Portas-Engil


PP

Meu caro Paulo, nunca, como hoje, o partido precisou tanto de ti.

Telmo Correia, 18/12/2015

Bateu-se pela renovação do seu irrevogável cargo de vice-primeiro-ministro mas, feitas as contas legislativas, começou a tratar da transição para o privado assim que pôde. O CDS-PP precisava dele, no partido como no Parlamento, mas Portas não surpreendeu e olhou, como sempre fez, pela sua vidinha. Cortou o cordão umbilical democrata-cristão, deixando os medíocres à sua sorte, seguiu para a vice-presidência da CCIP, aceitou o convite para o comentário político no TVI e agora, na senda de outros grandes vultos do bloco central, segue para a função da moda entre os ex-governantes público-privados: consultor. Ao serviço de quem? Da Mota-Engil. Alguém disse Jorge Coelho?

As coincidências são como as bruxas. Eu não acredito nelas, mas as marafadas insistem em dar o ar da sua graça. Esse perigoso terrorista, de seu nome José Simões, encontrou uma série delas que merecem reflexão. O embaixador Seixas da Costa, nomeado por Portas, Assunção Cristas e respectiva entidade patronal anterior ao mandato no ministério do Ambiente e uma série de decisões prejudiciais ao Douro Vinhateiro mas altamente rentáveis para os restantes envolvidos e futuros empregadores: Mota-Engil e EDP Renováveis.

Não há nada de particularmente surpreendente nesta sucessão de factos. Contudo, raros são os felizes contemplados que, terminadas as suas funções governativas, conseguem instalar-se em tantos canais de acesso ao poder. Portas, que continuará a ser uma espécie de Deus na Igreja Universal do Reino do Caldas, passará a fazedor de opinião na TVI, torna-se numa das pessoas mais poderosas na CCIP e consegue uma bela panela nomeação numa das maiores e mais influentes empresas nacionais, famosa por recrutar gente poderosa ligada ao PS e ao PSD e por, curiosamente, conseguir fabulosas rendas estatais. Resta saber como irá o ministério da propaganda gerir esta informação. Como lidarão eles com a transformação de um dos seus heróis no mais recente Jorge Coelho? Ora bem, comparar Portas com Jorge Coelho talvez seja injusto da minha parte. É que o segundo ainda demorou oito anos para lá chegar…

Comments

  1. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    Portas é apenas uma planta na floresta cujas árvores são os donos de Portugal.
    Independentemente do personagem, uma espécie de homem dotado de um oportunismo e lata sem limites, preocupa-me muito mais o estado da floresta, que se tem mostrado capaz de contaminar qualquer vegetal que por lá nasça.
    Portugal está entregue a uma OLIGARQUIA de políticos, um grupo de “testas de ferro”, que mais não é que a face visível de um poder invisível, mas necessária à defesa dos interesses instalados
    Com toda a honestidade, uma espécie de homem como Portas, nunca me preocupará. O Sistema que faz deles estrelas é que é preocupante. É o Sistema do “abre-portas” e destes, conhecemos mais alguns, à direita e a alguma dita esquerda..

  2. É uma vergonha.
    Não me interessa o facto de ser ou não legal, o que me preocupa é saber que temos sido governados por parasitas, por chulos da política.
    Só há um culpado. O povo.
    Roubam nos bancos, não pagam impostos, recebem luvas e comissões fraudulentas em negócios do Estado, enriquecem à custa da venda do país a preço de saldo e dos sacrifícios dos trabalhadores e reformados e, a maioria do povo vota neles.
    Enquanto uns lutam contra os corruptos, perdem dinheiro na greve, vão a manifestações, a maioria do povo que faz, vota nesses criminosos.
    Ainda não vi uma única pessoa do PS criticar. Lembram-se de Jorge Coelho?
    Não deram um tacho à sanguinária Leonor Beleza que ainda hoje tresanda a sangue?
    Vão gozar com o raio que os partam.

  3. joão lopes says:

    A dona cristas diz que o paulo vai ajudar Portugal.Fiquei quase comovido ao ouvir semelhante barbaridade.

    • Agostinho Miguel says:

      Que ” falta ” de sentido de humor. Pois eu, mijei-me a rir. A ” senhora “, depois da tirada do : vamos cuidar dos velhinhos, que gamámos durante 4 anos… tem sido cada tiro, cada melro!

Trackbacks

  1. […] bem vistas as coisas, o episódio da demissão de Paulo Portas, que terminou com a promoção do novo consultor da Mota-Engil e com um ministério adicional nas mãos do seu partido seria, porventura, a maior demonstração […]

  2. […] que, gostemos ou não do indivíduo, suceder a Paulo Portas-Engil no CDS-PP não será pêra doce. Até porque, por mais desprezível e reles que o possamos achar, […]

  3. […] passar impune. Já um ex-ministro que, para além das coincidências que gravitam em torno da sua contratação pela Mota-Engil, meio ano após abandonar funções governativas, é agora presenteado com um simpático job numa […]

  4. […] Por falar em Paulo Portas, “excessiva proximidade” entre o poder político e económico? A sério? Onde terá […]

  5. […] negócio dos submarinos? Enfim, são promiscuidades democrato-cristãs. Deus perdoa. Como perdoou Paulo Portas, Assunção Cristas, Luís Nobre Guedes, Pedro Mota Soares e outros convivas do Largo do Caldas. […]

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s