Vencedores:

Pedro, se não vamos a votos no país, vamos a votos no partido” é uma frase atribuída, por uma fonte jornalística, a Marco António Costa. Como estou a citar de cor, pode não ser bem assim mas o sentido imputado era este.

O vice-presidente da Comissão Política Nacional e presidente da CPD do Porto do PSD, Marco António Costa, é diabolizado por boa parte dos opinion makers e alguns jornalistas da capital. Mesmo dentro do PSD algumas almas não gostam dele. É certo que são cada vez menos. Mas existem.

Por aquilo que tenho visto, não consigo entender. Como Presidente da Distrital do Porto consegue obter excelentes resultados. Seja nas eleições autárquicas, na dinamização do partido no distrito do Porto como em eleições nacionais (olhem para os resultados do PSD no distrito nestas legislativas e para a forte mobilização em toda a campanha eleitoral – incluindo uma perninha num e noutro distrito vizinho).

Em Vila Nova de Gaia está a fazer um bom trabalho, a exemplo do que fez em Valongo, e é respeitado pelas colectividades, pelos presidentes de Junta de Freguesia e pelo eleitorado. Na CPN idem.

Será, realmente, o autor daquela frase com que começa este post? Se foi, está de parabéns. Sempre fomos a eleições e Portugal afastou José Sócrates e entregou ao PSD um resultado histórico – derrotar o Primeiro-ministro em funções e desta forma é a primeira vez. Confesso, não faço a mínima ideia se MAC é o autor desta frase ou se estamos perante mais uma fábula tão do agrado da matilha.

Se o objectivo de divulgar publicamente a frase era prejudicar Marco António Costa e, por tabela, Pedro Passos Coelho, foi um tiro na água dos seus autores. Pelo contrário, publicitaram mais um mérito de MAC: ver mais longe.

Depois do discurso de tomada de posse do Presidente da República ficou óbvio, para quem queria ver, que as eleições antecipadas eram inevitáveis. Com esta frase, a ser verídica, MAC provou que “são muitos anos a virar frangos” e percebeu que o PSD teria de chumbar o PEC IV.

A verdade é só uma, os portugueses foram a votos e a sua resposta foi clara: Mudar. Por isso, Marco António Costa já seria um dos vencedores desta noite. A ser verdade essa afirmação, é duplamente vencedor.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.