é total. E no meio de tudo isto, a parte mais relevante deste jogo trafulha continua a passar por entre os pingos da chuva sem que nada aconteça. É que estes 150 mil euros não são nada quando comparados com o esquema mafioso orquestrado por Passos e Relvas na Tecnoforma, que envolve outros nomes como Agostinho Branquinho, Aguiar-Branco, Vasco Rato ou Paulo Pereira Coelho. E aqui não estamos a falar de meia dúzia de robalos, estamos a falar de muitos milhões de euros.

Deixo-vos com a música dos Dealema que dá o nome a este artigo, que apesar de não ser nova e ter como principal visado José Sócrates, se aplica como uma luva ao estado de coma de um país que cada vez mais parece gostar de ser enganado, ultrajado e roubado. É muito triste esta sensação de viver no terceiro mundo onde idiotas com esquemas mal montados e perfeitamente falíveis conseguem manter-se à tona enquanto país afunda. Mais triste ainda quando percebemos a quantidade de ovelhas patéticas que os seguem sem nada questionar. O manual é muito claro não é João?

Comments

  1. Obviamente! Disseste praticamente tudo! Apenas te esqueceste na parte introdutória do post de um imput: o papel da Maria Luis no IGCP como bufa do estado das finanças do estado. Cada informação que a Maria prestava foi aproveitada pelo Passos para capitalizar junto do governo e antecipar o pedido de resgate.
    Sempre pensei que o Ministro Relvas era o garante do Coelho na governação. Pela máquina interna que puxou a favor do amigo quando este foi candidato à liderança do partido e pelos podres do passado que guardou e que poderia ter largado aquando da sua demissão. Só assim se explica a razão pela qual o PM aguentou aquele ministro durante tantos meses.
    De resto concordo contigo em tudo! Com ou sem exclusividade, com ou sem declaração de rendimentos de 1999, com ou sem conhecimento do Parlamento, defendo que se existe uma acusação do género, o visado, pela posição que ocupa deverá entregar o caso à justiça e demitir-se do cargo que ocupa. É o mínimo da decência.

    • por acaso esqueci-me da Maria Luís. é outra que passa com facilidade entre os pingos da chuva…

      quanto à possibilidade do artista se demitir, já não acalento esse tipo de sonhos. mais rápido vemos o Seguro a esmagar o Costa nas eleições de Domingo!

      • Meh… Não creio em nenhuma das possibilidades João. Tanto o Passos é viciado no poder porque acredita que um dia a história o irá julgar como um salvador da Pátria, como o Costa foi inteligente ao criar um hype sebastianista junto da manada socialista.

        • hype só comparável ao boneco animado do Seguro a falar na separação entre política e negócios. adoro ver estes gajos em campanha. o Passos era a verdadeira revolução lol

  2. el portela says:

    No tempo das vacas gordas o ministro Miguel Relvas tinha muito dinheiro para formação e viu na Ordem dos Arquitectos um potencial interessado para os seus fundos e agiu em conformidade. A presidente da Ordem arq. Helena Roseta aceitou no primeiro momento, para logo a seguir recusar, porquê? Havia na oferta uma condicção vil; teria de ser a empresa do sr Passos Coelho a fazer a formação.
    Posto isto pretendo saber se o ministro Relvas foi ou não governante em exclusividade de funções.

  3. concordo com o que felizmente foi realçado: não estamos a falar duns robalos mas de milhoes…certo mas ainda ficou pela rama: o que verdadeiramente devia preocupar os politicos, comentadores e principalmente os cidadãos eram os milhares de milhoes que foram torrados pela tecnoforma, Partex e outras em formações tipo guardadores de terrenos para avionetas que não temos e que foram dados(mesmo dados) pela Merkl e ccompinchas para que estes mesmos distraidos cidadãos tivessem mais bem preparados para enfrentar o mercado aberto que aí vinha. Alguem destes intelegentes cidadaos se preocupa com os milhares de milhoes? nada a culpas é da Merkl e o crime maior foi uns trocos que coelhinho recebeu como dezenas doutros…grande casa dos segredos dois.

  4. azurara says:

    Você deve considerar seriamente a vantagem de ir ao médico para lhe receitar a vacina da raiva. Ah! De caminho, peça-lhe também antipsicóticos.

    • E o caro Azurara pode passar pelo supermercado e comprar um tacho novo se o partido não lhe der um em breve. se já tiver a língua gasta de lamber botas pode também comprar uma de porco no talho e instalar! um abraço boy!

  5. então o P C P não denuncia está corrupção ?

