Da Grécia, sem amor

vaso grego
Dedicado a Camilo Lourenço, José Manuel Fernandes, José Gomes Ferreira, José Rodrigues dos Santos e outros mentirosos, a todos os que por estes dias andaram por Atenas reduzindo o jornalismo a prostituição de rua, e sobretudo aos respectivos patrões.

Comments

  1. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    E ainda a António Esteves Martins, o correspondente da RTP em Bruxelas.
    O homenzito é insuportável e é perigoso, porque passa a vida a dar uma no cravo, outra na ferradura.
    Acho que vota PS (refiro-me ao rosa…)

    • Mário Reis says:

      Comentário do dito esterco:
      “Tsipras e Varoufakis arrogantes e irresponsáveis…”
      E o Schäuble, e os camaradas Dijsselbloem e Shulz, são o quê?

      • O holandês é um salafrário que se esqueceu que não frequentou uma universidade que viu numas fotografias de um amigo…O outro, o Swein, acho que tomou cianeto,não foi?

  2. Maria says:

    Mas ta Forte!!!

  3. Joao Jose Tavares Capelo says:

    Não estou em Portugal, e triste esses jornalistas sem nível, miseráveis.o mal e que ganham bem e saíam cedi.mentiríeis.

  4. Joao Jose Tavares Capelo says:

    Mentirosos.

  5. jorge says:

    país democrático que é Portugal, com informação distorcida e tendênciosa…comida pelo Zé povinho….vejam a verdade a arealidade informativo nos canais estrangeiros, abéculas

  6. Mário Reis says:

    JJC voltou a esquecer-se da Zita

  7. Rui Moringa says:

    Os Gregos gregaram. Afinal têm potência. mesmo numa entrada de arrécuas.
    Não sei por que se espantam com esses papagaios maltrapilhos. Não os ouço nem os leio. Poupo o dinheiro dos jornais e poupo o meu rico cerébro a interpretações que não vão para lado nenhum.

  8. E mais akele A. Costa do económico, lambe-botas.

    O moço estava nervoso!!!!!

  9. carlos ferraria says:

    o jornalismo português está corrompido e limitado por uma ditadura camuflada de “democracia”!!! só mesmo os ignorantes é que acham que vivem em liberdade.

  10. Excelente!

  11. Ou seja, são vendidos porque não escrevem o que a extrema- esquerda quer ouvir. E são classificados como “mentirosos” por não enaltecerem a “coragem” do “povo grego” e por ditarem o que vêem. Chatice, esta coisa do não pensarem todos da mesma forma.
    Já os srs Tsipras e Varoufakis são de uma sinceridade atordoante. O primeiro até era absolutamente contra qualquer tipo de referendo em 2011, vejam lá.

    • Não é pensar de outra forma: é mesmo mentir. Como por exemplo falar de ajuda à Grécia quando forma lá safar os bancos alemães e franceses, e o BCP, já agora.

      • Perdoar dívida não é ajudar? E por exemplo, quais são as mentiras” de Rodrigues dos Santos? Suponho que estivessem a falar das reportagens por alturas da campanha eleitoral.

        • Qual perdão? O negócio que acabou com a transferência da dívida aos bancos passando-a para a posse dos estados?
          Qual Rodrigues dos Santos? O vigaro que ainda ontem manipulava os números da economia portuguesa como se estivéssemos no paraíso? O tipo que fez o alinhamento do telejornal de segunda-feira? O que faz sopa de leite de humano?

    • Aqui..nos comentários há quem pense que a maioria de nós só quer e aceita a opinião de jornalistas de esquerda! Por mim falo..que apenas quero acima de tudo um jornalismo serio, anti-partidário e que se limite a noticiar os factos. O jornalista integro não comenta, nem opina, apenas questiona. Os comentadores…esses sim não conseguem diferenciar-se da linha… que lhes paga. Pode não se concordar, mas não se deve deixar de ser isento. Lamentável a posição de quase todo o jornalismo e comentadores portugueses que se dizem tão apartidários. Não confundir…com a nova moda dos “políticos” comentadores… nena

  12. Alfa says:

    Quando os gregos cá vierem pefur mais dinheiro também faço como eles: digo NÃO!

  13. omaudafita says:

    Sem esquecer o Luís Delgado!

  14. J.Pinto says:

    Depois desta bela foto, o que é que querem? Não me digam que querem o nosso dinheiro? Mais?

    Mas para não terem austeridade precisam do nosso dinheiro? Não para não terem austeridade sem precisarem do nosso dinheiro?

