Uma foto quase desconhecida


A Comissão Oficial do Centenário da República, tem divulgado muitas fotos de exaltação da bandeira do seu amado regime. Aqui está uma imagem praticamente desconhecida, tirada pelo exército alemão na antiga União Soviética, há uns setenta anos. Num momento de ajudas da Alemanha, convém amansar os espíritos dos generosos patronos.

Comments

  1. Tiago P says:

    Qual o contexto da foto? Sabe-se?

    • Alvaro Sousa Sousa says:

      A foto é uma homenagem pelos alemaes a um soldao portugues, morto na frente Russa-segunda guerra

  2. Nuno Castelo-Branco says:

    Sabe-se. É o corpo de um dos portugueses que combateu na Divisão Azul espanhola.


  3. Afinal para que é que servem os partidos em momentos de crise?
    Em vez de contribuirem para ajudar aparecem cheios de opinião!
    Porque não pedem a desvalorização da Euro-moeda; onde está O Francisco Louça e o Jerónimo PCP; e o sabe tudo do Medina Carreira, e o Santana Lopes, e o Marcelo Rebelo de Sousa;
    Portugal está cada vez mais triste: tem comentadores políticos sem massa encefálica, sem ideias, sem propostas; só teem retórica, só mandam palpites que acabam sempre por sair furados como o corpo que teem.
    Acorda Portugal, acorda Bélgica, acorda Grécia, acorda Itália, acorda, Espanha, acorda Irlanda, acorda França: acordem todos parando de dormir à sombra da apatia dos financiadores-especuladores e outros multi-vigaristas da Europa.


  4. A analogia é bem interessante! Mas, atrevia-me a pedir-vos um pouco mais de informação. Têm mais dados sobre a foto? Quem é o Português? Data e localização da fotografia?
    Já agora permitam-me, podem indicar-me alguma referência bibliográfica sobre a participação portuguesa na divisão azul?

    Saúde e Fraternidade


  5. Heróis do mar nobre povo


  6. Essa malta está toda na acampada do Rossio. Quem o garante é o Pacheco.

    http://supraciliar.blogspot.com/2011/06/pacheco-pereira-errata-e-duvidas.html

  7. Ricardo Silva says:

    Esta foto não corresponde a nenhum dos mortos Portugueses da Divisão Azul, salvo erro, corresponde a um membro de uma legação Portuguesa que estava na Alemanha em visita e que faleceu de causas naturais.
    Ainda não existe nenhuma bibliografia publicada acerca destes homens, excepção feita a alguns artigos em Espanha que são no entanto muito limitados e com muitas interpretações incorrectas.
    Posso no entanto confirmar que houveram 10 Portugueses mortos em combate e que é possível (e provável) o número ser ainda maior.

  8. Nuno Castelo-Branco says:

    Caro Ricardo, aqui fica então a sua correcção. A informação de que dispunha, apontava para a Divisão Azul.

  9. em baixo á direita says:

    A fotografia é das forças da Alemanha nacional socialista – Wehrmacht, a prestarem homenagem a uma alta patente de uma delegação portuguesa que foi á frente da guerra.
    Quanto aos voluntários portugueses na Divisão Azul foram algumas centenas e a maioria morreu na frente leste, vinham sobretudo da Legião Portuguesa e muitos já tinham combatido pelo lado nacionalista na famosa Legião Viriato de portugueses na Guerra Civil espanhola enviados por Salazar. Até existe por ai uma lista de muitos dos mortos e regressados portugueses na frente russa em 1942-43. Outros ainda combateram nas Waffen ss, havendo mesmo relatos de alguns tal como espanhois, franceses etc.. a defender Berlim nos últimos dias.

    http://2.bp.blogspot.com/_Pgb9_GVYb9c/Slja7FMjZcI/AAAAAAAAEtQ/AFDJ5z4-9MY/s1600/Voluntarios%2Bportugueses%2Bna%2BDivis%C3%A3o%2BAzul%2B3%2B-%2BSerga.jpg

