A heresia de Joachim Gauck

Gauck soll neuer Bundespräsident werden

Momentos de intimidade como o retratado na foto poderão ter os dias contados. Tudo porque o senhor Joachim Gauck, Presidente da República da capital do império europeu, admitiu a hipótese do seu país pagar as indemnizações reclamadas por Atenas que resultam da ocupação da Grécia pelo III Reich, o que inclui empréstimos forçados concedidos pelo Banco Central da Grécia aos nazis.

É certo que o poder está concentrado no executivo de Angela Merkel, assumidamente contra o pagamento de qualquer tipo de indemnização resultante das aventuras imperialistas dos seus antepassados, e que Joachim Gauck pouco mais representa do que uma figura decorativa sem grande poder de decisão. Mas a coragem do presidente alemão poderá dar nova vida à discussão de uma reivindicação legítima. Dizer que “Não somos apenas um povo que vive nos dias de hoje, somos também os descendentes daqueles que deixaram para trás um trilho de destruição na Europa” são palavras sobre as quais todos os alemães podem e devem reflectir. Até porque se Tsipras se lembrasse de alegar que a herança de endividamento corrupto e irresponsável que recebeu do bloco central grego não lhe dizia respeito, que fazia parte do passado, usando a alegação como argumento para se recusar a pagar a dívida grega, algo me diz que a heresia não seria bem recebida. Ou pagam todos ou não paga ninguém.

Comments

  1. Rui Silva says:

    Só que aquando da capitulação da Alemanha foram celebrados acordos entre os intervenientes que entraram em linha de conta com a reconstrução e indemnizações de guerra etc, etc.
    Se isso fosse agora quebrado, qualquer pais poderia ter a tentação de vir revindicar mais que o que foi acordado. Situação que até já foi tentada pela Itália aqui á uns anos atras, sem sucesso.
    Ia criar-se uma situação idêntica á que deu origem á 2º guerra mundial. E isso não me pareasse muito plausível que vá acontecer .

    cumps

    Rui Silva

    • Hélder Pereira says:

      É precisamente o cumprimento integral desses acordos que a Grécia reclama e nem mais uma vírgula. Alterar acordos, quem está a falar nisso?
      A Alemanha não cumpriu unilateralmente com as suas obrigações para com os gregos, sobretudo depois de 1990.
      Se as dívidas são para se pagar como o executivo alemão defende, então é válido para todos.

      • Rui Silva says:

        Caro Hélder Pereira,
        A Grécia deve estar a referir-se ao valor que na altura das conversações de paz e subsequentes acordos pediu. Esse valor nunca foi aceite e o valor acordado foi pago integralmente.
        Mas de qualquer modo, caso a Grécia ache que tem direito a mais, não irá ser ela a decidir. Terá que se submeter ás instancias internacionais que tem o poder legitimado para decidir sobre estes assuntos. Conhecendo-se agora este tipo de governantes atuais da Grécia seria o máximo serem juízes em causa própria. Ia ser bonito, incendiavam a europa toda, não tenha dúvida.

        cumps

        Rui Silva

        • qwerty says:

          “não tenha dúvida”
          hahaha!
          sobre o que tu escreves, ter dúvidas é a primeira medida higiénica a ter..


    • Subscrevo a opinião do Hélder Pereira e acrescento que se torna difícil ter uma conversa séria consigo quando apresenta argumentos como “Conhecendo-se agora este tipo de governantes atuais da Grécia seria o máximo serem juízes em causa própria. Ia ser bonito, incendiavam a europa toda, não tenha dúvida.”. Diz muito sobre o enviesamento a priori do seu pensamento.

  2. NIKO says:

    por momentos pensei que era o governo do ppc a bater o pé aos poderosos ,mas enganei-me ,o governo do ppc foi o primeiro a baixar as calças .

  3. Tiago says:

    Reclamar à Alemanha reparações sobre a invasão da Grécia durante a Segunda Guerra Mundial, 70 anos depois da guerra ter terminado, cheira a oportunismo grotesco.
    Que reclamem também uma indemnização à Turquia pelos mais de 3 séculos de ocupação Otomana, e à Itália pelos quase 5 séculos de ocupação romana. Ou se calhar talvez não, não vão países do Médio Oriente lembrarem-se de reclamar indemnizações à Grécia pelas ocupações de Alexandre, o Grande!


    • Não são apenas reparações relativas à invasão. São empréstimos que o Reich obrigou o banco central grego a fazer. Oportunismo? Nada disso: justiça da mais básica que existe. As dívidas são para serem pagas e a comparação com a ocupação otomana faz pouco ou nenhum sentido.

Trackbacks


  1. […] Depois do Presidente da República alemão se mostrar favorável à discussão de uma possível in…, Angela Merkel surpreende ao afirmar: […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.