    • Insiste, insiste, insiste. O tal nosso dinheiro não foi para a Grécia. Mas isto já nem é mentir, é azia.

      • J.Pinto says:

        Não vale a pena tentar desviar com azias e outras coisas. Se coisa que não tenho azia é da Grécia. Não gostava de estar na pele deles. Por isso não posso ter azia.

        Se o dinheiro não foi para a Grécia, então este que eles querem agora também não vai, é isso? Se não vai, não precisam de estar preocupados.

      • J.Pinto says:

        A vossa história é sempre a mesma. O dinheiro não foi para a GRécia; foi para os bancos alemães. Algum do dinheiro para pagar aos credores da Grécia, em que se incluem bancos alemães e outros. Repito: para pagar aos credores da Grécia – significa que a Grécia lhes tinha pedido emprestado, ou não?

        • Quem empresta a quem não terá condições de pagar, tem um destino: não recuperar o empréstimo. É o mercado, estúpidos, o risco nem sempre compensa.
          Quem empresta, com juros, para salvar os seus próprios bancos, e ainda tem a lata de lhe chamar ajuda, tem outro nome: canalha.
          isto não é a “vossa história”, são factos, mais que comprovados. Ficções sobre o que aconteceu é do vosso lado, e vão desde a tal ajuda à anedota-mor de que a Grécia estava a recuperar, e em Portugal correu tudo bem, estamos a crescer, o desemprego é de 13%, está tudo bem, quando temos a economia devastada, perdemos meio milhão de empregos, e as dívidas, pública e privada, aumentaram.

          • J.Pinto says:

            Claro que sim, estúpidos.

            Por isso mesmo é que agora querem dinheiro e vão chupar no dedo, estúpidos. Nunca pagam e mais cedo ou mais tarde as pessoas concluem que se trata de caloteiros.

            “Quem empresta, com juros, para salvar os seus próprios bancos, e ainda tem a lata de lhe chamar ajuda, tem outro nome: canalha.”. Mas quem é que emprestou novamente?

            Claro que em Portugal está a correr tudo mal. O desemprego está nos 13%, mas no país dos inteligentes está nos 25% ou 26%, bem menos, portanto.

          • Nightwish says:

            Querem dinheiro, que nunca lhes foi dado, e que a UE também queria dar, e então? Esse ponto nunca esteve em negociação porque faz parte da ideia europeia de integração.
            Agora, garantir uma dívida sempre a aumentar graças à austeridade que nem no excel funciona não aceitam, e bem.

          • Sabes que os emprestimos à Grecia foram impostos pelo eurogrupo para poderem dominar o País e tomar conta do petróleo, assim como acontece com portugal, porque achas que fecaram as industrias, o comercio, as pescas, a gricultura, etc? para termos que comprara a esses ratos do eurogrupo. .\\. FOMOS BEM ENGANADOS, MAS O POVO GREGO TEM OS OLHOS BEM ABERTOS!

      • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

        Já deixei de “trocar repetidos” com o caro J. Pinto.
        Manifestamente não consegue distinguir as aplicações de fundos estruturantes no desenvolvimentos dos países e as aplicações para alimentar imagens pessoais, e a corrupção institucionalizada. E quando é assim…

        • J.Pinto says:

          Nem vale a pena “trocar repetidos”. A Grécia tem tido a atitude correta, por isso é que está na situação que está.

          E é tudo pessoal do melhor; os outros é que são uns canalhas. Malandros. Parece aquele indívíduo que vai na autoestrada em sentido contrário e diz que toda a gente está louca; nem sabem conduzir.

          • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

            Quando se não quer entender os argumentos dos outros, corre-se o erro de misturar couves e cenouras que é exactamente o que o caro J. Pinto está a fazer.
            Agora vem com a conversa dos bons e dos maus, dos trabalhadores e dos canalhas. A TV pública e o nosso governo ainda o vão chamar.
            Olhe, quando for ter com eles, tenha atenção aos sinais de trânsito…

        • J.Pinto says:

          Eu ainda não vi foi alguém refutar os meus argumentos. Vêm sempre co histórias diferentes.

          O governo do Syriza explicou o resultado de ontem com 2 palavras: democracia e solidariedade. Democracia já sabemos que só existe na Grécia. Nos restantes países os governos foram eleitos sem eleições.

