PEC: Bagão Félix à Esquerda de Sócrates

Ouvi hoje Bagão Félix na rádio e é impossível não concluir que um ex-governante do CDS consegue estar à Esquerda de um primeiro-ministro do PS, Partido dito Socialista. Não é primeira vez que Bagão consegue estar à Esquerda de Sócrates – já se viu o mesmo aquando da aprovação do Código do Trabalho.
A propósito do PEC e das medidas para diminuir o défice, Bagão apontou duas medidas: aumento dos impostos sobre transacções de bens de luxo e cancelamento do 13.º mês para os ricos. Medidas justíssimas, porque afectariam apenas as pessoas com elevados rendimentos.
A estas duas, acrescentaria eu uma outra, tão justa como as anteriores: o aumento dos impostos à Banca, que em média paga metade do IRC das restantes empresas. Um dos maiores escândalos do Portugal pós-25 de Abril, sendo curioso verificar, para quem tiver memória, que foi Manuela Ferreira Leite, ao contrário do actual Governo, quem teve a coragem de aumentar, ligeiramente, é certo, a tributação dos Bancos no offshore da Madeira.
Eu tinha vergonha, muita vergonha mesmo, de me considerar de Esquerda e, ao mesmo tempo, defender um Governo que mantém os escandalosos benefícios fiscais dos Bancos ao mesmo tempo que diminui o subsídio de desemprego.

Comments

  1. Carlos Fonseca says:

    Mas vergonha é aquilo que falta ao Governo e a quem o apoia. Ou será a velha estória de olhar apenas para o umbigo?

  2. Luis Moreira says:

    Este governo nunca teve uma visão para o país. Limitou-se a dar dinheiro aos grandes grupos económicos públicos e privados e andou a sonhar com os megainvestimentos que dão muito dinheiro a ganhar. Este recuo veio dar razão a todos os que estavam contra.

  3. inquieto says:

    Caro Ricardo,
    Tem toda a razão quando faz estes “reparos”. Vivemos num país adormecido. que mal fez este povo para merecer esta escumalha. Somos assim tão maus, que mereçamos isto? Existe uma ideia comum na cabeça dos portugueses que nada podemos fazer. O que até é compreensível. O estado do país em que vivemos está doente desde pelo menos à 2 décadas entre governos do PS e do PSD. Todos os indicadores nos posicionam como o país que mais perde, que menos evolui, que tem fraca competitividade e que tem um crescente e cada vez mais elevado numero de pobres. Cá por mim, tenho um total descrédito em relação a tudo que tenha por nome política. Quando se fala no actual estado do país, só me vem á cabeça uma imagem de um filme “A lista de Shindler” em que uma criança se atira para uma latrina e fica coberta de merda até ao pescoço. è assim que me sinto relativamente aos políticos portugueses dentro de uma latrina.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.