Carta do Canadá – Que vergonha


parte-do-tesouro-da-caravela-bom-jesus-encontrado-na-namibia

Parte do tesouro da caravela Bom Jesus, encontrado na Namibia. Imagem: Dieter Noli

Confesso que fiquei enraivecida com o  SEXTA ÀS 9 transmitido pela RTP, aquele que abordava a tragédia dos incêndios e os preciosos salvados arqueológicos duma nau portuguesa do século XVI ao largo da Namibia. Grande adepta do jornalismo de investigação, que considero uma das traves mestras em que se sustenta uma democracia digna desse nome, é com desgosto que olho para a descredibilizada imprensa escrita, essa que serve partidos e interesses bastardos.  Mas, até agora, tenho seguido com apreço o programa acima citado por ser aquele que salva a honra do convento. Até quando, é o que vamos ver.

No segmento relativo a incêndios, ficámos a saber que os meios aéreos são cada vez mais indispensáveis num país de relevo quase impossível de escalar por meios terrestres, pelo que a intervenção da Força Aérea se justificaria, mas que o assunto está na costumeira polémica e, entretanto, há pilotos militares que nas férias ganham bom dinheiro apagando incêndios por conta de instituições privadas, havendo pilotos civis no desemprego. Ora, os contribuintes pagaram a formação desses pilotos militares e pagam os seus ordenados e regalias, pelo que não é fácil aceitar que haja profissionais no desemprego, depois de terem pago do seu bolso o curso que fizeram,  para uns quantos arrecadarem mais dinheiro. Creio que o tempo em que as Forças Armadas se consideravam uma casta por serem a guarda pretoriana da ditadura, já acabou. E foram militares revoltados que acabaram com essa aberração. Os militares, hoje, são como todos nós. Se têm direito a sindicatos reivindicativos, também têm deveres de ética.  Não devem entrar em conflitos de interesse, sempre pagos pelo contribuinte. A não ser que caiam na asneira de ser como aqueles “democratas do 26 de Abril”, sobretudo na área da economia, do jornalismo e da coscuvilhice televisiva (também chamada comentário político) em que a norma é terem muitos empregos ao mesmo tempo. Sem quererem saber de quantos,  muitos  mais qualificados do que eles, estão no desemprego ou têm de emigrar. A isso chama-se ganância, falta de escrúpulos, ausência de solidariedade, negação do interesse pátrio. Podem vestir Armani ou Gucci, frequentar os bares mais chiques, espanejar o seu deslumbramento por palácios e praias da moda, que nem por isso deixam de ser o que são – uns boçais. Nobreza é ter carácter.

No que se refere à caravela Bom Jesus, que ia carregada de preciosidades e naufragou lá onde o Adamastor mandava, a reportagem dói como uma bofetada. O estado português nunca deu um passo para se entender com a Namibia a respeito desses despojos que nos pertencem.  Acertadamente, foi passado o filme das declarações de antigos ministros dos Negócios Estrangeiros.  Nenhum sabia de nada, sinal de que a cadeira governamental onde se sentaram provocava amnésia. No entanto, todos eles governaram a vidinha.  Alguns mesmo governaram-se tão bem que, de forma cristianíssima, deram o salto para empresas nacionais e multinacionais, airados e bem dispostos, como se não tivessem causado ao país prejuízos de largos milhões de euros com  as suas compras que, por tão inúteis e obsoletas, para sempre suscitarão a suspeita de corrupção à grande e à descarada.

Ficamos sem dúvidas que houve nisto tudo ignorância, incompetência, desleixo e nem um pingo de ética.  Mas andam por aí frescos e ladinos, como quem tem a consciência de férias, a dizer mal de tudo o que não seja do clube deles.  De alguns até os patrões que os sustentam nas suas acções de banha da cobra a pataco, dizem que são uns políticos formidáveis. É claro que não são. Se o fossem tinham credibilizado os partidos a que pertencem. Pelo contrário, trouxeram sobre eles mais suspeição e rejeição por parte do eleitorado.

O actual governo está em funções há poucos meses, não tem que responder por esta vergonha.  Mas, agora, tem o dever de pôr as coisas no são.

 

Comments

  1. Manuel Leal says:

    Carta de Portugal:
    As observações que faz sobre o pessoal da FAP são perfeitamente abjectas e insultuosas.

    • A. Miguel says:

      Sao uma porra. Vao trabalhar para quem lhes deu o curso.
      Andar a tapar lugares a civis é para ladroagem.
      O ministro que tome conta deles, ja que o CEMFA nao consegue…

    • Nightwish says:

      Até foi simpático… não referiu que o 25 de Abril só aconteceu porque não lhes pagaram o que achavam que mereciam.

    • Abel Barreto says:

      Sim, concordo que sejam insultuosas na medida em que é perfeitamente natural esse procedimento, ou forma de estar. Afinal de contas, quantos são os médicos, professores e outros profissionais que acumulam empregos, quais desvalidos que precisam de fazer umas horass extra para ver se o ordenado chega ao final do mês?

  2. fleitao says:

    Nighwish: quem escreve uma coisa destas não chegará nunca aos calcanhares do Salgueiro Maia e outros.

  3. fleitao says:

    Insultos? Portem-se bem que os jornalistas também o dirão.

  4. fleitao says:

    Abel Barreto: tem razão, eu devia ter feito uma lista mais extensa. Não fiz porque, estando muitos dessas profissões metidos no “gamanço” nacional que se borrifa para as carências do próximo, através dos partidos e outras casas de mau nome, uma lista extensa ia roubar precioso espaço a este blog. Como sabe, o espaço só pode ser esbanjado a granel por publicações que vivem de dinheiros mal ganhos em Angola, Brasil e offshires de referência. Este blog tem de poupar espaço, porque é sustentado por um grupo de carolas de modestos recursos financeiros. Não há Espírito Santo que lhe pague as contas.

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s