          No que respeita à solidariedade, contrarie lá então por favor:
          – A Grécia teve acesso em todo o programa de apoio a juros mais baixos do que Portugal e os restantes países;
          – A Grécia tem períodos de maturidade muito superiores a todos os outros;
          – A GRécia foi alvo de um perdão de dívida de mais de 100 000 000 000 euros por parte dos credores;

          Faça lá o favor de refutar os factos…

          • joão lopes says:

            sr.pinto ,os seus argumentos estão ao nivel do CM.alias algumas das “suas” frases são retiradas do CM.quanto à sua “adorada austeridade” ,não passa de um embuste(há muita gente a ganhar com juros agiotas),por outro lado no capitalismo de casino como o actual,quem “empresta” arrica-se a perder.como qualquer jogatana de las vegas.

          • Argumentos discutem-se. Mentiras, desde um perdão de dívida que apenas foi o culminar da passagem da dívida bancária para os estados, chamar programa de apoio à imposição de políticas neoliberais, ou falar em períodos de maturidade quando nenhum país do mundo pode pagar tal dívida com tais juros, já é mais complicado.
            Mas engolida a cassete, não há quem os pare.

          • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

            O caro J. Pinto recusa entrar nesta complexa equação com a variável mais importante e que origina todo este descalabro: corrupção, gente corrupta, irresponsabilidade e gente irresponsável.
            Falo de políticos.
            Quando assim acontece estamos a discutir um assunto MANCO e quando se discute um assunto MANCO estamos a “trocar repetidos”.
            Repito-lhe o que já lhe escrevi. Se me roubarem o cartão de crédito e gastarem à tripa forra, é evidente que a dívida cai sobre mim. mas não deixa de ser um caso de polícia.
            Fique bem.

          • Nightwish says:

            1 – Mentira, a Espanha teve ajuda a custos baixíssimos, praticamente zero;
            2 – É irrelevante, a austeridade rebentou com o PIB e com a competitividade Grega, e mais só vai continuar a piorar o problema – e o Syriza não estava lá, estavam os amigos responsáveis do centrão;
            3 – Perdões de dívida são normais, principalmente a juros usuários em empréstimos fraudulentos – ou acredita na estória para crianças de que ninguém conhecia a economia grega? Além disso, 99% dos gregos viram tanto do dinheiro dos empréstimos dos bancos alemães como do dinheiro dos contribuintes alemães – perto de 0.

  15. Tanto disse que disse e lá vai disto … Quem é que não sabe que os média em Portugal estão condicionados ?!!! O problema não é só o dinheiro é o geo-estratégico. A Grécia está no centros dos conflitos e se a estratégia muda de mãos, então é que o dinheiro não vai servir para nada. Este nosso século XXI está condenado a retroceder no tempo.

  16. Já era altura de deixar de conotar a sodomia negativamente. Há muita gente que gosta. Quem sabe, alguns dos visados…?!

  17. Antonio Filhó says:

    O camilo lourenço nunca me enganou,agora o Jose Gomes ferreira,creio que me está a enganar.Vi-o com medo.Cagarola.

  18. O ministro das Finanças Grego, entrou de Mota e saiu de mota ao contrário de certos ministros que entram de Lambreta e já andam com carro topo de gama, imaginem quando saem… `É a diferença entre nós e os outros.

  19. Vaidormindo says:

    https://www.youtube.com/watch?v=pHt8QguIQNA&feature=youtu.be

    Que cada um retire as suas próprias conclusões…esquemas privados…e em Portugal, o esquema é diferente???Não, mas a “cegueira” do povo é maior, os políticos são mais corruptos e os midia mais vendidos e manipuladores de opinião!!! Sendo assim, está tudo bem…o povo continua a pagar a corrupção da elite!!! Fácil fácil…

  20. Oh, não!…

  21. Maruska Camara says:

    REALMENTE FOI UM SUCESSO O TEU POST!!!!! NÃO COMENTO. ESTOU COM OS GREGOS A 100% !!!!!

  22. ahaha querias says:

    Este post enriquece muito o debate sobre a Grécia. Penetrações anais à parte, dado que o acordo tinha expirado, disseram não a quê? A um conjunto vazio?

    • Porque é que penetrações anais são associadas à homossexualidade? Querem ver que nas relações heterossexuais não há disso?

      • Este post era de resposta ao Pedro…Foi mal colocado. Os gregos disseram, com coragem e perante os efeitos da chantagem (fecho dos bancos), não à austeridade e com isso colocaram no centro do debate a ficção em que consiste UE e a armadilha que constitui o desenho da moeda única…Parece-lhe pouco?

  23. Pedro says:

    Que alusão pobre e tacanha… associar a homossexualidade a pessoas que não gosta. Lamento a incapacidade.

  24. As relações anais não são exclusivas dos homossexuais. Parece-me redutor esse preconceito…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.