Isto hoje está mau para os lados do PS: o ministério público não está para natais

edifício que foi dos CTT em Coimbra

Além de Lopes da Mota, também Luís Vilar, destacado responsável do PS de Coimbra, e arguido noutros processos, viu a acusação ser-lhe deduzida pelo ministério público no caso dos amigos dos Correios. Embora este processo tivesse inicialmente mais gente do PSD que do PS, aparentemente o presidente da Câmara de Coimbra safou-se, mais os vereadores à época, tal como Paulo Pereira Coelho (este na Figueira da Foz com mais processos) e Paulo Miraldo.

Eu bem tinha avisado que este não era um caso para o PS mandar à cara do PSD. É um caso para mandarmos à cara do bloco central.

Vilar, líder do PS-Coimbra e vereador na autarquia à data dos factos, é acusado dos crimes de corrupção passiva para acto ilícito e branqueamento de capitais. É a segunda vez que este destacado elemento do aparelho socialista é acusado por este crime. No primeiro caso, que já está a ser julgado, foi acusado pelo DIAP de Coimbra, em 2007, num processo que envolve Domingos Névoa, administrador da Bragaparques. Neste processo dos CTT, Vilar incorre ainda na pena acessória de proibição do exercício de funções.

Comments

  1. Luis Moreira says:

    Esse prédio tem muito que contar…

  2. maria monteiro says:

    como é o caso dos amigos dos correios está visto que uns escreveram ao Pai Natal e outros ao menino Jesus