A democracia grega

Os gregos não inventaram a democracia, quanto muito os atenienses criaram a palavra democracia para designar um regime em que menos de 10% da população decidia democraticamente da sua vida e aproveitava para decidir a vida dos outros.

Posto isto, com o notável contributo de governos locais corruptos, da Alemanha, da França, seus bancos e indústria de armamento, os gregos arriscam-se a inventar uma outra democracia, que começa nas ruas e pode acabar com a dividocracia.

Olhai para isto portugueses, já falta pouco.

6 comentários em “A democracia grega”

  1. Caro João José Cardoso,

    … Mas a Democracia não é isso, um regime no qual, ora um, ora outro, grupos restritos de pessoas decidem da vida de todas as outras?…

    Os gregos tinham a noção de que a Democracia era, isso sim, o menor dos venenos, que acabava, sempre —cimo temos podido constatar— em regimes plutocráticos; porque a influência do Instinto empurra as almas para processos moralmente degenerativos.

    O próprio Sócrates —o filósofo, não o que vai estudar filosofia— tinha a noção de que a cidade perfeita muito dificilmente passaria de projecto; por isso se contentava com a ideia.

    Meu Caro, o drama aumenta, à medida que vamos conhecendo a natureza humana, e, pior ainda, os orgãos da Comunicação vão ando os ecos dela. E mais: todaa evolução tem retrocesso, e eu penso que, lentamente, estamosa caminho do princípio, a selva, o lugar de onde viemo. A vida que emos vivido é uma espécie de peça teatral, com os actores cansados dos papéis, e não havndo outros.

  2. Já a Grécia andava na bancarrota quando o Mark Twain passou por lá à dois séculos atrás.Politicos corruptos e um povo de preguiçosos e trapaceiros , tinha que dar nisto. Se juntarmos a isto os bandos de anarquistas, comunistas e mafiosos que por lá andam, não há Europa que os salve. Sorte tiveram os Turcos em não terem ficado com aquela amostra de país.

    1. Chama-se a isso um comentário racista. Até o devia apagar, mas algures na Grécia haverá um Artur a dizer o mesmo dos portugueses, e deixo ficar por uma questão de equidade na estupidez humana.

  3. Não tem nada a ver com raças. Falei de mentalidades. Claro que o que fiz foi uma generalização pois certamente haverá Gregos que não são como os que retratei. Mas no que diz respeito ao conjunto lato de individuos que formam aquele país, são um falhanço constante.
    E se houver um Grego a dizer mal dos Portugueses, não andará longe da verdade.

    1. … Estará imensamente perto, Artur. Ou não serão os Portugueses vítimas de si mesmos, da mania de “comprar” feito?

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.