Os políticos não são todos iguais. João Semedo é diferente

Semedo

Não, os políticos não são todos iguais. Infelizmente temos políticos íntegros e com o sentido de Estado de João Semedo a menos e indivíduos inúteis, incompetentes e corruptos a mais.

Também temos um Presidente da República com o descaramento de dizer que não sabe se a reforma milionária lhe chega para as contas que praticamente não tem, uma vez que vive literalmente à custa do contribuinte que paga o gás, a electricidade e a água do Palácio de Belém, os carros, os seguros do carros, as revisões e arranjos dos carros, os motoristas e o combustível de todos os veículos que servem Cavaco Silva, as refeições de Cavaco Silva, balúrdios para despesas de representação e, com toda a certeza, um óptimo seguro de saúde. Afinal de contas, não é à toa que residência oficial de Cavaco Silva consegue a proeza de ser mais cara a cada português do que o Palácio de Buckingham a cada inglês.

Temos ainda uma “inconseguida” no cargo de Presidente da Assembleia da República que recebe mais de 7 mil euros por mês de uma reforma de 9 anos no Tribunal Constitucional, a que acrescem mais de 2 mil euros mensais para ajudas de custo. Isto num país onde reformados que descontaram durante várias décadas – ela nem uma década descontou para a reforma que aufere – foram e são sujeitos a cortes violentos que os colocam, apesar de terem descontado uma vida inteira sem interrupções, a contar cêntimos para os medicamentos e para os livros escolares dos netos que os filhos, emigrados, não podem pagar.

Poderia ficar aqui durante muitas linhas, a elencar uma série de inúteis e incompetentes, trafulhas e criminosos protegidos pelas admiráveis ambiguidades legislativas que permitem que lixo humano como a escumalha BPN esteja em liberdade e ainda receba reformas milionárias pagas pelo erário público. Exemplos de empreendedorismo, diria Passos Coelho. Mas prefiro dedicá-las a esse grande deputado que o Parlamento perdeu, que enfrentou como poucos essa mesma tralha cavaquista que deu ao país a maior fraude financeira da sua história, e que até na hora do adeus mostra de que lado está ao abdicar da farta reforma parlamentar para receber da Caixa Geral de Aposentações pelos 42 anos e 3 meses que descontou. Não, os políticos não são todos iguais. A maioria até pode ser, mas ainda existem aqueles que dignificam a política e se batem por causas maiores que o seu umbigo, o seu tacho ou a sua ambição radical e sem escrúpulos. Nem todos os que se sentam no hemiciclo são sujeitos do calibre de José Sócrates ou Pedro Passos Coelho. Esses, todos juntos, não valem uma unha encravada no dedo mais pequeno do pé de João Semedo.

Foto@Público

Comments

  1. Dezperado says:

    Tenho que concordar com o post. Apesar do BE defender uma ideologia oposta à minha, sempre reconheci neste deputado, muito merito, muita inteligencia. Ate quando ia aos debates na SIC Noticias, mostrava que sabia debater, sabia escutar e falava muito bem.

    Por outro lado, a sua saida, alegando assuntos pessoais, nunca me convenceu. Acho que nunca conseguiu dividir a condução do BE com a arrogante da catarina martins.


  2. Artigo de opinião que subscrevo na íntegra.
    Há muito que sou seguidora do vosso blogue.
    Partilharei com muita honra, no meu, estas palavras do João Mendes a quem, desde já, agradeço.

    Um abraço

    Nazaré Oliveira


    • E eu agradeço as suas. As minhas são mais que merecidas pelo enorme serviço que o João Semedo me prestou. A mim e a todos os portugueses, mesmo aqueles que se dedicaram a atirar-lhe lama.

  3. Rui Moringa says:

    Sr. João Mendes,

    Agradeço o texto. É bom ler matéria escrita em bom português.
    Quanto ao Sr. Dr. joão Semedo subscrevo as suas palavras e testemunho.
    Um bom CIDADÃO, enquanto PESSOA,MÉDICO e POLÌTICO.
    Tenho a esperança que os seus dias sejam vividos em PAZ.
    Estar doente é uma experiência também muito pessoal.
    Todos por lá passamos ou passaremos…

  4. Paulo Mouta says:

    Excelente deputado. Daqueles que ainda fazem ter algum sentido a chamada democracia representativa, dado que este realmente nos representava.

