O Dizimista

O alegado representante de Cristo na Terra vem ao Reino Unido para uma série de concertos em várias salas de variedades.

Entrada paga. A Máquina precisa de dinheiro. Só não me lembro de nos Evangelhos autorizados ter lido de algum colecta feita por Jesus. Só me lembro de alguém que se vendeu por trinta moedas. Cristo, anda cá ‘baixo ver isto…

Comments

  1. Dario
    Vergonha de todas as vergonhas!
    Dpois de tudo o que sabemos, e depois de ler “Vaicano S.A.”, baseado nos documentos secretos e incontestáveis do cardeal Dardozzi, já nada é surpresa. Esta vergonha de obrigar a bilhetes bem pagos para ouvir Ratzinger e as suas missas não lembraria ao diabo. Penso mesmo que será ideia do diabo, tão perto a igreja está do reino do mal e tão longe do reino de deus.
    Todavia, esta habilidade financeira é um brincadeira traquina de criança se a compararmos com o antro criminoso, vigarista, catedral de pulhices e fraudes desde há muitos anos, de mãos dadas com tudo o que há de pior no seio do crime, como membros corruptos do governo e de outros Estados, mafia e traficantes, que é o IOR (Instituto de Obras Religiosas). Por isso alguém disse e com razão que a ICAR (Igreja Católica, Apostólica, Romana), não é isso que quer dizer, mas sim: (Igreja, Criminosa, Anti-cristã, Reaccionária).

  2. graça dias says:

    nao se preocupem cristo não vem cá baixo ver nada.

  3. Alfredo says:

    Caro Adão, isto só prova que a igreja teve em devida consideração as críticas que fez relativamente às visitas sem custos para o utilizador http://www.aventar.eu/2010/03/13/nao-quero-pagar-a-visita-do-papa/ e implementou o princípio do utilizador pagador…

  4. maria monteiro says:

    Com tudo o que se vai sabendo, aquilo que penso é que a Igreja Católica está a cravar, nela própria, mais um prego.

    Pagar bilhete para estar na missa acho simplesmente anedótico. Eu como católica praticante se alguma vez tiver que pagar bilhete para estar numa celebração pura e simplesmente abandono a Igreja católica.

    Posso dizer que na Sé de Évora apenas não se paga na hora das missas. Nos intervalos quem entra tem que pagar bilhete. Se quiser estar simplesmente sentada a rezar, no silêncio… ou pago bilhete ou então tenho que procurar outra igreja. Escusado será dizer que não procuro outra igreja simplesmente… quando lá estou vou “rezar” para o meio dos homens entre um sumo e uma queijada.

    Caro Alfredo, cá as receitas foram de outro género… nas camisolas, lenços, estandartes, medalhas, terços, livros e a serem vendidos muito acima do preço de custo.

  5. Não é bem assim, amigo Alfredo. Sem custos de bilhete, mas todos nós pagámos indirectamente, como sabe. As despesas destas deslocações e destas palhaçadas devem, pura e simplesmente, ser a expensas do vaticano e de mais ninguém. Ou, pelo menos, não serem à custa daqueles que nada têm a ver com isto, que desprezam e deploram todo este sujo negócio, cúmulo da hipocrisia e da falsidade.

  6. Alfredo says:

    Eu estou de acordo com as críticas ao facto de o custo destas visitas ser suportado pelo Estado, ou seja, por todos os contribuintes, independentemente do seu credo. Poder-se-á argumentar que o Papa é um líder religioso e chefe de estado, mas o Dalai Lama também o é (pelo menos líder religioso) e não costuma ter o mesmo tratamento.
    Mas já não estou de acordo que critiquem os meios de financiamento da Igreja Católica, por muito que pareçam dissonantes da mensagem propalada, porque a adesão é voluntária.
    Contudo o Estado tem de estar atento e punir as situações que configurem extorsão e abuso de pessoas debilitadas praticadas sob a bandeira de qualquer religião. Católica incluída, pois o estatuto de estatisticamente mais representativa não a deve pôr acima das demais no tratamento dado pela lei.

    Vejamos as coisas pelo lado positivo, isto já foi pior. O D. Afonso Henriques teve de bater na mãe, lutar contra mouros, assinar tratados com Castela para que Portugal fosse independente. Mas para que o Papa aceitasse que lhe prestasse vassalagem directa teve de pagar. Não se pode dizer que pagou e não bufou, porque bufou, mas, que remédio, pagou.

Trackbacks

  1. […] Fica a minha promessa eleitoral de ser um bom “católico praticante” quando encontrar um templo desta natureza. Até pago a dízima. […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.