Como uma onda, como uma onda que ninguém pode parar

http://sic.sapo.pt/online/flash/playerSIC2009.swf?urlvideo=http://videos.sapo.pt/mk4haRvRevwqeMbY9DER/mov/1&Link=http://sic.sapo.pt/online/video/informacao/Nos+Por+Ca/2009/12/ricas-ondas-investimento-de-1-milhao-e-250-mil-euros-so-funcionou-3-meses28-12-2009-20383.htm&ztag=/sicembed/info/&hash=A17AE318-9413-47A3-B5F7-50F0DFAC3B3A&embed=true&autoplay=false

Póvoa de Varzim, Setembro, 2008: “Tudo começou aqui e hoje”.  Assim inaugurava  Manuel Pinho o Parque de Ondas da Aguçadoura, na Póvoa de Varzim, o primeiro parque mundial de aproveitamento da energia das ondas.

Um milhão e 250 mil euros de investimento público depois, aliás, de  4 milhões de euros repartidos não se percebe muito bem entre quem,  Manuel Pinho pode orgulhar-se de ter inaugurado o primeiro parque mundial deste género a encerrar. No mundo e provavelmente no universo.

Já agora, ouçam com atenção o sr. da EDP. E depois leiam isto:

“Neste momento, não estamos ainda perante uma tecnologia completamente estabilizada. As máquinas do Parque da Aguçadoura tiveram um Inverno duro, do ponto de vista marítimo, e vieram para terra fazer algumas reparações, isso não é nada de especial. Não podemos esquecer que isto é um projecto”, afirmou o administrador, refutando as declarações de Rui Barros, da Companhia da Energia Oceânica, que considerou estar “seriamente comprometido” o projecto do ‘cluster’ português da energia das ondas, devido à paragem do parque de ondas de Aguçadoura.

Dito ao Público em Março por Jorge Cruz Morais, administrador da EDP.

Via Blasfémias. E já agora, na Wikipédia, no artigozinho de propaganda, as ondas ainda não pararam.

Comments

  1. Luis Moreira says:

    João, isto é tecnologia para ” tesunamis” (vês como as palavras são perigosas?), Mude-se as ondas que tecnologia já temos!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.