  5. orquidea says:

    Estou como o Jorge Palma “deixa-me rir” . Diferente enquanto não tiver votos e direito às mordomias. Quando tiver vai gozar das mesmas regalias. Acredito que não seja tão demagogo, que seja mais contido mas diferente? É capaz de me dizer em quê? Já foi provado alguma coisa? É da sua simpatia? É natural que diga bem dos amigos tal como o fazem os indivíduos dos outros partidos polítiocs. Defendem-se com unhas e dentes. O ser humano é igual em toda a parte do mundo e reage mais ou menos da mesma maneiro, com uma ou outra variante , aos mesmos estímulos. Não acredito em políticos, Ser-se político requer um tipo de personalidade muito específica e uma grande capacidade para jogo de cintura.
    Compreendo! Temos de defender os amigos!!!!!!

    • Paulo says:

      Desculpe mas…leu p texto é que o seu comentário é de quem tem no mínimo ódio ao João.AH… ele é meu amigo


    • Não conheço o João Semedo (com pena minha, teria muito gosto em conhecê-lo) nem sou militante do BE. João Semedo é médico e provavelmente teria uma vida mais confortável e remunerada se não tivesse saído do hospital. Abdicou de uma reforma de deputado para se ficar foi pela reforma a que tem direito pelos descontos que efectivamente fez. Fez oposição construtiva e foi uma das vozes mais empenhadas no caso BPN. Não tenho que o defender coisa nenhuma. Escrevi este texto porque o admiro. Mas percebo a necessidade da orquídea em tentar colocá-lo no mesmo saco que as pessoas que arruinaram este país. demonstra uma

  6. Rui Moringa says:

    Orquídea,
    Os Homens não são todos iguais assim como as mulheres.
    Não sou do Bloco de Esquerda e o Dr. João Semedo não é meu amigo.
    Sei do seu trabalho como médico e sei de alguns dos seus compromissos com pessoas simples a nível político e que não eram militantes do Bloco. Olhe por exemplo de alguns sem-abrigo.
    O seu comentário não é justo. Atrevo-me a dizer que tem uma ponta de inveja-maldade.
    Fique bem

  7. Rui Moringa says:

    Esqueci-me de dizer que está doente e nessa situação mereceria algum respeito humano da sua parte.

  8. orquidea says:

    Peço desculpa. Não sabia que estava doente. Sinceramente. Também não conheço João Semedo tão bem assim para o julgar pessoalmente. Fiz uma generalização. Mais uma vez mil desculpas pelo João. Contudo, mantenho a minha opinião sobre os políticos. Sou apartidária. Acredito também que no meio de todos os partidos haja boas pessoas e bem intencionadas mas, quando envolvidos nas questões políticas têm necessariamente de perder alguma integridade. É o jogo político que obriga, é mesmo assim e não à volta a dar-lhe.
    Mais uma vez, mil desculpas.

  9. orquidea says:

    Rui, nunca tive inveja de ninguém. Dou tudo por uma boa causa e o que tenho deixa-me feliz. O meu filho, os meus netos, o meu trabalho e os que ajudo.


  10. Tudo factos que merecem a melhor atenção dos eleitores: Não concordo é que sejam feitos ataques pessoais, quando as leis foram aprovadas , não pelos bombos , mas pelos partidos e alguns deles, com hipoteses de virem a ganhar. Se os eleitores não querem continuar neste pantano da Brigada das Colheres a volta do tacho público tem que deixar de se abster, tem que deixar de votar nos aldrabões que os enganaram mais que uma vez e votar noutros, nem que seja no cão ou no gato.

  11. orquidea says:

    Compreendo a necessidade de se votar. Mas não seria uma boa lição para todos os políticos o voto em branco generalizado? Não seria uma forma peremptória de lhes dizer que não concordamos? Como ficariam eles se ninguém votasse? E os problemas que causaria? Eu sei! Estou a sonhar! Haveria sempre quem votasse.Li demasiado o único livro político do nosso prémio Nobel.

  12. orquidea says:

    Eu sei, João. Apenas sonho! Queria um mundo mais limpo e mais justo. São tantos os que sofrem por causa da ganância, incompetência e pretensão de meia dúzia.

  13. João Lopes says:

    Só não sei, porque não é dito, qual seria a reforma da qual abdicou…é que me parece que hoje não há reforma nenhuma especial para os deputados…foi exatamente isso que o Sócrates extinguiu…se estiver enganado corrijam-me por favor. Isso não belisca nada a simpatia que o João Semedo me me merece e a quem desejo rápidas melhoras.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.