Orçamento para a Educação: esquerda e direita

evrNão é fácil encontrar palavras para escrever sobre o orçamento apresentado pelo Governo. Parece-me que os nomes atribuídos à mãe do Pedro Proença nos jogos do Benfica serão insuficientes para qualificar esta gentinha medíocre. E, como vem sendo habitual, a Educação é o sector com o maior corte: 700 milhões.

A esta hora a cambada larangista que passou do primeiro parágrafo estará a pensar que não há dinheiro para mais, que tem de ser, que vivemos acima das nossas possibilidades. Claro que também estão a reflectir sobre o BPN e o BES e as empresas do Relvas e do Coelho.

Mas, lamento informar, estão enganados. É mesmo possível fazer diferente e, ao mesmo tempo, fazer melhor.

Em Vila Nova de Gaia andou um senhor que fez o que queria e ainda lhe sobrou tempo para ajudar meio mundo a tratar da respectiva vidinha. A dívida consolidada da autarquia é, depois do pesadelo,superior a 318 milhões. Mas, mesmo com esta dificuldade, foi possível, num ano reduzir o prazo de pagamentos a fornecedores de 206 para 111 dias o que é fantástico para a economia local. O passivo foi também reduzido em quase 33 milhões.

A Câmara de Eduardo Vitor Rodrigues conseguiu ainda baixar várias taxas municipais (derrama, imi, água) e investir na Educação: para além do alargamento da oferta dos livros escolares ao 2º ciclo, a Escola a tempo inteiro tem hoje uma dimensão única por estes lados. As escolas estão abertas das 7h30 às 19h30. É claro que este projecto pode colocar várias questões (o mais discutido a alternativa hiper-escola / hiper-rua) , mas estamos a falar, de um enorme investimento na Escola Pública e na qualidade do serviço prestado, até porque, como sugere David Rodrigues, estamos a falar de docentes qualificados.

Parece-me, pois, que é possível fazer diferente e fazer melhor porque um concelho da dimensão de Gaia é um território já com algum significado. É tudo uma questão de prioridades e, estou convencido, que por cá, ninguém se importará de exportar o modelo para o todo nacional. Não estamos e não podemos estar condenados a viver na miséria e a aposta na Escola Pública é a única que nos poderá tirar deste buraco onde a direita nos quer colocar.

Ainda o inglês

Se há coisa que eu detesto é quando um político, nomeadamente estes de última geração, nos tentam fazer de burros! E Nuno Crato está nesse registo. O de um telelé de nova geração, daqueles que em três tempos é trocado por um outro qualquer .

Vejamos:

– com a Escola a tempo inteiro introduzida por José Sócrates o inglês passou a ser obrigatório nas actividades extra-curriculares. Isto é, no 1ºciclo (1-4º ano) os alunos passariam a ter um espaço para a introdução à língua inglesa nas “aulas” depois das “aulas normais”, naquele espaço que ia entre as 15h30 e as 17h30. É verdade que era facultativo, mas a maioria dos alunos passou, realmente, a ter inglês;

– Nuno Crato, no seu projeto de construção de uma Escola Nova , talvez inspirado no Estado novo, resolve retirar ao Inglês esse carácter obrigatório e, ao mesmo tempo, atira para as escolas a possível oferta dessa língua. Possível, porque, na verdade boa parte dos Agrupamentos não terá condições para o fazer e… [Read more…]

Aumento do horário de trabalho dos professores

E quem se lixa são os putos

Desculpem lá o simplismo da afirmação, mas isto não está para falinhas mansas.

Ao que parece os idiotas de serviço resolveram trocar uma hora diária de AEC (Actividades de Enriquecimento Curricular) por mais uma hora de apoio ao Estudo.

Na prática e sem qualquer tipo de eufemismo o que o MEC quer é simples: despede os professores precários que hoje estão nas AEC e no seu lugar coloca os dos quadros. Como?

A cada um dos professores do 1ºciclo (antiga primária) acrescenta uma hora de trabalho por dia (isto é 5/semana, ou seja, aumenta o horário de trabalho de 35h para 40h) e arranja as horas necessárias para o Apoio ao Estudo.

A outra hora ficará a cargo dos professores dos quadros que ficando com horário zero saltam para esta amostra de serviço.

