Os professores vigilantes não podem estar sentados durante o exame

O Ministério da Educação elaborou um documento com instruções para a realização dos exames nacionais 2011. Apesar das suas 71 páginas serem uma ode à burocracia, um Agrupamento de Exames da zona da Lisboa achou que ainda não se tinha ido longe o suficiente. Por isso, decidiu “resumir” o documento original para “apenas” 35 páginas mas com a particularidade de acrescentar o que se segue:

Recomendações do Agrupamento de Exames
Os professores vigilantes não podem :
1. Estar sentados
2. Ler
3. Conversar
4. Estar fora da sala de exame

Os professores vigilantes não podem estar sentados durante o exame?! Mas terá esta gente ensandecido com esta recomendação em forma de ordem (note-se no uso de “não podem” em vez de “não devem”)? Duas horas e meia em pé, e sem se transformar a sala de aula num espaço de marcha, não é pera doce. Para mim, pelo menos, não seria, graças a uns brindes com que a vida presenteou a minha coluna. Uma coisa me parece certa, quando aparentar que a burocracia chegou ao expoente máximo, alguém ainda terá um “e se…” para propor mais uma ou outra regra.

Comments


  1. Por isso é que eu acho que alguns professores devem ter – têm que ter – mais horas de trabalho com os alunos… não lhes sobraria tempo nem energia para inventarem coisas destas e semelhantes…


  2. Regras, queremos regras…


  3. Regras, venham elas…


  4. weeeeeeeeeeeehhhhhhhhhhhh

  5. António says:

    Nem na casa de banho?

  6. Artur says:

    Coitadinhos dos professores que não conseguem estar mais de duas horas de pé. Se eu fosse professor ia já a correr fazer queixinhas para o Tribunal Europeu dos Direitos do Homem.

    • jorge fliscorno says:

      Bom, eu não sou professor, logo esta não é para mim. Mas não deixa de ser uma observação triste por duas razões:
      1. porque razão se vigia melhor uma prova se se estiver em pé?
      2. há pessoas com problemas em estarem duas horas em pé, sabia? Eu sou uma delas. Parabéns a si que tem uma saúda de ferro. Mas olhe, a idade tudo leva 😉

    • Ricardo Santos Pinto says:

      Este pensa que ainda estamos nos tempos da arguida Maria de Lurdes Rodrigues.

  7. Artur says:

    Bem, a não ser que o professor esteja sentado num estrado, (o que actualmente não pode ser porque fere “o principio da igualdade” e representa opressão), parece-me que um professor estando de pé e a circular pela sala, consegue controlar melhor os alunos ou pelo menos criar nestes um maior receio que poderá prevenir o recurso ao cabulanço.
    Estando um professor sentado, dificilmente conseguirá ver mais além das primeiras filas.
    Por outro lado, lá por que a si lhe doiem as costas, isso não serve de argumento para defender a causa. Se fossemos por aí ninguém trabalhava de pé.
    Agora imagine o que é que um operário fabril, um segurança, um agricultor, ou qualquer outra pessoa que para ter o pão no prato tem que passar longas horas de pé iriam pensar das queixas dos professores por estarem 2 horas de pé. Não abusem do mimo.

    • jorge fliscorno says:

      «Estando um professor sentado, dificilmente conseguirá ver mais além das primeiras filas.»

      Vejamos, o bom senso fica bem em todo o lado. Nem eu digo que tenha o professor que estar sentado as duas horas nem, julgo eu, o Artur acha que tem ele que passar duas horas a cirandar na sala.

      Agora o que diz textualmente a referida recomendação é que os vigilantes não podem estar sentados.


      • Ó Artur, gostei dessa comparação. Digna de quem deve ter tido aulas leccionadas por “um operário fabril, um segurança, um agricultor ou qualquer outra pessoa.”

      • jorge fliscorno says:

        Já para não falar na estranheza que me causa alguém ter sentido que era preciso colocar esta proibição numa qualquer recomendação.

        Nesta linha de ideias, aqui ficam outras proibições:
        – É proibido espirrar e tossir – pode interromper o raciocínio
        – É proibido usar saias e roupa justa – distrai o olhar
        – É obrigatório usar pantufas – todo o outro calçado faz demasiado barulho
        – …

        É ténue, a linha entre o ridículo e o razoável. Nesta do sentado, passaram nitidamente do razoável.


        • A dos trapos existe, não sei se escrita, mas já a ouvi, e aplica-se a alunos e vigilantes. Mas essa faz todo o sentido. O que é mais idiota nessa do “não se podem sentar” é que andar de um lado para o outro desconcentra os alunos. Quem a inventou nunca fez um exame na vida.
          Além de que, ao contrário do que pensa o Artur, a mais mortífera forma de apanhar alunos a copiar passa por estar sentado, descontraído, fingindo olhar para a janela, ou pior ainda, de óculos escuros. Isto digo eu, que já vigiei centenas de provas, mas nem sei fazer casas, nem sou segurança, e só faço agricultura em vasos na varanda.

          • Artur says:

            Eu diria que essa atitude de “disfarce” é ainda mais perniciosa, pois dá ao aluno uma maior sensação de que o professor está desatento e isso convida-o a arriscar. Se a intenção é apanhar alunos a copiar então a atitude do JJC é a ideal. Contudo, como eu acho que o principal não é apanhar os infratores mas sim evitar que estes infrinjam, então considero que uma atitude mais ostensivamente vigilante será mais proveitosa, pois o aluno será menos tentado a arriscar.

          • jorge fliscorno says:

            Pois, mas eu não escrevi mini-saias mais pequenas do que certos cintos 🙂

      • Artur says:

        A “regra´” neste momento parece ser: “o melhor é estar aqui sentadinho para evitar chatices”, ou “o melhor é estar sentado, coitados, eu no meu tempo também copiava” ou “deixa-me estar sentado, no fim do mês ganho o mesmo.”
        Por isso é que compreendo que deixar as coisas entregues ao bom senso não basta. Para mudar mentalidades é infelizmente necessário por vezes a imposição de regras escritas que muitas das vezes nos parecem ser dirigidas a atrasados mentais. O certo é que certos hábitos e determinadas práticas são de facto próprias de atrasados mentais. O “laisser faire-laisser passer” de muitos professores é precisamente uma dessas práticas.

    • mariazeca says:

      Doiem? Hem??? Ah, estas até doem!

  8. Marco says:

    Um professor em pé e outro sentado. Sim, são dois!

  9. gira says:

    esta muito fixe todos hahahahaaha

Trackbacks


  1. […] o telemóvel. Nada. Apenas, e só, olhar para os alunos que estão a fazer o exame. Sentados (ou nem isso). Em pé. Andando de um lado para o outro a ver se os minutos passam mais depressa. De novo […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.