Fisco em incumprimento

José Valente

Foto@Global Imagens/JN

Apresento-vos José Valente. Desempregado desde 2012, este cidadão acumulou uma exorbitante dívida de IMI no valor 800€, dívida essa que, juntamente com o atraso de algumas prestações do seu crédito à habitação, lhe custou a casa onde vivia. Segundo o JN, a casa foi posteriormente vendida em leilão e, saldada a dívida, sobraram cerca de 17 mil euros. De despejado a credor do fisco, a situação de José Valente conheceu uma reviravolta no mínimo irónica.

Contudo, e à imagem de outros caloteiros que por aí andam, a autoridade tributária não pagou ainda o que deve ao seu novo credor. E 17 mil euros são capazes de dar jeito a um “desalojado”. Claro que, ocupado como tem andado a penhorar bolos, o fisco continua em incumprimento com José Valente. Isto de honrar dívidas anda pelas ruas da amargura.

Comments


  1. – Ah pois é! “Isto de honrar dívidas anda pelas ruas da amargura”, mas ao que parece, SER-SE CALOTEIRO PERMISSIVO está em voga, principalmente entre os jotas; e estou a recordar-me do sr. PASSOS CALOTEIRO.

    Ainda assim, há quem lhe siga as pisadas – O FISCO! – na regularização de dívidas e prejudique morosamente não um, mas milhares de contribuintes em situação análoga à de José Valente, e bem assim, que esperam e desesperam serem ressarcidos pelo FISCO CALOTEIRO!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.