O pensamento político de Fernando Nobre!


Já é conhecido este discurso no lll Congresso Nacional dos Economistas, na Madeira, mas nessa altura o Presidente da AMI ainda não era candidato à Presidência da República, pelo que faz todo o sentido dá-lo à estampa aqui no Aventar. Se é verdade que uma parte da plateia o ovacionou de pé outra houve, constituída por jovens “turcos”, que tentou ridicularizar o que eles acharam ser conversa demagógica. Para esta gente a pobreza dos mais fracos é demagogia, como é demagogia verberar os vencimentos  milionários de boys e girls!

Dr. Fernando Nobre
“Temos 40% de pobres”
III Congresso Nacional de Economistas

O presidente da AMI, Fernando Nobre, criticou hoje a posição das associações patronais que se têm manifestado contra aumentos no salário mínimo nacional. Na sua intervenção no III Congresso Nacional de Economistas, Nobre considerou “completamente intolerável” que exista quem viva “com pensões de 300 ou menos euros por mês”, e questionou toda a plateia se “acham que algum de nós viveria com 450 euros por mês?
Numa intervenção que arrancou aplausos aos vários economistas presentes, Fernando Nobre disse que não podia tolerar “que exista quem viva com 450 euros por mês”, apontando que se sente envergonhado com “as nossas reformas”.
“Os números dizem 18% de pobres… Não me venham com isso. Não entram nestes números quem recebe os subsídios de inserção, complementos de reforma e outros. Garanto que em Portugal temos uma pobreza estruturada acima dos 40%, é outra coisa que me envergonha…” disse ainda.
“Quando oiço o patronato a dizer que o salário mínimo não pode subir…. algum de nós viveria com 450 euros por mês? Há que redistribuir, diminuir as diferenças. Há 100 jovens licenciados a sair do país por mês, enfrentamos uma nova onda emigratória que é tabu falar. Muitos jovens perderam a esperança e estão à procura de novos horizontes… e com razão”, salientou Fernando Nobre.

O presidente da AMI, visivelmente emocionado com o apelo que tenta lançar aos economistas presentes no Funchal, pediu mesmo que “pensem mais do que dois minutos em tudo isto”. Para Fernando Nobre “não é justo que alguém chegue à sua empresa e duplique o seu próprio salário ao mesmo tempo que faz uma redução de pessoal. Nada mais vai ficar na mesma”, criticou, garantindo que a sociedade “não vai aceitar que tudo fique na mesma”.
No final da sua intervenção, Fernando Nobre apontou baterias a uma pequena parte da plateia, composta por jovens estudantes, citando para isso Sophia de Mello Breyner. “Nada é mais triste que um ser humano mais acomodado”, citou, virando-se depois para os jovens e desafiando-os: “Não se deixem acomodar. Sejam críticos, exigentes. A vossa geração será a primeira com menos do que os vossos pais“.
Fernando Nobre ainda atacou todos aqueles que “acumulam reformas que podem chegar aos 20 mil euros quanto outros vivem com pensões de 130, 150 ou 200 euros… Não é um Estado viável! Sejamos mais humanos, inteligentes e sensíveis”.

Comments

  1. maria monteiro says:

    Vergílio Ferreira dizia que “quanto mais alto de sobe, mais longe é o horizonte”
    a minha esperança é que o povo não vai aceitar que tudo fique na mesma

  2. Iscas says:

    Tem o meu voto.

    Mudando de assunto, mas então… e esta hem
    http://www.base.gov.pt/_layouts/ccp/AjusteDirecto/Detail.aspx?idAjusteDirecto=134749&lk=srch

  3. Luis Moreira says:

    Eles comem tudo…


  4. Fernando Nobre parece-me uma pessoa séria, honesta, de bom-senso, íntegra, e com um inegável espírito de solidariedade. Só não entendo, porque navega em áreas políticas tão ambíguas! PS, PSD, BE etc. Não me venham com tretas. Ou se é socialista autêntico, e, nessa altura não há fusões nem confusões, ou não se é socialista autêntico, e todas as manigâncias capitalistas se apresentam como credíveis aos olhos menos avisados.

    • Luís Moreira says:

      Não, caro Adão, aqui há algo muito mais importante do que ser socialista/bloquista/comunista….aqui o que é importante é a sociedade civil ter uma voz. A este nível, e nesta perspectiva todos os partidos vão estar contra o Fernando Nobre!Nenhum fará a diferença, é o quintal que estará em jogo e, aí, são todos iguais e nenhum se esquecerá onde está o interesse partidário comum. Sem uma sociedade civil forte o nosso país estará sempre sob a pata das corporações instaladas e a mais forte de todas é a partidária.

  5. rui martins says:

    Está convidado para o jantar de 1 de maio com o Dr. Fernando Nobre!

    O objectivo é o de reunir um grupo de cerca de 500 amigos, por isso para que tudo corra da melhor maneira possível, e por forma a que este encontro se torne num momento inesquecível para todos os seus intervenientes, é fundamental toda a nossa colaboração, pelo que o Dr. Fernando agradece a sua presença e a de todos os seus amigos e familiares a quem queira divulgar este convite.

    Local: Mercado da Ribeira (Av. 24 de Julho, próximo do Cais do Sodré), para quem reside fora de Lisboa e não conhece muito bem o local, são estas as coordenadas de GPS: N 38º 42′ 24,89” , W 9º 8′ 44,56”
    Hora: 19h 30
    Custo: 15 euros (preço do jantar, não é uma recolha de fundos)

    Vamos Acreditar!
    Divulgue aos seus amigos esta mensagem!

    Contacto para marcações: paula.sarmento@lisboacomfernandonobre.org

  6. maria monteiro says:

    e antes o 1º de Maio é comemorado onde?

  7. Rui Martins says:

    Como assim, Maria? O jantar é a comemoração.
    No 25 de abril, o Dr. Fernando Nobre participará no desfile, evento para o qual está, aliás, convidada.

  8. maria monteiro says:

    desde 1974 que todos estamos convidados para a manifestação do 25 de Abril

    quanto ao 1º de Maio já percebi que o desfile vai ser sentado …

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.