Sinais dos novos tempos: a pessoa mais poderosa de Portugal é uma Mulher e da Justiça.

Ontem, ao princípio da noite, a TVI anunciou, segundo os seus critérios, o nome da pessoa mais poderosa de Portugal. E a escolha é sem margem para dúvidas uma surpresa. Logo pelo facto de não ser um homem, mas sim uma mulher. Mas também pelo facto de não ser uma CEO de um grande grupo económico, nem a herdeira de uma fortuna multimilionária, muito menos uma governante. A pessoa eleita pela TVI como a mais poderosa de Portugal foi a Dra. Joana Marques Vidal.

Entendo que a Justiça no nosso país viveu dois tempos. Um tempo pré – Dra. Joana Marques Vidal e um outro tempo pós – Dra. Joana Marques Vidal na Procuradoria Geral da República.

Parece-me ser uma pessoa serena, discreta, frontal, pouco mediática, mas altamente competente e eficiente que mudou a Justiça em Portugal. A  Dra. Joana Marques Vidal exerce as funções de Procuradora Geral da República, desde Outubro de 2012, por nomeação do Presidente da República. A sua nomeação marcou também uma viragem no mundo da justiça portuguesa atendendo a que foi a primeira mulher a ocupar o lugar cimeiro na PGR.

Ao contrário dos seus antecessores na Procuradoria Geral da República como Cunha Rodrigues, Souto Moura ou Pinto Monteiro, fala muito pouco, mas quando fala é pragmática e assertiva.

A escolha da TVI é também um sinal importante para o país, curiosamente apenas dois dias depois de Paulo Rangel, no decorrer de uma sua intervenção na Universidade de Verão do PSD, ter tentado “partidarizar”a Justiça ter proferido algumas afirmações, em minha opinião, ofensivas para o sistema judicial e para os seus intervenientes.

Sempre entendi a Justiça como autónoma, independente, livre, discreta e sem tutelas, apenas necessitando que o poder político executivo lhe conceda mais meios humanos e técnicos para poder ser mais eficiente na sua difícil missão. Ninguém tem dúvidas que é  impossível fazer omoletas sem ovos. Espero que os políticos que venham a governar Portugal partilhem desta velha máxima porque um país para ser mais justo tem que ter uma Justiça mais eficiente e mais célere. Estou convicto que, com a Sra. Procuradora Geral da República, Dra. Joana Marques Vidal, a Justiça está no caminho certo.

Comments


  1. acertiva??? acerta muito, é???

    • Paulo Vieira da Silva says:

      Caro Eu, é verdade. A Sra. Procuradora Geral da República talvez até acerte de mais para o gosto de alguns, mas é a Justiça a funcionar. É igual para todos. Aceite os meus cordiais cumprimentos.

  2. Joao says:

    Mas como é que o aventar dá guarida a tanta publicidade.
    Será que é paga?

    • Paulo Vieira da Silva says:

      Caro João, desculpe mas terá que deixar as meias palavras e ser mais explicito. Como imagina para a publicidade ser paga ela tem que existir. Onde encontrou publicidade neste meu texto? Aceite os meu cordiais cumprimentos.


  3. Eu como mulher, sinto-me orgulhosa, por termos uma mulher, neste alto cargo. Porém, por vezes, parece.me que a justiça é muito lenta para os poderosos e muito célere para os mais fracos. Temos alguns casos, completamente inertes na justiça, que têm um enorme nó por desatar. Ex. Casos Dias Loureiro, e muitos mais que todos sabemos. Espero, que a Dra. Joana Marques Vidal, não se deixe influenciar, com pressões, como mulher forte que é.

  4. JgMenos says:

    Há já queixas de que se diga que alguma coisa vai bem!!
    Lembro do passado aquele caso Freeport que terminou com dois procuradores da Republica a escreverem no relatório final as perguntas que teriam gostado de fazer ao Sócrates!!!!
    E o Rangel ofendeu a Justiça?

    • Nightwish says:

      O Passos, o Dias Loureiro, o Cavaco, o Portas, o Salgado e muitos outros já estão na cadeia? Não? Funciona de caralho.

  5. Nightwish says:

    Diz-me quem te nomeia, dir-te-ei quem és.


  6. Não tenho assim tanta certeza que com esta senhora a justiça esteja no caminho certo,. Oxalá eu esteja errado; mas não me quer parecer.

