Morreu um de Nós

Obrigado. Até ao Terceiro Anel.

“tenho dois amores: um é a Académica de Coimbra (…) o outro é o mesmo que o teu, Eusébio! É o BENFICA”

À espera de Marcelo Rebelo de Sousa

O candidato à Presidência da República, Marcelo Rebelo de Sousa durante um encontro com atletas paralímpicos, esta manhã no Estádio Universitário de Lisboa, 21 de dezembro de 2015. INÁCIO ROSA/LUSA

© INÁCIO ROSA/LUSA (http://bit.ly/2dDfE4R)

Waiting, waiting, waiting, waiting
Waiting, waiting, waiting, waiting

— The Doors, “Waiting for the Sun

ESTRAGON: Do you see anything coming?

VLADIMIR: (turning his head). What?

ESTRAGON: (louder). Do you see anything coming?

VLADIMIR: No.

ESTRAGON: Nor I.

— Samuel Beckett, “Waiting for Godot” (“À espera de Godot“/”Esperando Godot“)

Reina o silencio que falla,

Bafeja a doce frescura.

— A. Gonçalves Dias,  “Gulnare e Mustapha'” (“Sextilhas de Frei Antão“) (*)

***

Há alguns meses, soubemos que Marcelo Rebelo de Sousa decidira reabrir o debate sobre o AO90. Desde então, o silêncio tem presidido. Felizmente, no caso de Miró, o poder político foi exemplar (embora, como portuense, continue a achar que o Batalha teria sido a melhor solução: adiante). Todavia, no caso do AO90, isto parece que não vai lá nem com eleitos, nem com nomeados por eleitos: só mesmo com eleitores, ou seja, com Iniciativa Legislativa de Cidadãos pela revogação do AO90 e com Iniciativa de Referendo.

Se ainda não assinou, assine. Sim, as duas: a Iniciativa Legislativa de Cidadãos pela revogação do AO90 e a Iniciativa de Referendo. Porque as coisas continuam a correr mal e, para chegar a esta conclusão, basta prestar um mínimo de atenção à realidade. Efectivamente. Um mínimo de atenção. É sabido, desde Schelling, segundo Gadamer (p. 82): «Die Angst vor dem Nichts treibt die Kreaturen heraus aus ihrem Zentrum». De facto: “Die Angst des Lebens selbst treibt den Menschen aus dem Centrum [, in das er erschaffen worden]”. De facto, sim. Exactamente. Enfim, hoje, no sítio do costume.

dre3102016

***

(*) Recomendo a leitura do excelente texto de Sant’anna Martins “O experimentalismo linguístico de Gonçalves Dias“.

Menezes e Narciso em Matosinhos

PSD e PS andam a tentar… Ou sonhei? (Depois podem dizer que leram no Aventar primeiro, ok?)

MAC & Rio, juntos para destruir Menezes

macÀ volta da possibilidade dos provincianos virem a ter acesso à cultura, a opinião publicada dos últimos dias tem vindo a mostrar a profunda ignorância de boa parte da nossa elite. Temos, também por isso, muito orgulho no Aventar e na forma como este espaço se tornou uma montra das realidades, tão diversas, do nosso país.

Ao longo dos anos tenho vindo a escrever sobre Vila Nova de Gaia e, nunca o escondi, sempre senti algum incómodo (palavra simpática) pela presença de Marco António na terra que escolhi para educar os meus filhos.

Acompanhei atentamente alguns dos posts que nos últimos tempos foram publicados no Aventar e que, de algum modo, questionaram a decisão municipal de atribuir uma medalha ao antigo vice-presidente da autarquia.

E, queria voltar ao tema porque, imaginem só, tive um sonho. Estranho, mas um sonho. Será que o posso convidar, caro leitor, a acompanhar a descrição do meu sonho?

Imagine que houve, em tempos, um Presidente da Câmara do Porto, de seu nome Rui Rio. Na mesma época, do lado de cá, a autarquia era liderada por Luís Filipe Menezes e Marco António Costa. Todos do PSD. O dicionário não dispunha de muitas palavras capazes de fazer justiça ao sentimento sentido de ambos os lados: ódio? Os laranjinhas Rio e Menezes seriam, nesse sonho, inimigos. [Read more…]