E os números do ministério estão errados?


14517558_1131366746949176_7518678896045357102_nJoão Miguel Tavares diz que descobriu que Jorge Coelho está na Quadratura do Círculo ao serviço do Partido Socialista. Para isso, baseou-se numa imagem em que se pode ver que o dirigente socialista está a ler um memorando do Ministério da Economia. Ao ler a cábula que lhe foi enviada, declarando que estudou o assunto em profundidade, não espantaria que o alegado comentador pudesse aparecer nas fotografias de curso de Miguel Relvas.

Jorge Coelho é um dos muitos chicos espertos do centrão cuja mediocridade o ajudou a chegar a altos cargos graças à frequência de aparelhos partidários. Tendo passado pela Mota-Engil, depois de ter estado no governo, Jorge Coelho é, assim, uma espécie de Durão Barroso dos pobrezinhos, no sentido em que terá usado cargos públicos como estágio para voos salariais mais altos.

De resto, é um caceteiro cujo momento mais brilhante correspondeu ao célebre “Quem se mete com o PS, leva!” Tanta falta de consistência intelectual, acompanhada por um discurso pobrezinho, fazem de Jorge Coelho o parente pobre do programa, diminuído, para mais, pela presença de gente com a dimensão retórica de um Pacheco Pereira e com a qualidade oratória de um Lobo Xavier, que têm independência suficiente para, pelo menos, não precisarem de prestar sempre serviços partidários ou políticos. Quando essa necessidade existe, nota-se demasiado: ainda me lembro das figuras tristes que Pacheco Pereira fez, nos anos oitenta, a defender o indefensável Cavaco Silva, no Flashback, antepassado da Quadratura na TSF.

A fotografia de João Miguel Tavares confirma, portanto, a pólvora: Coelho está, na SIC, a trabalhar para o PS, o que lhe garante, pelo menos, duas fontes de rendimento. Depois do fait-divers do descobrimento da careca, falta, agora, João Miguel Tavares demonstrar que os números do Ministério da Economia estão errados.

Imagem roubada: facebook de João Miguel Tavares

Comments

  1. Nightwish says:

    E o Lobo Xavier está lá para defender a continuidade dos seus negócios com o estado…

  2. António Neves says:

    Ena! este vulto do jornalismo fez um trabalho de pesquisa formidável: descobriu um comentador não isento 🙂

  3. tavares tontinho says:

    já o joão miguel tavares, trabalha para… enfim. descobriu que o jorge coelho é do ps. de facto um nobel qualquer já era merecido para o jmt.

    eu também sei para quem trabalham certos pseudo-neutros. e os pseudo-neutros do comentario em portugal trabalham todos para o mesmo lado, o lado da paf/psd/cds/sistema financeiro.

    ah! nao percam a entrevista de joao cesar das neves ao jornal de negocios. afinal, os reformados mandam nos media. e os fp também.

  4. Rui Naldinho says:

    Haja paciência para aturar as apreciações polticas de JMTavares!
    Apesar de me identificar mais com as análises feitas por Pacheco Pereira do que com as dos outros dois intervenientes, na Quadratura do Círculo, não acredito que qualquer deles não tenha a sua agenda própria. E daí? Vem algum mal ao mundo? Até parece que não sabíamos já que Jorge Coelho era militante do PS? E os outros dois são aséticos rapazes colocados numa redoma de vidro?
    Cada um deles representa-se a si próprio, e naturalmente o grupo social e profissional onde se insere. Mas, nem tanto, relativamente ao grupo político partidário onde se filiaram.
    Mas há pormenores que caracterizam os personagens, e que mostram o caráter do ser humano. E, goste-s ou não, isso já faz alguma diferença.
    Quando se questionou Jorge Coelho sobre a ida de Paulo Portas para a Mota Engil com conselheiro comercial para a América Central, e, aqui tenho dúvidas, se também para África, o socialista desejou-lhe sucessos sem fazer qualquer apreciação de caráter ás opções de Paulo Portas. A mesma postura manteve-a com Durão Barroso aquando da escolha deste para a Goldman Sachs, preferindo malhar forte e feio em Juncker, que considerou alguém que não era exemplo para ninguém, para criticar Barroso. Chamou-lhe até implicitamente de hipócrita.
    Percebe-se bem quais as razões do comedimento verbal nestas matérias, da parte de Jorge Coelho. Mas isso só o dignifica. Pior seria fazer como Durão Barroso que é incoerente, habilidoso e alguém que não olha a meios para atingir os seus fins. Barroso nunca seria capaz de ter a postura de Jorge Coelho, e já o demonstrou por diversas vezes. Barroso é um oportunista, e estes conhecem apenas os seus desígnios. Tudo o resto são peanuts.
    Quanto a JMT não vale a pena fazer apreciações de caráter. Quem tenta explicar que o livro do JASaraiva nao sendo defensável, não é assim tão mau como dizem, denota uma falta de bom sendo que só um empobrece intelectualmente.

  5. Splash says:

    Sol na eira e água nos nabais, é o que todos querem. Os que o autor acha que não prestam, os que prestam menos que os anteriores mas que o autor acha bons e já agora o próprio autor.

  6. Anti-pafioso says:

    Mais um digno representante da direita e extrema direita reacionária, E um prostituto do comentário .

Trackbacks

  1. […] professor António Fernando Nabais recorre por seu lado ao seu espaço de opinião no blogueAventar para comentar o caso, tecendo duras críticas a Jorge Coelho, de quem fala como “um dos muitos […]

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s