José Sócrates não devia ter sido o primeiro ex-primeiro-ministro a ser preso em Portugal

Diz Mário Soares, em mais uma intervenção em defesa de José Sócrates, que não existe Justiça em Portugal.
É espantoso que alguém que foi primeiro-ministro por 2 vezes e presidente da República durante 10 anos venha agora confessar que, enquanto governante, nada fez para que existisse Justiça em Portugal.
Mas Mário Soares sabe bem do que fala. E tem toda a razão. É que, se existisse Justiça, José Sócrates não teria sido o primeiro ex-primeiro-ministro a ser preso no nosso país.

Comments


  1. Um fascista, perdão um xuxa não gostou desta publicação.

  2. Mário Reis says:

    Hum!!! parece-me que estratégia da xuxaria começa a resultar…
    que interessam a boa vida e os muitos milhões; a denúncia financeira (obrigatória por lei e não por conveniência de alguém) que deu origem ao processo e nada congruente com os rendimentos declarados do suspeito; o facto de sabendo que os seus amigos tinham ido de cana, fazer marcha atrás no embarque; ter dado ordens para “limpar” as coisas…lá de casa; as contradições do ora arrenda, ora compra, ora vende, ora empresta, ora herdou… etc. Para quem tem de decidir… porque coloquemo-nos no lugar de quem tem que decidir uma medida de coação, e especificamente no caso José Sócrates, faz o quê? Sobretudo quando é sabido que o arguido tinha viagem para o Brasil marcada para 2 dias depois.
    Independentemente de nenhuma das suspeitas vir a ser provada (coisa tão rara como se sabe…) ou até que se demonstre terem as mais cândidas das explicações, há alguém que duvide da lógica precedente à detenção do arguido para interrogatório?! Começam a enojar: as excursões, as declarações, as missas e imprecações da pandilha que floresceu à volta dos negócios com fundos públicos, que enfraqueceu o Estado e tornou a Justiça mais cara e inacessível. A justiça é economicamente acessível apenas a quem tem (muito) dinheiro. É difícil aceder às provas constantes do processo durante a fase de inquérito? Esta alteração, foi uma alteração… do Governo de Sócrates. Afirmar, como afirma, que o juiz não apresentou nenhuma prova (!!!), que as pessoas são condenadas sem qualquer julgamento, que são acusadas injustamente, que este é um caso político – não chega a ser sequer um «vir contra facto próprio». É um nojo!

    • ferpin says:

      Já ouviu falar de apreender o passaporte? Lá se ia a viagem ao brasil dois dias depois.
      Só espero que o juíz tenha mesmo provas para condenar o socras, provas mesmo, porque senão a ligeireza de espetar com ele na cadeia ainda nos pode custar a todos uma batelada.

      • Mario Reis says:

        Percebo que seja dificil entender, tratandode quem se trata. Outra pessoa em seu lugar e ninguem vociferava assim. O juiz nao tem que ter as provas, é a acusacao! Provas que o inquérito ha de ou nao reforcar. Nesta fase o juiz aprecia factos e indícios. Para o bem de todos apure-se tudo!

  3. Alvaro T. Campos says:

    Triste ver a esquerda a alinhar com a direita quando se trata de fazer o que for preciso para garantir que o inimigo histórico não se levanta tão depressa. Anti-socialismo primário, e desonestidade intelectual. DEviam mas era escrever sobre o abuso de poder de quem prendeu sem acusação formal nem provas, e sobre o cavaquismo, que tem tantas ou mais culpas que o soarismo no cartório dos danos ao Estado, veja-se por ex o BPN não é? Mas não, preferem cantar em coro com os actuais governantes e atribuir ao PS a culpa de tudo, cabeças de minhoca, depois queixem-se

    • Ricardo Santos Pinto says:

      Claro que sim. Só os fracos é que devem ser presos sem acusação formal. Quanto aos ricos e poderosos, só com acusação formal e, claro, sem possibilidade de prisão preventiva, seja qual for o crime.
      Por que é que só se incomodam com estas coisas quando cai nas malhas da Justiça alguém poderoso?
      Sabe quantas pessoas é que são presas preventivamente, todos os anos, sem que haja acusação formal? Se o sistema é mau, por que é que o PS não o mudou enquanto governou entre 1995 e 2011? Ou só é mau porque é José Sócrates que está em causa?
      Claro que o cavaquismo fez muito mal ao país e continua a fazer. Mas não é por uns serem maus que os outros passam automaticamente a ser melhores. Soarismo, cavaquismo e socratismo são várias faces da mesma moeda, cada qual pior que as outras.

  4. niko says:

    é só para lembrar a escumalha do P S D que o cavaquismo alberga a maioria dos ladrões do dinheiro dos contribuintes

  5. orquídea says:

    Infelizmente não é só o PSD a sofrer de cleptomania, megalomania e outras terminadas em ia. Também o PS e até o PCP. Vejamos, neste último caso quando se criou o projecto contra o enriquecimento ilícito. O PCP não aprovou e mais, o levantamento da retração das subvenções vitalícias dos deputados tb o PCP tinha aprovado, ou seja, queria usufruir dos benefícios vitalícios apesar da crise. São todas a mesma coisa!!!! Não temos políticos credíveis. Estão crivados de vícios e a cultura existente entre a classe política é: Safa-te o melhor que puderes. É tipicamente português.

Trackbacks


  1. […] José Sócrates não devia ter sido o primeiro ex-primeiro-ministro a ser preso em Portugal. […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.