"Amigos para siempre"


Os candidatos são sempre objecto de qualquer inesperada desventura. Sedes vazias, pouca audiência nos debates televisivos – sejam quais forem os pretendentes em liça de meia hora -, nada de comícios. Enfim, uma tristeza. Apesar de todas as contrariedades, a maior será a falta dos amigos de sempre, de quase meia vida. O que terá sucedido à República, tão sozinha, a penar por aí?

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.