  7. Carvalho says:

    Caro Vieira da Silva, depois dos elogios descarados (alguns chamam-lhe graxa) às figuras do poder político e económico, que tem feito, quem se segue? Cavaco? Passos? Pinto da Costa? Relvas? Jorge Jesus? Fico a aguardar as novidades graxístico-propagandísticas.

  8. Paulo Vieira da Silva says:

    Caro Carvalho, não entendo estas suas crises de ciúmes em tão serôdia idade. Talvez lhe dedique, um dia destes, um post ” graxista ” para o ver mais sereno e tranquilo. Aceite os meus cordiais cumprimentos.

    • Carvalho says:

      Caro Vieira da Silva:
      1º: você não sabe qual é a minha idade, portanto “serôdia idade” é provável que se aplique mais a si do que a mim.
      2º: ciúmes seus, quando nem o conheço nem tal pretendo concretizar? Deixe-me rir dessa sua pretensão.
      3º: como pretende você escrever um post graxista a meu respeito se não faz a mínima ideia de quem sou? Já reparou que, sendo “Carvalho” um nick name, posso ser o seu sogro ou o seu primo? Ou o porteiro? Ou posso, até, ser o Miguel Relvas ou o Jorge Jesus? Como vai fazer para escrever sobre mim? É melhor abandonar tal pretensão.
      Cumprimentos

      • Paulo Vieira da Silva says:

        Caro Carvalho,
        1ª- Quem lhe disse que não sabia a sua idade?
        2ª – Não sou são ciúmes relativamente à minha pessoa, com a graça de Deus, quando falei de ciumes referia-me às figuras do poder politico e económico que referiu no seu comentário.
        3º – Quem lhe disse que eu também não o conhecia? Essa gente pode andar a enganá-lo.
        Cumprimentos.

  9. José Lourenço says:

    Caro Paulo Vieira – Já entrámos em diálogos anteriores em assuntos diversos em que apresentámos os nossos pontos de vista com educação e respeito mútuo. Plenamente de acordo com o seu comentário que felicito ! Esta nomeação (TVI) e o seu artigo confirma em pleno a minha posição sobre o facto da Justiça agora estar a funcionar. A lentidão de alguns processos são devidos à sua complexidade, a acusação terá que estar bem fundamentada sem pontos fracos, para que o processo não morra à tesourada ou anulado por falta de provas !! Como não podia deixar de ser, não concordo, mas respeito, os seus dois últimos parágrafos. Entrou em campo que discordo pois não sinto que tivesse havido partidarização, todos sabemos o que tem acontecido com alguns Procuradores Gerais da República, inclusive o “Presidente” do Supremo Tribunal Justiça. De certeza que não concordou ainda não concorda com o que se passou para proteger todos nós sabemos quem…!!!! Sobre os comentários nitidamente de esquerda eu não perderia tempo a responder. É uma esquerda minaz que o único seu objectivo é destruir o nosso País. Não merecem resposta !! Pela nossa Pátria LUSITÂNIA PORTUGALLIAE !!!!


    • Continue com a sua habitual sensatez a mostrar outras opiniões, que a pouco e pouco os cretinos percebem que se pode discordar com educação. Os trogloditas e os óculos duma cor só, acabam por reforçar as razões de quem tem razão. Parabéns; talvez note que falta uma referencia a direcção do DCIAP, não?

  10. pedro says:

    Estou totalmente consigo Paulo. E digo mais: ou a justiça vence ou seremos uma Guiné Bissau, ou seja, um estado falhado.

  11. Orvalho says:

    Esta graduação dos “poderosos” por parte da TVI é, a meu ver, matreira, o bolo para enganar o tolo.
    A procuradora em apreço, bem como a Justiça, não ganham nada com isto. Podem até perder.
    Por outro lado, aquela televisão é a grande beneficiária destes factos que inventa.
    Está à vista de todos, não é preciso ser “cientista social” para chegar lá.
    Já agora, pergunto ao autor do texto, quem é mais poderosa, a Procuradora ou a TVI ?

  12. António Sousa says:

    Está Senhora, para além de uma excelente profissional que já demonstrou ser, é uma pessoa que tem uma coragem do tamanho do mundo. Tivéssemos nós muitas pessoas assim, e este País estaria melhor, sem qualquer dúvida. Bem haja, Dra. Joana Marques Vidal.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.