O preço da comida

Está a acontecer há alguns anos, em silêncio, um brutal aumento do preço dos bens alimentares no nosso país.
Sem primeiras páginas e sem especialistas das televisões, este será brevemente o maior desafio de Portugal: a fome.

Um verdadeiro Estado proxeneta…

escaloesJá nem é uma questão de esquerda ou direita. O governo anterior era mau, não reformava e aumentava impostos. E que dizer do actual? Bem podem vir Costa, Centeno ou até o inenarrável Galamba com justificações, a triste realidade é que preparam com a cumplicidade dos parceiros que suportam a geringonça, mais um assalto à carteira da classe média e média baixa. Porque os rendimentos mais elevados há muito que se puseram a salvo desta (e das anteriores) trupe. E ainda se admiram que exista economia paralela e fuga ao fisco? Convém relembrar os mais distraídos que o cada vez menor rendimento disponível ainda será taxado sob as mais diversas formas e pretextos…

Viva!

tsiprasimagem: picture alliance / dpa / Julien Warnand

António Costa hoje em Atenas para a cimeira de países do sul da Europa – olhem que boa notícia, seja lá o que daqui sair! Para já os apologistas da austeridade ficaram muito desconfortáveis; a comissão evita comentar, mas aí está o chefe da bancada do partido conservador EVP no parlamento europeu, Weber, a criticar a cimeira, afirmando que a Europa precisa de unidade e não de tentativas de divisão… e que Tsipras primeiro faça as reformas que prometeu…   Ao que Tsipras responde: “Precisamos de uma nova visão para a Europa”. E como tem razão!

O apogeu social do idiota

A idiotização radical das organizações humanas parece ser um processo irreversível, mas é esse processo que garante que os sistemas de poder mantenham a sua integridade e prossigam o desempenho da sua função, quer operativa, quer doutrinária, fundada exclusivamente em rituais de submissão e dependência.
É esse modelo teórico e funcional que é transmitido em rede, como uma irrigação vascular e fractal da idiotice, até aos pontos mais distantes e interiores da estrutura social.

Uma sociedade de cobardes e paralíticos morais, sem nervo crítico e analítico para distinguir o certo do errado, está num estado de desenvolvimento antropológico inferior ao tribal, ficando mesmo a dever ao homem primitivo a integridade e a coragem que este demonstrou ao enfrentar a vida e o mundo com um repertório filosófico e tecnológico infinitamente mais frágil.

Entre a barbárie da excisão genital ainda praticada por tribos de raiz sociológica e cultural pré-histórica e a lobotomização ética e moral do idiota contemporâneo, vai a distância da responsabilidade acrescida que a este cabe no desenvolvimento e progresso da sociedade humana.
Há, contudo, um lado positivo nisto tudo. E nós vamos descobri-lo à nossa custa.

Ir à bola com a Galp? Naaaa, faz antes um frete ao Dono Disto Tudo

pptm

Telmo Monteiro acusou hoje o governo de querer ir à bola com a Galp e de ser forte com os fracos e fraco com os fortes. Sim, o mesmo Telmo Monteiro que, a poucos dias das Legislativas de 2005, com tudo a indicar uma derrota da coligação PSD/CDS-PP, assinou, a correr, um despacho que resultou no abate de milhares de sobreiros para que o BES, através da empresa Portucale, construísse um empreendimento turístico na Herdade da Vargem Fresca, um dos capítulos mais marcantes dessa bela história de corrupção e impunidade que foi o caso Portucale. Entre ir à bola com a Galp e fazer fretes ao Dono Disto Tudo, venha o Jacinto Leite Capelo Rego e escolha.

Discurso dos muros

O mundo murado (Novembro de 2015)

Estava eu a compor o álbum com fotos dos grafitos do muro de Gaza quando, na televisão, se dava a notícia da construção de um muro anti-emigrantes em Calais, construção ordenada pelo Reino Unido e aceite pelos panhonhas dos franceses. Caspité!! O trumpismo avança e tem acolhimento em países governados, já não digo por democratas, nem sequer inteligentes, ainda menos sensatos mas, vá lá, por gente relativamente normal; com um arcaboiço intelectual ao nível de um 1º ciclo de escolaridade, digamos. Falsa esperança. Há uma espécie de rarefacção neuronal provocada por um ar vindo de Oeste, que perigosamente alastra pela Europa e contra a qual o bendito anti-ciclone dos Açores nada pode. Nos EUA, ainda ontem Trump repetia, naquele estilo de alforreca falante, “faremos o muro”! Refere-se, claro, ao muro que separará a União do México e que, segundo ele, será pago por este país. Esta parte da promessa não está esclarecida, já que não sabemos como se irá forçar os mexicanos a pagar o muro. Claro que se perguntarmos ao Donald, ele não deixará de responder; talvez com uma ameaça de invasão, como é costume. Impossível? Já ouviram discursos do homem? Pois, lá está. [Read more…]

A minha promiscuidade é melhor que a tua

prom

Não tive dúvidas quando veio a público que três secretários de Estado tinham sido agraciados com viagens e bilhetes para jogos do Euro2016, pagos pela GALP. Na altura escrevi – e mantenho – que governantes sérios não aceitam presentes de empresas privadas. Mas o espectáculo a que ontem se assistiu no Parlamento, protagonizado por falsos moralistas e virgens ofendidas que habitam sedes partidárias de vidro, é degradante e insulta a memória recente dos portugueses.  [Read more…]

A Geringonça e as baratas tontas

Durante grande parte deste ano o discurso sobre a geringonça baseou-se nesta ideia: o PS estava sob a chantagem do Bloco e do PCP, obrigado a radicalizar-se para se agarrar ao poder. Depois, lentamente, todos se mostraram surpreendidos com a estabilidade. Quando viemos de férias o discurso subitamente inverteu-se. O Bloco de Esquerda e o PCP aceitam tudo. Traíram a esquerda. Quando é que os irresponsáveis do Bloco fazem jus à sua fama? E os extremistas do PCP, quando é que extremam a coisa? Esta permanente ansiedade sobre quem está no bolso de quem tem apenas uma origem: Passos tornou-se para Costa o que Seguro foi para Passos. Perante isto, resta pôr as todas as fichas na divisão da geringonça. Picando, à vez, o PS pela deriva esquerdista e o BE e o PCP pela cedência centrista. Mas todos sabem, a começar pelos próprios, que o primeiro a deixar-se picar tem o seu destino marcado: o castigo eleitoral. E isso é muito mais forte do que centenas de editoriais a pedir mais sectarismo. O povo não quer, como mostram as sondagens, que a geringonça se parta. E enquanto assim for, ela não se vai partir.

Daniel Oliveira, Geringonça, quem está no bolso de quem? (Expresso)

O grande Camilo, quase prémio Nobel

image

Só se esqueceu foi de ler o artigo, que é de 2007!

Joseph Stiglitz, in Caracas, Praises Venezuela’s Economic Policies
Caracas, October 11, 2007
Nobel Prize winning economist and former vice-president of the World Bank, Joseph Stiglitz, praised Venezuela’s economic growth and “positive policies in health and education” during a visit to Caracas on Wednesday.
“Venezuela’s economic growth has been very impressive in the last few years,” Stiglitz said during his speech at a forum on Strategies for Emerging Markets sponsored by the Bank of Venezuela.

E como andava o país em 2007? Nada mal, até o preço do petróleo cair a pique.

Um fofo, este Camilo.

Antigos muros franco-britânicos, pré-Calais

hedge-maze_2124522i

Longleat house, em Wiltshire