Fiscalidade mais amiga da esmagadora maioria


oe16

O Orçamento de Estado para 2017 ainda não foi apresentado mas, como vem sendo habitual, as fugas de informação já nos permitem saber, através da comunicação social, muito daquilo que será apresentado na generalidade. O fim da sobretaxa, um dos muitos impostos introduzidos pela coligação além-Troika, que nos impôs, é bom não esquecer, o maior aumento de impostos de que há memória neste país, acontecerá de forma faseada, ao contrário daquilo que estaria previsto. E a direita já esperneia violentamente com esta possibilidade, apesar do embuste pré-eleitoral com que Passos, Maria Luís e restantes compinchas enganaram os portugueses. Para quando nova palermice da JSD em formato vídeo?

Acontece que, após a eliminação da sobretaxa para todos os contribuintes com rendimentos colectáveis até 7 mil euros, medida que foi implementada este ano, prevê-se também a eliminação total deste imposto para o escalão imediatamente acima, que agrega todos os contribuintes com rendimentos colectáveis entre 7 e 20 mil euros. Feitas as contas, e a julgar por aquilo que podemos ler hoje na imprensa portuguesa, a esmagadora maioria dos portugueses deixará de pagar a sobretaxa a partir de 1 de Janeiro, sendo que apenas uma pequena parte da população, que aufere rendimentos muito acima da média, continuará a pagar este imposto, que deverá ser totalmente eliminado até ao final do ano. Sim, que os pobres dos milionários já não aguentam tanto imposto. Alguns até já passam fome, coitados!

Mas, porque esperneia a direita? Porque, apesar do discurso falacioso alicerçado num aumento de impostos que, pelo menos em 2016, é contrariado pela realidade, existem fortes perspectivas de que outros impostos desçam também em 2017. Claro que, porque nisto das contas públicas não há milagres, outros impostos serão criados e/ou agravados para compensar a devolução de rendimentos aos portugueses que Passos e Portas enforcaram pela cintura. Mas enquanto essas opções disserem respeito à tributação do património dos mais abastados ou incidirem sobre alguns produtos nocivos para a saúde, é para o lado que durmo melhor. Eu e a esmagadora maioria dos portugueses, sem casas de férias na Comporta e sem necessidade de consumir coca-colas e 7ups para sobreviver.

Foto@TVI24

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    Aí João, João!!
    As coisas que tu escreves, meu filho!
    Soubesses tu as “saudades” que eu já tenho do nosso Pedro, e nãos colocavas essas palavras tão frias, tão insensíveis no teu texto.
    “As saudades que eu já sinto daqueles cortes a X-Acto nos nossos ordenados, nos abonos de família e tudo o que era prestação social!”
    “Aquele colossal aumento de impostos do meu tio Gaspar foi como que beber sumo de limão puro, para me eliminar as tóxinas”
    “Acredita João, para mim e muitos vizinhos meus foi como que uma dieta. Até me sentia mais aliviado, mais ligeiro!”
    “Tanto que nem fui de férias esse ano, não fosse ter uma diarreia no caminho.”
    “A nostalgia que sinto do Pedro é grande, João! E ele não merece ser esquecido, filho”
    “Quando me lembro que ele chamou piegas a estes idiotas, eu incluindo! E quando disse aqueles putos novos, meios novos e meios velhos para emigrarem porque era uma portunidade de vida? ”
    “Aquilo sim, é um político com testículos negros! Um Estalinista da direita.”
    “Não esta mariquice da Geringonça! Parece uma união de facto a quatro. Ainda lhes vais nascer uma criança de quarto país como aquela mexicana.”
    ” Pobre Pedro! Tanta ingratidão por quem tanto fez por nós!”
    “Deus nosso Senhor lhes perdoe, pelo pecado que cometem contigo Pedro”

  2. Rui Naldinho says:

    Quem tiver acesso ao sinal por cabo, veja o telejornal da SIC Notícias das 22h00, do dia 14-10-2015
    Primeiro, o tempo de antena da PAF no comentário de José Gomes Ferreira. A seguir, o TABU de Francisco Louçã desmentindo tudo aquilo que o anterior disse. Mas o melhor, mesmo foi o momento ZEN.

  3. Acácio Bernardo says:

    Afinal parece que a esquerda é só coisas boas a favor dos pobres e a direita é o dos ricos. Que pobres que sois , mas de cabecinha…

    • Não é a esquerda e a direita Acácio. É este acordo de partidos de esquerda e esta direita radicalizada com prazo de validade expirado que temos no Parlamento. Mas obrigado por iluminar o meu caminho, esta cabecinha esquerdalha é uma desgraça.

  4. Rui Silva says:

    Gostei especialmente da tirada:
    “Acontece que, após a eliminação da sobretaxa para todos os contribuintes com rendimentos colectáveis até 7 mil euros, medida que foi implementada este ano…”

    Divinal …

    Rui SIlva

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s