E assim se poupam uns milhões, dizem que 75.

Perguntará a esta hora, algum leitor mais atento, mas então qual é o problema: [Read more…]

A Alheira da Playboy ou a Playboy de Mirandela

Os meus cinco minuto de fama estão longe – não troquei o calor das minhas roupas por um salário, ainda por cima a recibos verdes.

A expressão corporal que a chama da Torre nos trouxe mais não é do que o exemplo de alguém que torna visível o absurdo em que se transformou o negócio das AEC’s – negócio, entenda-se, para as C. Municipais.
E além da exploração que é feita a quem trabalha APENAS e SÓ pelo tempo de serviço, temos um serviço de péssima qualidade. Um exemplo:
– O Prof. Mário entra às 15h na escola A, onde trabalha 45 minutos. De acordo com os horários, deveria às 15h45 entrar na segunda aula, assim que a primeira estivesse no fim. Acontece, que a segunda aula é numa escola a 5 km da primeira. Isto é, depois dos primeiros 45 minutos, o Professor tem que ir no seu carro, percorrer a distância entre as escolas e… fazer de conta que dá uma aula de 45 minutos…
E é esta a fantasia em que se tornou a nossa Educação hoje – fazer de conta é o lema!
Mas, ficamos pelo menos com a certeza que as Mães de Mirandela, na vanguarda dos bons costumes, estão atentas!

As fotos da Playboy de Bruna, a professora que não o é, e a vereadora que devia ter vergonha de o ser

Maria Gentil Vaz

Vamos por partes: Bruna Real, a senhora de Mirandela que posou nua para a Playboy, não é professora, quanto muito será monitora de Actividades Extra-Curriculares, o que não é bem a mesma coisa.

As AEC são uma das maiores vergonhas deste governo: com o objectivo de transformar as escolas em depósitos de meninos trocaram-se os ATL’s por actividades sem qualquer enquadramento pedagógico, asseguradas por contratados a recibo verde, miseravelmente pagos, e ensaiando a privatização do ensino “descentralizou-se” a sua contratação nos Municípios. Estes optam por sub-contratar empresas de vão de escada, ou pela contratação directa, sem qualquer critério sério, por um lado, e sem um mínimo de enquadramento profissional, por outro.

Como se escreve no FERVE: “se esta professora tivesse sido contratada como deveria, através de um concurso nacional de professores/as, nada disto aconteceria”.

O sistema ensaiado para as AEC tende a ser alargado aos professores, através da dita municipalização, que não passa de uma privatização encapotada (e já dá muito dinheiro a ganhar às tais empresas inventadas à pressa). [Read more…]

Professora Bruna: Vereadora de Mirandela vai ser próxima capa da «Playboy Portugal»

EIS UMA FOTO EXCLUSIVA DA VEREADORA TESUDA, QUE VAI PASSAR A PREENCHER O IMAGINÁRIO DAS CRIANÇAS DO CONCELHO


Ainda as ondas de choque da publicação das fotos ousadas da professora Bruna na «Playboy» não terminaram e o Aventar já está em condições de anunciar que a Vereadora da Câmara de Mirandela que decidiu a demissão da jovem professora irá ser a próxima capa da versão portuguesa da revista americana. Dizem as nossas fontes que irá fazer-se retratar em poses sensuais ao lado do presidente José Silvano.
Sejamos claros e falemos a sério: se a vereadora tem inveja da professora Bruna, que tem um corpo de fazer espernear qualquer canastrona, o problema é dela.
É que se tivesse sido alguém acusado de roubar, nem que fosse para comer, ou de fugir aos impostos, ou de ser militante de um Partido que todos nós sabemos qual é, a Vereadora iria dizer que devia esperar-se pela Justiça. E nada faria.
Como é um caso de vida privada, que envolve nudez, a Vereadora julga-se no direito de decidir pela sua própria noção de moral e bons costumes.
Sou professor e sei perfeitamente que o caso seria motivo de alarido na escola. Uma semana, no máximo duas. Depois esquecia.
A professora Bruna, caros leitores, recebe cerca de 400 euros por mês da Câmara Municipal de Mirandela. A recibo verde e com contrato até final do mês de Junho.
Respeitem os professores antes de dizerem o que quer que seja acerca da sua conduta.