Trackbacks

  1. […] Portugal Surreal – Passos, Tecnoforma e trafulhice. […]

  2. […] Portugal Surreal – Passos, Tecnoforma e trafulhice […]

  3. […] Lola Benvenutti vende “exclusividade e não um corpo“. E parece estar em excelente tecnoforma. […]

  4. […] natural do capacete casca de ovo que até agora pertencia ao Calimero socialista. Pobre homem! Isto das tecnoformas e das ONG’s é tudo uma armadilha porque ele, coitado, afronta os interesses instalados e, ao que tudo indica, […]

  5. […] ou acredita na honestidade do homem que faz da mentira uma arma política, ou acredita nos factos, aos quais se acrescentam os aqui citados, e, fazendo uso da lógica, percebe que o […]

  6. […] com que a mesma desapareceu parece que será mesmo este ano. Aguarda-se uma visita triunfante do especialista em ONG’s oriundo de Massamá para um belo momento de propaganda eleitoral, já com as Legislativas deste ano […]

  7. […] o aproximar das eleições legislativas, a coligação que suporta o governo do desonesto porém versado na arte de abrir portas Pedro Passos Coelho conheceu ontem um episódio invulgar: o PSD convidou o seu partido irmão […]

  8. […] tempo para cumprir as suas promessas. Já Passos Coelho encontra-se em contagem decrescente para voltar a abrir portas numa Tecnoforma perto de si. Com alguma sorte ainda acaba no mesmo condomínio fechado de José Sócrates. Vou torcer para que […]

  9. […] o que nos vale é que lá para Outubro não os voltamos a aturar e, quem sabe, as WeBrands e as Tecnoformas desta vida ainda aumentam a vizinhança do preso nº44. Voltando ao prémio da imbecilidade, creio […]

  10. […] mais um caso polémico e nebuloso de incumprimento fiscal do primeiro-ministro, que se junta ao recente caso de alegada violação do estatuto de deputado em regime de exclusividade e fuga ao fisc…. Apesar do esforço de se demarcar de Ricardo Salgado, Passos Coelho e o antigo DDT partilham […]

  11. […] mas não paga. Um contador de histórias que não declara as suas actividades, algo que de resto não é novidade nenhuma. Um contador de histórias que não só não corrige estas injustiças como contribui para que se […]

  12. […] que se esquiva aos impostos alegando desconhecimento de leis por si aprovadas enquanto deputado, que se envolve em esquemas manhosos de “aberturas de portas” está longe de ser um referencial de estabilidade. É um referencial do que de pior se faz neste […]

  13. […] “quem tem rabo tem medo e quem tem rabo de palha tem ainda mais“. E não fosse a Urbe transformar-se noutra Tecnoforma, há que por a especialidade de Passos em prática e abrir uma porta ao […]

  14. […] porta da Tecnoforma parece estar para fechar. Será que a história fica por […]

  15. […] pelo Jornal de Negócios, o secretário-geral da AR Albino de Azevedo Soares, o social-democrata que tentou ajudar Pedro Passos Coelho a ocultar o vergonhoso e mal explicado cas… disse ao diário que “A carreira de assessor parlamentar é uma carreira especial, que […]

  16. […] Sempre desconfiei que Pedro Passos Coelho tinha como grande referência o humor sagaz e refinado dos Gato Fedorento. Do livro que não existe mas que o primeiro-ministro cita e afirma ter lido à tirada épica sobre essa grande referência empresarial que é Dias Loureiro, passando pela comédia das contas que se esqueceu de pagar à Segurança Social, pela piada dos empregos que não queria dar aos amigos ou pelas anedotas diárias que nos servia durante a campanha para as Legislativas de 2011, é notório que Passos passou ao lado de uma grande carreira humorística. E como foi possível constatar esta semana, ideias não lhe faltam. Um potencial inventor de tudo que abre portas nas horas vagas. […]

  17. […] jardinista é tal que, em ano de eleições que decidem se continua a aldrabar os portugueses ou se vai abrir portas para uma Tecnoforma qualquer, até Pedro Passos Coelho vai discursar na herdade do regime mantida pelos nossos impostos e pelos […]

  18. […] de ser sancionados do ponto de vista financeiro e criminal“. Quem andava na linha da frente a abrir portas para a Tecnoforma? Pedro Passos Coelho. Quem geria o programa Foral? Miguel Relvas. Será que fogem para Paris para […]

  19. […] Coelho já terá muito com que se preocupar quando a imunidade que o protege deixar de existir e a Tecnoforma voltar à ordem do dia. Até lá, o julgamento a que o primeiro-ministro estará sujeito prende-se […]

  20. […] Pedro, o apóstolo, Pedro, o abridor de portas, renegou hoje o seu amigo, companheiro, conselheiro e referência (espiritual?) Dias […]

  21. […] sociais que constam no seu programa e o sucedido resulta imediatamente num triunfo absoluto do homem que abria portas na Tecnoforma. Interessante a ausência de comentários dos abanadores de bandeiras da coligação sobre o grande […]

  22. […] para voltar a entregar o país a um primeiro-ministro que mente, que foge aos impostos e que participa em esquemas de gestão clientelista de fundos comunitários e ao seu compincha que – perderia aqui um dia só para fazer um resumo “curricular” – […]

  23. […] Passos Coelho (primeiro-ministro cessante): figura central no caso Tecnoforma, sob investigação do Organismo Europeu de Luta Antifraude. Fuga ao fisco. Violação do estatuto […]

  24. […] superioridade moral que tenho ouvido em diferentes declarações de destacados dignatários do PSD. Refiro-me à encenação de Pedro Passos Coelho, por altura do caso do seu regime de exclusividade, durante o qual o ex-primeiro-ministro mentiu aos portugueses e no Parlamento, sem que uma única […]

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Alterar )

Connecting to %s