Copos de água a 10 cêntimos na Segurança Social de Sintra

Mau por si só, mas ainda pior num local onde quem frequenta está em débil situação financeira, como desempregados e reformados.

Será que passam factura? Como se sabe, é obrigatório.

Uma crónica a ouvir pelo actor Guilherme Leite, no seu canal Saloia TV.

Comments

  1. doorstep says:

    Será benta, a água?


  2. não há palavras….

  3. ant..ónio says:

    Já viram uma máquina que fornece água e tem copos depositados na parte lateral para os utilizadores? Já?
    E já viram e repararam se colocarem 50 copos de plástico, adivinhem quanto tempo leva a desaparecerem todos os copos ?
    10 cêntimos? Acho pouco.

  4. Luís Lavoura says:

    Talvez prefiram a alternativa, que é a Segurança Social não fornecer copos de água… é que nada a obriga a fornecê-los!

  5. Luís Lavoura says:

    Toda e qualquer coisa que seja de borla será consumida em excesso e de forma estouvada e desnecessária.

    • doorstep says:

      É… Daí as viagens, estadias e consumo de espectáculos idiotico-mafiosos à borla, ou, com mais rigor, por conta do contribuinte – uma vez que os custos abatem à matéria colectável.


  6. Bom, creio que o conceito dos copos pagos poderiam ser alargados a outros aspectos. Querem iluminação? Inserir uma moeda. Bancos para esperar sentado? Alugados ao minuto.

    Tudo depende do que achamos que os serviços devam ser, mas há mínimos. Em todo o caso, estamos a falar de minudências. Poupar em gastos nos serviços públicos, por exemplo, era rever de alto a baixo a hierarquia de chefias e respectivas mordomias.
    [editado]

  7. Isabel Amaro says:

    Não é verdade. A firma que explora o café que está na S.Social é que cobra esse valor a quem não consome nada e vai apenas beber água. Se for cliente não paga nada. E convem saber que esse café não pertence á S. Social.

Deixar uma resposta