Mais uma pérola para a posteridade. Por Pedro Passos Coelho


PPC

Nesse manancial de pérolas, contradições e trapalhices que é a “universidade” de Verão da JSD, Pedro Passos Coelho brindou-nos com um novo momento de humor, ao nível da palermice da passada semana. Disse o deputado, perante as suas camadas jovens em êxtase:

Prefiro salvar o país do que salvar a pele.

Vale o que vale, mas convém não baixar a guarda, pelo menos a julgar pelo histórico de mentiras acumuladas. Contudo, se o líder do PSD prefere mesmo salvar o país a salvar a sua pele, porque motivo empurrou o problema do Banif com a barriga, deixando que a bomba explodisse nas mãos do actual executivo? Se o seu interesse era, efectivamente, o país, porque não o resolveu e evitou perdas maiores? Porque ignorou a proposta de um fundo de investimento de Hong Kong, no valor de 700 milhões de euros? Porque adiou a venda do banco para, como referiu a comissária europeia para a Concorrência, não prejudicar essa ficção que foi a saída limpa? E muito mais haveria a dizer sobre mais este monumental barrete do líder dos profetas da desgraça. Hoje ficamos por aqui.

Fotomontagem via Uma Página Numa Rede Social

Comments

  1. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    Mas afinal, há ou não responsáveis por esta bagunçada toda?
    Eu não vejo este tema discutido. Apernas se discute a forma de tapar buracos, coisa que é feita, aliás, sempre da mesma maneira e sempre à custa dos mesmos.
    Mas afinal que se passou? Houve má gestão? Se sim, quem?
    Houve vigarice? Se sim, quem?
    Esta gente tem que aparecer ainda que não lhes façam nada, a ver o que se passa com tantos medalhados e gente com pulseira. Mas pelo menos, ficamos a saber quem são os “bichos”… É que enquanto eles não forem identificados e as causas de raiz encontradas, cairemos sempre no mesmo: “Paga e não bufes… e não faças perguntas”.
    Esta é uma forma de cooperar com o status empurrando com a barriga : discutir o efeito e nunca a causa ou os intervenientes.

  2. é difícil ser portuga.... says:

    Pois é!
    Mas vejam lá se tocam no Salgado? Até vai de férias com autorização…
    O problema (digo eu) é que se dizem o nome do pessoal do “gamanço” quantos políticos é que mamaram?
    Já lá dizia o outro:
    Politica, a grande porca!

    • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

      Essa é, quanto a mim, a questão de fundo que vem passando completamente despercebida … E dá muito jeito a essa cambada de mamões que se vão protegendo uns aos outros. E ao discutirmos apenas as soluções para tapar buracos, estamos gentilmente a deixar os tubarões passar pelo crivo da análise. E é pena, porque “cesteiro que faz um cesto, faz um cento”

      • Anónimo says:

        De facto, num país governado em benefício dos gatunos, a maior carência é a Fiscalização, o Policiamento, e a Justiça.

        Banco de Portugal, administrado pelos antigos ministros.
        Entidades reguladoras, geridas pelos lacaios dos gatunos.
        Tribunais e Polícia, manietados por falta de meios e por leis cheias de alçapões para os gatunos fugirem.
        Tribunais Supremos, às ordens da maçonaria.

        O Primeiro Ministro foi Ministro da Justiça.
        Tem obrigação de conhecer a doença, a terapia, e a cura.
        Tem obrigação de, pelo menos, sanear, tratar e recuperar a Justiça.

        • é difícil ser portuga.... says:

          O Primeiro Ministro foi Ministro da Justiça.
          Tem obrigação de conhecer a doença, a terapia, e a cura.
          Tem obrigação de, pelo menos, sanear, tratar e recuperar a Justiça.
          Totalmente de acordo consigo! Mas se ele (1º Ministro), fizer o que sugere, suicidam-no…

          • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

            Se resolver o problema de fundo …
            Para grandes males… grandes remédios.
            Mas quem conhece a doença e faz de conta que ela não existe, é também criminoso ou seja: “Tão bom é o que rouba, como o que fica à porta”.
            E se tiver poder, mais criminoso é.

  3. Martinhopm says:

    Lembram-se dos partidos do ‘arco da governação’? E das ligações perigosas dos seus membros à justiça, aos ‘media’ e aos grandes grupos económicos e financeiros? E à maçonaria e à Opus Dei e aos grandes escritórios de advogados? Está aqui a raiz do mal. Há que extirpá-lo doa a quem doer e sem olhar a quem.

  4. Claro que os “Salgados” deste país são todos tratados com pinças. Senão, põem a boca no trombone e daí advirá um tsunami politico que irá decapitar os partidos do até aqui denominado “arco do poder”.

  5. anónimo says:

    Como é que os membros do governo, os juízes, o presidente da republica, se podem “extirpar” a eles mesmos? Se eles chegaram ao lugar cimeiro onde chegaram, por estarem filiados em irmandades criminosas, será de esperar que reneguem quem lhes deu a fortuna e a impunidade? Que cometam suicídio?
    Por outro lado, será de esperar que os eleitores algum dia se possam libertar, se recusem a ser governados por associações criminosas, sendo essas associações e os respectivos crimes, mantidos secretos atrás de múltiplas cortinas de enganos?

  6. Manuel Rocha says:

    Boas

    Cito aqui o post de “não interessa” mas que resume tudo:

    Claro que os “Salgados” deste país são todos tratados com pinças. Senão, põem a boca no trombone e daí advirá um tsunami politico que irá decapitar os partidos do até aqui denominado “arco do poder”.

    Bem dito. Eu não diria melhor, por isso cito.
    Os PPD lajanja e os PPD cor de rosa, sempre estiveram de acordo a manter essas mafias no controle.

    Saudações

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Alterar )

Connecting to %s