Somewhere in white America…

“Não disparem. Ele não tem nenhuma arma”, ouve-se no vídeo gravado no telemóvel de Rakeyia Scott, esposa de Keith Lamont Scott, morto a tiro pela polícia de Charlotte.

Apesar dos factos obscuros que envolvem o caso, é o registo criminal de Keith Lamont Scott que se tornou o ponto focal da imprensa de direita norte-americana.

Os meios de comunicação como The Inquisitr e blogs como os conservadores Treehouse e Powerline puseram em evidência que o Keith Scott tinha um “registo criminal longo” e um “passado de violência”, incluindo condenações por agressão agravada com uma arma mortal. A vítima ter sofrido um traumatismo craniano que o deixou incapacitado não parece ter sido em conta neste julgamento mediático.

A polícia argumenta que Keith tinha uma arma e mostrou as suas próprias gravações à família, contando torná-los públicos quando os investigadores acharem que é apropriado.

Pouca sorte de quem, na América, não nasceu com a cor certa.

América

Referências:

Comments


  1. Ele tinha uma arma; o polícia que disparou sobre ele é negro… e o chefe da polícia de Charlotte também; nos EUA mais brancos do que negros são alvejados por polícias. Quem se «informa» apenas através da imprensa de esquerda (norte-americana e não só) arrisca-se a dizer e a repetir disparates.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.