  10. Ricardo Silva says:

    em baixo á direita:
    O que diz dos portugueses na Divisão Azul está muito, muito longe da realidade. Infelizmente, na blogoesfera espalham-se muitos boatos e mistifica-se o que se desconhece. Os voluntários portugueses da Divisão Azul, 150 a 200 (não foram às centenas) e regressaram na sua grande maioria. Neste momento até posso acrescentar outros 11 mortos (sendo o total até ao momento de 21), tendo já determinado o destino final da maioria deles (o retorno da linha da frente). Não vinham principalmente da Legião Portuguesa, muito pelo contrário,a LP destacou-se por um discurso forte em Portugal, que se revelou mediocre na hora do alistamento, não chegam a meia dúzia e já estou a ser generoso. Também lhe posso dizer que combateram pela Legião Espanhola, La Legión, e não por uma suposta e inexistente Legião Viriato.


  11. De facto o numero de voluntarios portugueses foi entre 150 e 200 na divisao azul,a foto mostrada é do funeral militar de um oficial(capitao) do exercito portugues(que residia na parede proximo de lisboa) em missao de observacao na frente leste(morreu apos a explosao de uma bomba de aviao num aerodromo alemao(acidente)!marcelo caetano spinola.etc… tambem passaram por là como observadores militares!em relacao a 250 blaue division ali estiveram cerca de 200 portugueses alistados na legiao espanhola e reintegrados na divisao azul,nao podiam alistar-se directamente por nao serem espanhois!tinham que fazelo na legiao estrangeira espanhola e entao automaticamente transferidos para a divisao! dai o nome de legiao verde! pois o uniforme da legiao éra verde! mas nao provinham da legiao portuguesa! éram na sua grande maioria veteranos da legiao viriato que combateu ao lado de franco na guerra civil espanhola( muitos tambem integrados na legiao espanhola! durante a guerra civil, em 1943,quando a divisao regressa , cerca de 60 ficam e alguns acabam a lutar no grupo de comandos ss de miguel esquirra! a defender berlim do qual se salvam apenas cerca de uma desena…Alguns sao integrados na wallonie de Leon degrelle(belga movimento rexista) e alguns outros, registo de 4 nomes de origem galega ou portuguesa! nos comandos Brandenburgo…

  12. Ricardo Silva says:

    Cara Paula,
    de novo leio um conjunto de informações que estão muito longe da realidade.
    Vamos por pontos: O Spínola esteve numa missão militar que em Outubro de 1941 chegou até ao Cerco de Leninegrado. O Marcelo Caetano nunca pôs os pés por lá.
    Não era necessário ser espanhol para se alistar na Divisão Azul, além dos portugueses houve várias dezenas de voluntários de outras nacionalidades, sendo que o seu número total deverá ultrapassar uma centena, algo que ainda não foi investigado a fundo, mas eu tenho apontados os seus processos e várias listas onde surgem dados sobre estes homens.
    Não era necessário aos portugueses alistarem-se na Legião Estrangeira para então passarem à Divisão Azul, pelo contrário, a maioria já era civil quando se alistou, ainda que alguns fossem destacados enquanto militares da Legião (nem sempre de forma voluntária) e à volta de dois terços eram veteranos da Guerra Civil. Essa teoria da Legião Verde é completamente estapafurdia, e mais estapafurdio é afirmar que 60 “divisionários” ficaram para lutar no grupo do Miguel Ezquerra, é que quando a Divisão Azul foi repatriada, foi formada a Legião Azul, onde estiveram uma dezena de portugueses, os quais voltaram em 1944. Há referências a pelo menos um português que terá lutado com o Ezquerra, dito pelo próprio, o mesmo homem que disse ter confraternizado com o Hitler, entre outros devaneios. infelizmente, o livro desse senhor contém alguns factos verificáveis, mas também uma série de mentiras, tornando-se dificil perceber onde começa uma e termina a outra. Quanto aos 60 portugueses que lutaram em Berlim (onde supostamente terão morrido uns 50), acho melhor nem qualificar isso.


  13. Caro Ricardo Silva, a sua tese de Mestrado está acessível ao público?