Um bunker da especulação. Responsável? A C.M.L.


Para “grande surpresa” de António Costa – como se acreditássemos… -, a aberração será mesmo construída. Sob ameaça de instauração de um processo judicial, o promotor imobiliário conseguiu o que queria, ou seja, a construção de um mostrengo inútil, horroroso, digno mictório para qualquer transeunte. Assim e uma vez mais, ninguém tugiu nem mugiu e fez-se o habitual teatro do “faz de conta”. O pior de tudo, consistiu na escabrosa abstenção dos “partidos da direita” na Câmara Municipal de Lisboa que para cúmulo da cobardia, alegaram que “não compete aos vereadores avaliar a natureza artística da obra, mas sim agir em conformidade com a lei”.

Mais uma vitória da coligação Costa/Salgado/Zé, com os seus oportunos “abstencionistas da direita”. Não há tino, nem direito.

Saiba mais acerca do que se passa através do Lisboa SOS.

Comments

  1. carlos fonseca says:

    Deve destacar-se a posição assumida pela Helena Roseta e o Ruben de Carvalho. Não é um tema de natureza político-partidária. Ambos se pautaram pelo interesse da cidade e do seu colectivo, dos cidadãos.

  2. xico says:

    Aberração é ver Lisboa a cair. O edifício em questão, no local onde se propõe, é de muito boa qualidade estética. Muito superior ao que lhe fica por detrás, por exemplo. Não o logo a seguir, mas o outro.
    Seria, isso sim, uma aberração, deixar o critério de estética entregue ao vereadores. Quando muito a uma comissão composta por várias tendências artísticas e técnicas. Os vereadores, nunca. A casa dos bicos já foi uma aberração!

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.