Adeus Luís Miguel

Uma cidade é também os seus loucos, onde se descarrega a perda de juízo generalizada que somos todos nós. Aliás, uma cidade é sobretudo os seus loucos, e uma aldeia também. Não me despedi de tantos, adeus Luís Miguel.

Leiam O Aspirante nunca mais gritará na Baixa. Também tenho o privilégio de viver num bairro onde o Luís Fernandes faz aquilo que dois diários e uns semanários não fazem, e muito mais ainda.

Comments

  1. Jorge Neves says:

    Concordo inteiramente contigo João.
    Também sou louco, mas consciente da minha loucura.
    O luis Quintas para mim ou Fernandes como outros lhe chamam faz um grande trabalho.
    Abraço


  2. Fosca-se, ó João, ensandeceste de vez? Depois do teu elogio, já estou a ver, amanhã e depois, os conimbricenses chegarem ao quiosque dos jornais e, em vez dos dois diários e um semanário locais, pedirem: “quero um Luís Fernandes com as últimas!”
    Não é por nada, mas o que me mina é o conflito que me criaste. Qual o preço que irei pedir? Quanto é que valho assim em pacote?
    Se calhar, aproveitando a onda, vou mas é colocar o blogue em bolsa.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.