Médicos mortos passam receitas a clientes falecidos

“Desde que morri, com a medicação que o meu finado médico me tem receitado, nunca mais tive dores.” – disse um falecido utente que preferiu manter o anonimato. “Fraude? Podem processar-me, mas não acredito que o tribunal me condene” – acrescentou.

Comments

  1. Zé Carlos says:

    Apesar da contradição…parece oportuno reflectir sobre o acesso do cidadão áos cuidados de saúde.Para além dos milhares sem médico de família, temos milhares sem possibilidades dum diagnóstico médico sobre oftalmologia, cardiologia, odontologia, etc, etc.Na verdade não chega o Constituição falar no direito à saúde se as politicas economicistas e os interesses resultantes de parcerias…hipotecam depois essa aparente garantia Constitucional.O tendencialmente gratuito é cada vez mais uma metáfora.Quanto à medicação ela é imprescindivel…mas antes pressupõe a consulta, daí a forma como opinei anteriormente.Preocupa saber que o futuro na saúde é para piorar…porque então só alguns terão direito ao acesso a um bem essencial.Será ainda assim isso um sinal de progresso? ou caminhamos de novo para cinquenta anos atrás?