Autarcas que poderão vir a despedir professores: Guilherme Pinto

A municipalização da Educação já integra as Grandes Opções do Plano em Matosinhos.

guilhermepinto

 

Guilherme Pinto, Presidente da Câmara de Matosinhos (Grupo de Cidadãos Eleitores Guilherme Pinto por Matosinhos, antigo militante do PS)

correiapinto

Correia Pinto, professor, Vereador da Educação (Grupo de Cidadãos Eleitores Guilherme Pinto por Matosinhos, antigo militante do PS)

Comments


  1. Não sei se o objectivo destes posts é envergonhar políticos que praticam (ou podem vir a praticar) tais medidas mas o mais provável é escudarem-se atrás de “cortes de custos” e “seriedade na gestão” e os seus eleitores baterem-lhes palmas. Portugal sempre gostou de (e elegeu) tecnocratas “austeros e sérios”.

  2. Ferpin says:

    Posso estar enganado, mas se fosse professor em Matosinhos não estaria preocupado com o perigo de despedimento. Matosinhos tem uma tradição de investir em educação, mesmo sem comandar a coisa. Já a colocação futura por cunha será inevitável.

    O problema para mim é a eventual escolha de algumas poucas câmaras em que a municipalização possa funcionar bem ( por exemplo com forte investimento da câmara dando às suas escolas recursos em falta), e depois alarguem a coisa ao país, com as consequências óbvias.

    Como se pode deduzir, penso o pior possível desta coisa da municipalização .

  3. Ferpin says:

    Já agora acrescento que o Guilherme pinto também era professor.

  4. joao lopes says:

    a “municipalização” do ensino está em marcha.mas o governo também pretende “entregar” os cuidados de saúde primários aos municípios e à santa casa da mesericórdia. e eu estou com vontade de “entregar” o marido da Albuquerque e a maria “perna gorda” no…julio de matos.e 100 mg de haldol decanoato só para começar…

  5. carla cerqueira says:

    Isto é ridiculo pois o sr.Guilherme PINTO é das pessoas que mais se preocupa com a educação, minha filha é do ensino especial e frequenta a piscina em Perafita gratuitamente,ele preocupa se logo não me acredito na postagem.

Trackbacks


  1. […] António Nabais relembra Matosinhos e Oliveira de Azeméis, mas eu acrescentaria […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.