Mestre do corte olha para a sua matéria prima

passos velhinha

“Vamos lá ver se não me esqueci de nada”, pensa o mestre.

check Cortes na pensão da velhinha … feito
check Corte no complemento solidário da idosa… feito
check Aumento das taxas moderadoras…  feito
check Corte na comparticipação nos medicamentos… feito
check Cortes no salário do filho… feito

check Corte nas deduções fiscais… feito
check Corte no rendimento da família via aumento dos impostos… feito
check Corte nos dias de descanso da filha… feito
check Corte nos médicos disponíveis… feito
check Corte nos professores do neto… feito
check Corte na comparticipação de exames médicos… feito
check Corte no subsídio de desemprego da sobrinha… feito
check Corte no rendimento de inserção da vizinha … feito
uncheck Prolongamento da idade de reforma até aos 80… bolas, falhei!

“Preciso de mais quatro anos para completar a minha obra prima”, exclama o mestre indignado consigo mesmo. Por um breve momento ainda duvida que venha a ter essa hipótese, mas, com a sua voz de tenor rejeitado, logo quebra o desalento que se apoderara do grupo, cantando a velha lenga-lenga “Não há nada de errado em apoiar o que deu certo”. E acrescenta o corte esquecido na página 342 do seu livro de notas “Programa para 2016”.

Comments

  1. Konigvs says:

    “Sai da tua zona de conforto.
    Morre. O governo agradece”.

  2. Ana A. says:

    Até me sinto mal por me ter rido! Porca miséria!


  3. Ainda falta a TABELA ÚNICA para os vencimentos da função pública para enfeitar o ramalhete.

  4. anonimo says:

    Esta lista mostra que Pedro Passos é manifestamente desprovido de qualquer compaixão, ao contrário dos restantes lideres partidários, nomeadamente os de esquerda. Eu diria mais. Passos Coelho é movido apenas por um sadismo que se manifesta no prazer que tem em torturar idosos e crianças. Em suma, não é humano. Quando sair do governo, será alvo de análise académica, dando origem a mais uma capítulo na reflexão sobre a ‘banalidade do mal’.
    No fundo era isso que queria dizer com esta lista, certo? Não precisa de me agradecer o esclarecimento.

    • j. manuel cordeiro says:

      Factos são factos. As leituras são de cada um.

      Serão isto as gorduras do Estado? Nesse caso, calo-me já.

      • anonimo says:

        Deixo-lhe um desafio. Caso o PS ganhe as eleições quais destas medidas, na sua expectativa, serão revertidas? Com certeza que todas, e no 1º dia, dado que não são consequência das dificuldades orçamentais do país mas da maldade e do prazer sádico do actual primeiro-ministro. Não vejo portanto Costa a pactuar com elas.
        Se for uma análise demasiado extensa, posso sugerir que concentre a sua análise numa delas? Por exemplo, se Costa for governo haverá um aumento dos professores do neto da Sra, repondo os níveis “pré-Passos”?

        • j. manuel cordeiro says:

          É uma pergunta gira. Tão gira como “ó menino, depois de comeres o doce, vai sobrar alguma coisa?” Este governo teve 4.5 anos (obrigado Cavaco!) para baixar a dívida e o défice. Aumento-os. E fê-lo com mais impostos e baixando os serviços prestados. Havia outro caminho, como o de reformular o Estado. Parece que até houve um guião (cof cof). Qualquer caminho alternativo que agora se tente vai esbarrar no que este governo fez.

          • anonimo says:

            A pergunta “gira” era simples: Por exemplo, se Costa for governo haverá um aumento dos professores do neto da Sra, repondo os níveis “pré-Passos”?

          • j. manuel cordeiro says:

            Pretende deslocar a conversa para o que o futuro governo fará. É uma forma de não se discutir o que este governo fez. Esta avaliação faz parte da eleição do próximo domingo. Os factos estão no post. Cada qual que faça a sua avaliação.

          • anonimo says:

            “Pretende deslocar a conversa para o que o futuro governo fará.”
            Exactamente o contrário. Pretendo contrariar a sua tese de que muito do que o governo fez (passado) resultou de uma opção (sádica, aproveito para voltar a realçar) e não de um constrangimento real. Como? Se as acções que descreve no seu post resultaram de uma opção (sádica) então serão fácil e rapidamente revertidas. Caso contrário, então resultaram de constrangimentos reais, que aconteceriam caso o governo tivesse sido outro. E nesse caso atrever-me-ia, com o devido respeito, as classificar o seu post de ‘profundamente demagógico’.

      • anonimo says:

        Para Costa, uma pessoa boa, não haverá certamente limites (orçamentais) para corrigir todas estas maldades infligidas de forma absolutamente gratuita por Passos, esse sádico demente. Isso aliás está muito claro no programa eleitoral do PS.
        O que nos leva a outra conclusão: as pessoas boas, que se preocupam com a protecção da 3ª idade (neste caso, mas poderia fazer lista semelhante para outros temas), votarão certamente PS; já os eleitores que votam na Coligação, agora esclarecidos pelo seu post, não poderão senão deixar de ser sádicos dementes, sem qualquer respeito pela 3ª idade. No caso de (é uma impossibilidade, mas …) serem eleitores da 3ª idade, então o qualificativo passará a ser sado-masoquistas dementes. Espero que não tenha nenhum amigo nessas condições.

        • j. manuel cordeiro says:

          Parece que existe mais do que dois partidos. Quanto às pensões, temos assistido à sucessiva transferência para o sector privado, via IPSS e seguros. O que me faz recordar o que aconteceu em 2008 aos fundos de pensões americanos, privados, com a crise. Opções, opções.

    • Rui Silva says:

      Análise académica terá de ser feita sobre a nossa Sociedade Civil (?) , que tanto se indigna por tudo e por nada ,e não se organiza ou faz uma petição ou qq outra coisa, para que as pessoas boas possam contribuir voluntariamente, de forma pecuniária para todos estes casos , e com essas recolhas distribuir pelas pessoas mais necessitadas.
      Já está visto que ao longo destes 40 anos os governantes não conseguem fazer isso , mas a Soc. Civil não está proibida de fazer essa obra premente.

      cumps

      Rui Silva

      • Rui Silva says:

        O meu comentário refere-se á foto ou seja aos 2 primeiros items da lista.

        Rui Silva

      • Nightwish says:

        Com que dinheiro, o que o Passos lhes roubou?

      • Ana A. says:

        Caro Rui Silva, as pessoas boas e as pessoas “más” já contribuem (in)voluntariamente com todos os seus impostos. O busílis da questão é a forma como as sociedades se organizam, ou não, para o bem comum!

        • Rui Silva says:

          É precisamente isso que sugiro Ana A. Estamos de acordo ?
          O busílis da questão como lhe chama é: em vez de protestarmos contra má organização do Estado ,u ma vez que está provado que os resultados obtidos são maus, substituir esse mesmo Estado nestas funções que acharmos mais urgentes para o bem comum.

          Rui Silva

  5. JgMenos says:

    Falta compaixão na política, ou falta dinheiro?
    Não!
    Falta é promover a ‘Mama Geral’ sacando onde haja dinheiro e distribuindo alegremente até que se acabe. Depois, famintos e rotos, usufruiremos de uma exaltante igualdade.
    Piegas!

  6. Santiago says:

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.