Eu, hoje, sou do Braga, olé,olé

E, se tivesse comprado o bilhete há seis meses, como estes adeptos benfiquistas, também era do Braga desde pequenino.

Só espero que joguem de vermelho.

Comments

  1. Ricardo says:

    Depois do jogo decorrido, há que dar os parabens ao Porto. Agradecer também aos adeptos do Porto o fato (sem “c”) do Benfica, apesar de não ter jogado, ter marcado a sua presença na Final não só pela boca dos adeptos como também pela boca dos próprios jogadores e passo a citar “SLB SLB SLB SLB SLB Filhos da Puta SLB Filhos da Puta SLB”. Obrigado por insistirem, através do vosso ódio, em confirmar a GRANDEZA DO BENFICA. Eu não sou entendido nestas taticas do ódio, mas a verdade é que o Sr Pinto da Casta insiste: “não precisamos de mãos para ir a finais” diminuindo assim o feito de clube de futebol com milhões de adeptos. É preciso saber lidar da melhor maneira com este jogo lateral que é uma aposta clara do Sr Pinto da Casta. Eu não digo nomes, mas é um fato que na história mundial houve quem conseguisse mover milhões de pessoas através do discurso do ódio. É uma coisa que funciona. Sente-se pelas imagens televisivas o ódio que os adeptos (não todos claro mas muitos) do FCP transpiram pelo SLB. O contrário não acontece, porque não conseguimos sentir esse ódio.

    Parabens ao Porto, tem um excelente equipa

    • A.R. says:

      Ó Homem, essa versão do SLB é cantado por adeptos de todos os clubes!!!! (excepto do slb)
      Isso dos jogadores é mau… deviam ter mais respeito! Até parecem uns quantos que quando ganharam um campeonato festejaram em Lisboa num autocarro descapotável gritando “Pinto da Costa vai pó car****”
      É feio… concordo.

    • Ricardo Santos Pinto says:

      Não é verdade, Ricardo. No ano passado, quando o Benfica foi Campeão, foi bem audível o Estádio da Luz a gritar «ó Pinto da Costa, vai pró caralho». E os jogadores também cantaram. Bestas há em todos os clubes – não vejas as coisas só para um lado.

  2. António Fernando Nabais says:

    E, agora, sou do Guimarães, olé, olé

  3. Rodrigo Costa says:

    …. Então, passar a uma final, com um golo metido com a mão, é um feito?… Por que razão os “feitos” do F C do Porto, e de outros cliubes, hão-de ser menos feitos? Por que é que todos os erros que favorecem o Porto são premeditação, e os erros que favorecem o Benfica são coisas que acontecem?…

    Como por certo já terão reparado, perca o Porto, ganhe o Porto; ganhe o Benfica, perca o Benfica, nunca perco tempo com comentários de ufania ou de achincalhamento, mas não resisto a observar as incoerências.

    É claro que Pinto da Costa, no seu discurso, já deveria estar ao nível do Clube. É claro que os jogadores, pelo menos, deveriam ser impedidos de ocuparem os cânticos com alusões despropositadas ao Benfica, mesmo que numa espécie de imitação que, oficialmente, terá tido início com Simão Sabrosa, no alto do descapotável onde era celebrada a vitória do Benfica…

    O problema não é do Benfica nem é do Porto, é das pessoas, que ainda não compreenderam que o ganhar está muito perto do perder; que ainda não perceberam que as expectativas são o motor de todos os destemperos.

    E eu pergunto, como é possível o Presidente do Benfica vir, no fim da “festa”, culpar a impreparação da pré-época, bem como os festejos demorados; e desculpar, também, as arbitragens, pelo insucesso da época, depois de deixar que, ao longo da mesma, fossem montadas campanhas que visavam desviar a tenção do essencial, sem, contudo, impedir a relevância que acabou por ter o acessório?

    O que me preocupa não é as claques nem, tão-pouco, os jogadores, de um e de outro clube, que tenham ou possam ter atitudes e oratória reprováveis; o que me procupa é ver gente com formação universitária ter comportamentos que não andam muito distantes dos anteriormente mencionados. A estes, eu exigiria outro tipo de posicionamento, sobe pena de as universidades estarem a ser vítimas da sua própria precariedade.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.