A Alheira da Playboy ou a Playboy de Mirandela

Os meus cinco minuto de fama estão longe – não troquei o calor das minhas roupas por um salário, ainda por cima a recibos verdes.

A expressão corporal que a chama da Torre nos trouxe mais não é do que o exemplo de alguém que torna visível o absurdo em que se transformou o negócio das AEC’s – negócio, entenda-se, para as C. Municipais.
E além da exploração que é feita a quem trabalha APENAS e SÓ pelo tempo de serviço, temos um serviço de péssima qualidade. Um exemplo:
– O Prof. Mário entra às 15h na escola A, onde trabalha 45 minutos. De acordo com os horários, deveria às 15h45 entrar na segunda aula, assim que a primeira estivesse no fim. Acontece, que a segunda aula é numa escola a 5 km da primeira. Isto é, depois dos primeiros 45 minutos, o Professor tem que ir no seu carro, percorrer a distância entre as escolas e… fazer de conta que dá uma aula de 45 minutos…
E é esta a fantasia em que se tornou a nossa Educação hoje – fazer de conta é o lema!
Mas, ficamos pelo menos com a certeza que as Mães de Mirandela, na vanguarda dos bons costumes, estão atentas!

Comments

  1. Luís Moreira says:

    São os chamados professores TGV!


  2. pouco boa…

Trackbacks


  1. […] This post was mentioned on Twitter by Blogue Aventar. Blogue Aventar said: A Alheira da Playboy ou a Playboy de Mirandela: Os meus cinco minuto de fama estão longe – não troquei o calor das… http://bit.ly/bZnc1Z […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.