O melhor cabrito do mundo

O melhor cabrito do mundo

Não foi só o cabrito. Outros factores houve que nos fizeram deslocar do Porto, de Amarante, de Marco de Canaveses, de Setúbal, de Sever do Vouga, de Vale de Cambra, embora todos sejamos naturais de Vale de Cambra, com raras excepções. E o mais forte de todos foi a amizade que vem dos tempos da juventude. O outro foi a Serra. A magnífica e deslumbrante Serra da Gralheira, estendida pelos seus três contra-fortes, Freita, Arestal e S. Macário. Quem não conhece estes caminhos da Freita, Merujal, Castanheira, Mijarela, Albergaria da Serra, Salgueiro, Manhouce, Cabreiros, e tantos outros tem obrigação de cá vir pois não sabe o que perde.

O Prof. Vasco nasceu por aqui, rente ao céu. Conhece a Serra como ninguém, desde os altos cumes até às rendilhadas intimidades das suas imensas saias rodadas. Levou-nos desde o Merujal, serra acima e serra abaixo, de onde se vê o mundo, até meio da encosta de onde se vê Arouca, Moldes e Alvarenga. O dia límpido de ontem, de sol resplandecente, o profundo silêncio que se ouve, a brisa acariciadora que vagueia sonâmbula pelo alto dos montes, a soberba paisagem de princípio do mundo, arrebatam-nos, quer queiramos quer não, para a nossa dimensão universal. O único vector antropocêntrico que ainda se fazia sentir era a esperança do cabrito.

O recolhido lugar do Espinheiro fica nesse local da encosta, escondido entre frondosa vegetação. O carro torce-se todo para lá chegar, mas depois aninha-se satisfeito num pequeno terreiro empedrado, verdadeiro miradouro. No coração deste bocadinho de terra, a pequena ”Casa no Campo” do Sr. Manuel, reconstruída um pouco à moderna mas com elegância, sobriedade e requinte, olha para nós a querer atrair-nos para o que vai lá dentro. E o que vai lá dentro só pode ser sentido.

A paisagem deve ser daquelas que existem no céu, e o cabrito também, se é que lá, no céu, se come cabrito. Que simplicidade de requinte e que requinte de simplicidade. No decorrer da vida todos nos vamos dando conta de que o valor das coisas vai sendo, cada vez mais, directamente proporcional à simplicidade. E a simplicidade da história, da tradição, da nobreza e da beleza daquele alguidar de arroz de forno e daquela travessa de cabrito é um poema.

O melhor cabrito do mundo. Digo-o, porque não imagino que se possa fazer melhor. Foi um belo dia, uma lição de natureza, de amizade, um lampejo de sonho e de encanto. Mas também uma lição de gastronomia, colhida na simplicidade rústica e na simpatia do Sr. Manuel (que diz ter sido meu doente em criança) e da família. Uma lição de hotelaria onde deviam vir aprender alguns dos que julgam que sabem tudo.

Bem hajas Vasco.

Comments

  1. carlos fonseca says:

    Adão, em Vale de Cambra também se comia um excelente cabrito no forno. Eu costumava ir a uma pousada que existia na zona alta, a caminho de Roge, terra da minha sogra.


  2. A Pensão Suíça, Carlos, a célebre Pensão Suíça, onde lanchei algumas vezes com Ferreira de Castro

  3. carlos fonseca says:

    É isso mesmo, Pensão Suíça. Um dia, com um amigo, pedi um autógrafo a Ferreira de Castro num exemplar de ‘A Selva’, mas foi em Lisboa. No Café Nicola.

  4. Baltar Amaral says:

    O cabrito deu o mote.Tudo o resto foram as glosas. Amizade, convívio e sobretudo Saudade
    O espírito também se alimenta e seu texto sobre o nosso 11 de Setembro sabe tão bem … melhor ,digo eu , que o cabrito.
    Obrigado!

  5. adao cruz says:

    Um abraço, amigo Baltar

  6. graça dias says:

    a serra da freita é uma das maravilhas de portugal. Com”o melhor cabrito do mundo”- Sem-“o melhor cabrito do mundo” – Freita é uma das belezas naturais, impar que encontrei, pelas minhas viagens até ao norte

  7. Osvaldo Pinho says:

    Só tu, Adão, poderias escrever tão fielmente a
    descrição publicada. Porque estás irmanado no
    mesmo sentimento de Amizade, Saudade e bom gosto no apetite. Um abraço

  8. miguel dias says:

    Estes cotas, o Adão e o outro, o tal de Fonseca , com todo o devido respeito, fala-se de uma banda qualquer lá na tuga, e lá vem o cabrito e o bacalhau e o quê da ti maria ou da pensão não sei o quê do tempo do sei lá o quê, e começam logo a espumar saliva.
    Papóides, vocês comem. Bué mesmo, yah?

  9. graça dias says:

    miguel dias tem toda a razao,pensando bem. É so conversa de cotas, …

  10. Sr.Manuel e Fátima says:

    Dr.Adão Cruz é com prazer e satisfação que vimos e lemos as suas belas e sentidas palavras e ficamos bastante agradecidos por ter apreciado tanto a nossa casa e nosso cabrito. Esperámos voltar a vê-lo em breve com tão bons amigos e um haja até breve. Obrigado

  11. Luiz Augusto says:

    Ola,a todos.
    Experimentem a Pitarisca em Senhora da Aparecida
    Lousada 255 821222 é daqueles que por mais se coma
    sempre falta e com aquele vinho lixo da lixa.
    que se lixem.

    • Fátima says:

      Conheço a casa do campo o cabrito e não só realmente é bom ou melhor é tudo, tem uma cozinha muito boa .mas desculpem me Fátima e Manuel e sabem que é verdade em Arouca comesse muito bem e em casas particulares então …

      Mas agora também posso dizer que realmente no restaurante pitarisca ,na aparecida é muito bom estive la este sábado 19/11/2011,
      Eu sou de Arouca mas para ser sincera gostei muito do pitarisca o tempero é diferente e as batatas estavam muito boas .

      Fátima

  12. rogerio sousa says:

    Já agora, alguém me pode dizer onde fica exactamente o dito restaurante do Sr Manuel e Dª Fátima? Conheço bem a freita e já lá comi cabrito que também aprecio, mas… Não fiquei freguês.

  13. Manuel joaquim Pinto Osório says:

    Gostaria muito de saber mais sobre o nome do restaurante e, também a sua localização!?… Obrigado.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.