O Museu do Cairo é das pessoas do futuro

O Museu Egípcio do Cairo foi hoje assolado por uma chuva de coquetéis molotov,  lançados de janelas e terraços próximos do edifício.

Trata-se de uma ação organizada, foi decidida e instigada por alguém. Sobre quem são os responsáveis os acusadores dividem-se e corremos o risco de nos perdermos entre informação e contra-informação.

O que se espera é que objectos que resistiram aos séculos sobrevivam ao tempo breve de uma revolução e permaneçam como património das futuras gerações. O que se espera é que a arte de anteriores civilizações não desapareça em nome de interesses políticos de hoje.

Não preciso de conhecer o nome dos culpados para ter uma opinião: são múmias e deviam estar expostas num museu. Na secção dos animais irracionais.

Comments


  1. Caro A. Pedro Correia
    Afinal tudo isto é História. Todos os estragos que ocorrerem agora servirão para contar aos vindouros, a história desta revolução. E depois, entre perdas de vidas humanas e peças de museu…

    • A. Pedro says:

      Ana e Floripes,
      Não pretendi comparar vidas humanas e peças de Museu. A diferença é que as peças estão no museu e as pessoas estão na vida. Na vida luta-se, transforma-se (é o que agora se passa) vive-se e morre-se. Nas revoluções morrem pessoas, eu honro-as e respeito-as.
      A destruição de um museu não atrasa nem adianta o resultado final -seja ele qual for- é apenas um caso em que perdem todos, incluindo o vencedor.


  2. Pena destruir-se assim o património da Humanidade,mas nas revoluções,infelizmente não se olha a esse património.

  3. maria monteiro says:

    Eu entendo mas…Toda a vida sonhei ir ao Egipto e quando, há uns bons anos, lá estive pela primeira vez foi um deslumbramento…. tudo era história e estava bem ali aos meus olhos. Depois falando com as gentes de lá percebi que as pessoas eram bem mais importantes que as estátuas, que as pirâmides, que as múmias… Adoro o Egipto pelas pessoas.

    • A. Pedro says:

      Maria,
      sem as estátuas, as pirâmides, as múmias, talvez nunca tivesses sonhado ir ao Egipto e, por consequência, não terias conhecido as pessoas pelo qual o adoras.
      Percebo o que dizes mas não é preciso que AQUELE museu seja palco processo.
      Como disse acima, o vencedor já perdeu e, como disse no título, o museu PERTENCE ao futuro.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.